Provoquei E Fui Arrombada

Olá pessoal, meu nome é Carla, tenho 20 anos. Sou morena, seios grandes, cintura fina e bunda grande.

Sexshop

Esse é o relato de uma das minhas experiências sexuais.

Os rapazes da minha cidade sempre davam em cima de mim, eu nunca tinha ficado com nenhum deles pois nenhum deles me chamou a atenção, aos 17 anos tinha ficado com poucos rapazes e perdido a virgindade com 10 anos com um cara mais velho, mas isso é outra história…

Disk Sexo

Minhas amigas e eu sempre viajavamos nas férias, e naquele ano não foi diferente, fomos para a casa de praia do Ícaro, o primo gato da minha amiga, meu pai sempre foi liberal pois só cresci com ele, então não tive problemas com a viagem.


Ao chegar na casa eu vi que era linda, em vez de irmos nós oito ( Joyce, Miranda, Olivia, Suelen, Sara, Milena, Mariana, e eu) Sara teve que acompanhar o pai em uma viagem, e suas irmãs Milena e Mariana foram para a casa da tia, todos estavam bem animados com o lugar, enquanto as meninas tomavam na balada da cidade eu fiquei em casa por causa do cansaço então resolvi conhecer a casa mas acabo me perdendo por conta do seu tamanho.

— Tá perdida?

Uma voz me assusta, olhei rapidamente e vi Ícaro, primo de Joyce, ele é moreno alto, seu corpo é bem musculoso e seus olhos azuis, Ícaro na época tinha 24 anos.
Eu estava com uma roupa confortável, um shorts curto e um top por causa do calor, ele me devorava com o olhar, sorri maliciosa.

 

— Sim, estava procurando a cozinha.
— eu te levo.

Seguimos até a cozinha, ele se senta em um dos bancos da bancada, resolvo provocar, afinal sempre fui muito safada e só de olhar para ele ficava molhada.
Me abaixo e ele olha para minha bunda, como o short era curto e eu estava sem calcinha dava para ver um pedaço da minha bucetinha, escuto um baixo suspiro, remexia a bunda de propósito.

— não tem bananas?

— Última prateleira.

Abaixo e empino mais a bunda, pego a banana e fecho a geladeira, sento na frente dele e abro a fruta, começo a chupar a babana e o safado nem piscava, mas minha cuzinho piscava muito! Começo a lamber de baixo pra cima, abocanho a banana e faço uma cara safada, termino de comer a banana, Ícaro me olha tentando disfarçar.

— Vou dormir, boa noite Carlinha.

Ele sai como um foguete da cozinha, rio internamente, mais tarde naquela noite, eu passei pelo corredor do seu quarto e ouvi gemidos, vi que a porta tava aberta e vi o safado transando com a Samanta, sua irmã.

Volto pro meu quarto e me masturbo pensando em como seria cavalgar naquele pauzão dele.
Isso se repetiu a as duas semanas todas, meus dias eram normais, mas fazia de tudo pra passar a noite na casa.

Até que um dia Samanta foi pra casa do pai ( ela também dava pro pai … Mas prometo contar essa história depois )

Ícaro e eu não nos falamos desde o dia que o provoquei na cozinha, Resolvi provocar ele.

Chamei um cara mais velho que conheci na balada a uma semana e que estávamos nos relacionando, ele se chamava Carlos, ele tinha cinqüenta anos muito bem conservado, já chegamos nos beijando, ele me tacou no sofá e levantou meu vestido, estava sem calcinha, ele tirou o pau dele da calça e meteu em mim sem dó, gemi alto ele se movimentava rapidamente e bem bruto, amo esse tipo.

— Awwwn Carlos, Você é tão grosso, mete fundo, vai com força me bate vai!

Falava alto entre gemidos, vi que meu primo estava na escada olhando tudo, fico de quatro e Carlos tira meu vestido e mete na minha bucetinha com força, ele bate na minha bunda enquanto mete com brutalidade, doia mas eu queria provocar Ícaro e também amo Sexo selvagem e com dor, Carlos puxa meu cabelo para traz e eu gemo alto.
Ele para os movimentos me deixando frustada.

— sua cadela, gosta de apanhar né? Quer que eu meta com força?

— qquero…

— então fala que você é uma vadia, Minha putinha.

Ele fala no meu ouvido.

— Sou uma vadia, sou sua putinha.

Ele bate na minha bunda e mete com força, gemiamos alto, aposto que se tivéssemos vizinhos eles iam reclamar, gozo no seu pau gritando e tenho espasmos caindo de cara no sofá, ele aumenta as estocadas, parecia que ele nunca ia gozar, volto a gemer e ele aumenta as estocadas, Carlos me faz ter mais um orgasmo e Tira seu pau da minha buceta, ele senta no sofá, fico em posição de sentar mas ele me puxa fazendo cair no pau dele e gemer alto, Carlos me ajuda a quicar, minhas mãos estavam em seu ombro e eu estava envolvida pelo prazer da foda, jogo minha cabeça para traz gozando pela terceira vez, sinto seu líquido me invadir, caio no sofá.

— Vem, vamos pro meu quarto.

Falo e vejo Ícaro sair correndo, sumimos a escada, ao entrar no meu quarto Carlos me joga na cama e logo voltamos a transar, depois de um banho quente e juntos, eu dei uma das roupas dele que ele tinha deixado aqui mais cedo, coloco uma camisola branca transparente sem sutiã, só com uma calcinha branca transparente, dormimos agarradinhos.

No meio da noite acordo com vontade de beber água, saio dos braços de Carlos e vou em direção a cozinha, chego lá e me assusto ao ver Ícaro só de cueca bebendo uma cerveja.

— Que susto!
— Quer?

Me oferece a cerveja, aceito e bebo um gole.

— Acordei com sede… Será têm leite?

Ícaro me olha de forma intimidadora e me prende entre ele e a bancada.

— Tem do meu pau, serve?

Surpreendendo ele eu me ajoelho e abaixo sua cueca, por fora estava confiante, mas por dentro estava muito nervosa e meu coração acelerado. Faço como fiz com a banana.

— para com isso.. está me torturando!

Abocanho seu pau e o chupo enquanto massageio as bolas, ele gemia baixo, depois de um tempo ele goza na minha boca, Ícaro me pega no colo e vamos para seu quarto, ele me coloca de quatro na cama, o safado rasga minha calcinha e sem nenhum aviso penetra meu cuzinho que era virgem, gemo alto de dor, ele parece não ligar e continua estocando, Ícaro masturbava meu clitóris e logo esqueço da dor e fico com os gemidos ele me penetra dois três dedos e continua me masturbando, meus gemidos aumentam, gozo em seus dedos e ele em meu cu, Ícaro senta e eu sento em seu pau, minha bucetinha latejava, ele socava com força, meus gemidos eram abafados pelos seus beijos calorosos.

Gozo mais umas quatro vezes e Ícaro duas, tomamos banho e rolou mais sexo, ele me fez uma oral e eu gozei, voltei para o meu quarto e ao deitar Carlos acorda, mesmo dolorida e bem cansada queria sexo eu estava no paraíso, amo sexo.

Monto em Carlos e tiro seu pau da cueca, ele me olha malicioso, coloco seu pau no meu cu e ele se impreciona pois nunca quis dar meu cuzinho pra ele.

— tem certeza?

— sim Carlos.

Falo e ele me levanta e posiciona o pau, doi bastante ao entrar mas não tanto que nem foi com Ícaro, faço maior drama pra ele achar que era meu primeiro, ficamos parados para eu me acostumar, enquanto isso ele chupava meus seios e masturbava
Meu clitóris, logo ele se movimenta devagar e com calma, mas isso não dura muito, logo estava me estocando com força, gozei em seus dedos depois de um tempo, ele goza e eu caio ao seu lado, dormimos assim.

No dia seguinte eu mal conseguia sentar sem sentir dor, mesmo assim fui pra casa de Carlos, ele queria tentar algo novo entre nós e um amigo, a campainha toca e me assusto ao ver que o tal amigo era Ícaro, como estava nua, Ícaro fica nú e mete em minha bucetinha, Carlos em meu cuzinho, gemia alto com meus dois pauzudos me arrumando, provoquei e fui arrombada, e foi uma delícia!

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.