Duas loiras e um moreno, que farra boa!

Alana e Mirela, duas louras da pá virada, moravam juntas num apartamento e tinham ali um grande problema: o regulamento do prédio era bem severo com relação à visita de não-moradores. O porteiro tinha ordem para não deixar entrar. Se algum amigo aparecesse, ele interfonava e avisava o nome e uma delas, ou as duas, tinham de descer e conversar ali mesmo no hall de entrada. Estavam desesperadas, porque nem todos os amigos delas tinham grana para levá-las a moteis. A maioria nem carro tinha. Por um acaso descobriram um jeito de transar ali no apartamento. O feliz acaso foi um problema hidráulico. Elas sabiam que existia um zelador no prédio, além dos porteiros. Nunca o tinham visto, pois nunca haviam precisado dos serviços dele. Naquele dia, elas precisaram, ligaram para o porteiro, ele localizou o zelador e mandou-o ao apartamento delas.
Elas ficaram encantadas quando viram o Jader, o zelador. Novo, devia ter uns 26 anos, sorridente, educado e um corpo bonito. Na hora em que ele entrou, as duas olharam uma para a outra, como se tivessem tido a mesma ideia no mesmo instante.
E trataram de seduzir o Jader. Enquanto ele consertava o que havia dado problema, fizeram mil perguntas a ele, ficaram sabendo de tudo da vida dele e também do edifício. Ele notou que as duas haviam trocado de roupa, desde a hora em que ele chegara. Estava no banheiro, vendo o problema, as duas estavam lá, de repente uma saiu e voltou com um vestido curtíssimo. Aí a outra saiu e voltou de shortinho, daqueles feitos de um material que praticamente cola na pele e mostra o contorno por inteiro da bundinha e da xotinha… ainda mais daquela loura que tinha um belíssimo capô de fusca…
Então, como não tinha outro apartamento para atender, ele demorou-se para resolver o problema, pois começou a gostar do que via e do papo das duas.
Terminado o serviço, fizeram questão de ele tomar um lanche com elas. E aconteceu que, “involuntariamente” os pés delas esbarravam na perna dele.
Jader não era bobo… entendeu que elas queriam um algo mais. Deixou rolar. E aí, depois do lanche, na sala, sentados, começaram a contar piadas e quando elas riam praticamente dobravam seus corpos na direção dele… e ele resolveu atacar, lascou um beijo na Mirela, o que fez Alana puxá-lo em sua direção e beijá-lo também.
Elas estavam alucinadas. Tiraram a camisa dele, uma estava atrás dele, beijando-lhe a nuca, passando a mão no peito, a outra, de frente para ele o beijava e sentindo algo se mover lá embaixo, tirou a calça dele.
– Mirela, olha aqui, que beleza!
– Uau! Jader, você vai ser a nossa salvação.
– Como assim, meninas, vou salvá-las de quê?
– Dos porteiros que não deixam amigos nossos entrarem aqui… mas você poderá entrar muito, pois teremos problemas elétricos, hidráulicos quase toda semana!
Ele sorriu e ficou olhando Alana fazer um boquete, enquanto Mirela, já nua, encostava seu corpo nas costas dele, esfregando sua xotinha na bunda do zelador. Jader já tinha resolvido alguns “problemas semelhantes” ali naquele edifício, mas com duas gostosas como elas nunca. Estava ate sem saber qual delas seria comida primeiro…
Não demorou a saber. A própria Alana sentou-se no pau dele e Mirela saiu detrás e ficou deitada ao lado, recebendo beijos nos seios e dedadas na xotinha. Depois foi ela a sentar-se e Alana ficou se masturbando vendo os dois.
Tinha sido muito bom. Que maravilha, pensavam as duas.
Viram o Jader se vestir e pegar suas coisas para ir embora.
– Jader, toda folga que você tiver, bate aqui, estando uma de nós ou as duas, sempre teremos problemas para você resolver pra nós. Diga-se de passagem, que você é um maravilhoso zelador… se não fosse não o chamaríamos mais!

Sexshop
Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.