Como é gostoso fazer sexo virtual

Tudo começou em um bate-papo na internet. Aqueles chats… Tanta gente buscando consolo, conforto, prazer, passatempo, amizade e tantos outros atrás de apenas prazer assistindo ao red tub. Eu naquele dia estava acesa, com a libido a mil, fogo à flor da pele. Estava em casa, nada de bom pra fazer, redes sociais sem graça, sem boa companhia, a TV sem vida com programas inúteis… Resolvi entrar no tal bate-papo.

Entrei com o Nick Moreninha Quente, sem nenhuma segunda intenção, apesar do nome sugestivo e comecei a teclar com alguns rapazes. Alguns desinteressados, uns com uma conversa inteligente, outros com um papo mais sacana e entre esses me chamou a atenção apenas um, que me interessou bastante.

Sempre gostei de homens mais velhos que eu, sendo que tenho apenas 21 aninhos de pura gostosura, modéstia a parte. Mas naquele dia, aquele nem tão velho quanto eu gostaria, (de Nick rapazmaDURO_cam) de apenas 23 anos, foi quem me envolveu pelas belas palavras, pelo vocabulário, pelo jeito conflitante de me incitar.

Ele chamou a atenção e me senti interessada. Resolvi abrir uma exceção e apostar perder tempo com aquele rapazinho. Adicionei o carinha no meu MSN fake, usando o nome de Nandinha e teclamos por horas adentrando a madrugada. Era um papo envolvente, gostoso, falamos sobre tantas coisas… E a cada mensagem trocada o papo esquentava um pouco mais. Falamos sobre coisas extremamente excitantes. Sobre minhas formas, as quais ele demonstrou ter gostado bastante, sobre meu cabelo, sobre minha pele… O detalhe que mais chamou a atenção dele foi a minha cor, o fato de eu ser morena.

Contou-me enlouquecer com mulheres de pele escura, ter tara pelas “pretinhas” como ele mesmo disse. Descrevi dizendo que sou uma morena de 1,73 de altura, cabelos curtos castanhos, mas volumosos, olhos castanho claro cor de mel, seios fartos, bumbum proporcional, coxas grossas, boca carnuda… e outros pequenos detalhes mais picantes, como da minha “pequena”, que já deixaram ele aceso do outro lado da tela.

Pediu fotos, mas relutei no primeiro instante. Dei a desculpa de que eu sairia no prejuízo já que ele não mandaria nenhuma foto. No mesmo instante ele me perguntou se aceitaria vê-lo na web cam e quem sabe fazermos algo mais interessante. Fiquei logo tentada com a proposta e como não tinha em meu computador algumas fotos mais ousadas como a situação exigia, me dediquei por alguns minutos a tirar algumas fotinhos. Ficaram boas até… Umas simples, outras um pouco mais calientes para fazermos a nossa troca.

Assim que disse a ele que já tinha as fotos em mãos ele me enviou o convite da cam e aceitei. Ficamos por mais algum tempo teclando e eu vendo apenas seu peitoral, que é do jeitinho que gosto, branquinho e gostoso. Não demorou a pedir a primeira foto. Retruquei que mandaria aos poucos pra ficar mais interessante nossa brincadeira.

Compartilhei uma foto de meus seios, usando um lingerie vermelha bem trabalhada em renda e que deixava meus seios ainda mais apetitosos e fartos. Logo me encheu de elogios, dizia que eram lindos, mas que ainda preferia sem o sutiã. Queria outra foto assim, pois a imaginação o deixou atordoado.

Fiz sua vontade e mandei a foto sem sutiã, com os seios bem a mostra. Segurava-os bem juntinhos, arrebitados, como se estivesse entregando em sua boca ou convidando para uma “espanhola”… Os biquinhos estavam bem ouriçados de tesão por nossa conversa no MSN.

Não estava contente com essas duas fotos. Pediu-me que mostrasse outras, queria muito mais de mim. Fiz um pouquinho de charme, o famoso “doce” das mulheres. Disse que queria vê-lo também, pois já não aguentava mais de tanta vontade.

Eu já imaginava tão gostoso, tão duro, mas é lógico que pela menina ingênua, casta, boazinha que sou não disse a ele nessas palavras.

Ele tão dono da situação, com “O PODER NAS MÃOS”, por assim dizer, logo foi falando que sabia o que eu queria, que daria tudo do jeito que eu fantasiava e ainda poderia ficar surpresa com o “presentinho”. Safado! Cachorro! Nem tinha falado nada. A situação estava óbvia!

Queria mesmo era senti-lo de verdade, dentro de mim quentinho… E o maldito falando que iria mostrar no tempo certo se eu fosse boazinha com ele. Ah… Aquele papo me fazia derramar de excitação. Falamos mais algumas besteirinhas e logo compartilhei uma foto com ele. Dessa vez era o meu bumbum.

Ficou de boca aberta e de p…duro. Parabenizou diversas vezes o meu traseiro. Logo me mostrou aquele volume por dentro de sua calça de moletom azul. Sabia que fez aquilo apenas por charme, pra me deixar querendo mais. Já tinha notado o movimento de seu braço, de seu ombro, que deixavam evidente o que ele há muito tempo fazia. Fiquei com água na boca.

Por ultimo mostrei a ultima e mais importante foto que eu havia tirado especialmente para aquele momento. Era dela, abertinha pra ele, dava pra ver a minha entradinha do prazer direitinho, rosadinha e minando de tesão por aquele homem desconhecido.

Ficou deliciado pela foto! Falava palavras extremamente excitantes e me convidou a assistir a outra coisa. Abaixou a webcam, descendo o foco à sua cintura. Enquanto ele descia, um pequeno arrepio percorria meu dorso, já sabia do que se tratava. Tirou aquele membro duro e rijo pra fora da calça, a apesar de preparada, me espantei um instante. Era tão branco e a cabecinha tão rosadinha, bem como gosto de ver, que não resisti e comecei a me tocar, assim como ele.

Cada um em sua casa, já sem roupas e me tocando, deliciada por estar vivendo aquele momento. Digitava coisas extremamente gostosas enquanto realizava movimentos de sobe e desce naquele p…gostoso. Daqui brincava sozinha com minha rosinha e o excitava com uma conversinha sacana, cheia de prazer e sugestões de como eu faria gostoso pra ele.

Quando indicou que estava perto do êxtase, caprichei em minhas palavras, pois desejava desde mais cedo assistir àquela cena, sentir aquele clímax e vê-lo esguichando na frente da cam como se fosse a minha cara.

E veio… Chegou… Vi-o gozando, se estremecendo todo, se contorcendo de excitação, de prazer e todo aquele líquido branquinho em um pequenino paninho, com gotinhas até em sua mesinha do PC e no teclado.

Ri sozinha em casa, por ver as reações dele, por toda aquela ousadia e ao mesmo tempo me senti realizada por vê-lo daquele jeito por minhas palavras (e pelas fotos é claro). Saiu para se limpar e voltou pedindo desculpas pelas reações. Explicou que sempre ficava assim quando chegava ao êxtase do prazer, que é sempre daquele jeito quando é tão intenso. Rebati dizendo que ao vivo deveria ser mais intenso e gostoso. Ele, fraco do outro lado da tela, se segurando e estremecendo vez ou outra, somente assentiu com a cabeça. Desejei por aquele homem mais do que nunca.

Madrugada alta… Depois de alguns minutos se recuperando disse que se levantava muito cedo para o trabalho. Precisava dormir e descansar. Despedimo-nos e desde então sempre o via online, mas nunca nos falávamos.

Até que certo dia eu resolvi puxar papo com ele na intenção de saber a razão do sumiço, porque não me convidava mais à conversa… Certas coisas são únicas! Apenas aquele momento e nada mais. Guardei de lembrança as delícias daquele sexo virtual.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail