Comendo a Amiga mal casada

Sou o Paulo 35 anos 90kg pele branca cabelo preto e curto, barba por fazer mas amparada, sou um cara desenrolado e legal sei conversar com todos, sou casado e trago todos os proventos do lar a 10 anos, minha esposa, ela não trabalha, vive em casa reclamando e fazendo contas a única coisa que reconheço é cuidar da nossa filha.
Pois bem o fato que ela vive reclamando e temos um casal amigo nosso, que digamos de passagem é amiga dela de longa data e automaticamente virou nossos amigos.
Sua amiga se chama Lucia, 28 anos casada e com 4 filhas, uma loira muito bonita, e apesar de 4 gestações ainda tem um corpo muito bonito.

Mas os fato que Luci era muito mal casada pois seu marido não deixava dinheiro pra ela em casa Fazendo de muitas vezes ela não tivesse pão para tomar café, ele era um homem muito machista, mas era tudo para ser conveniente para ele por exemplo quanto ela trabalhava ele botava ela em obrigação de pagar as contas da casa fazendo com que muitas vezes ela ficasse sem dinheiro.
Outra coisa também que era muito ruim para ela em seu relacionamento, ele nunca saía com ela alegando que as filhas não se comportavam muitas vezes ele só dizia para ela que só ia abastecer e voltava e às 7 horas da manhã bêbado final de semana.

Sexshop

Ela era muito mal casada se não fosse a sua mãe muitas vezes a comprar roupas para ela só andaria com trapos.
Quando eu e minha esposa íamos visitar, ela estava sempre limpando lavando roupa sempre envolta das crianças e ele estava sempre sentado olhando televisão ou tomando uma cerveja uma vez o seu telefone estragou e ela ficou 6 meses até a sua mãe mandar arrumar, nós dizemos que a Luci vivia em um mundo à parte ela era uma mulher do tempo antigo.
Eu por outro lado casado com minha esposa tinha uma pessoa parceira para tudo, porém na relação sexual era só o papai e mamãe e 20 minutos, pois ela se cansava não acreditava que uma mulher pudesse não ter mais prazer, perguntava para ela se ela não tinha mais tesão em mim ela dizia que não era isso, coloquei aplicativo espião no celular dela pois cheguei à conclusão que ela deveria ter um amante para ter perdido a vontade do apetite sexual em mim, mas não ela não tinha, outro fato é que minha esposa que gastava todo dinheiro e sempre colocava a culpa em mim por não ter dinheiro, eu só não tinha separado por causa do meu filho e sei que seria muito ruim para ele se ela tivesse que voltar a morar com os seus avós junto com sua mãe, mas na cabeça dela ela acha que eu irei pagar um aluguel água luz internet e mais uma pensão para o filho ou seja ela queria ter todo o conforto da vida de casada sem nenhuma obrigação.

 

Inclusive eu ficava um mês sem sexo implorando igual adolescente e não adiantava eu me impor ela perguntava se eu iria estuprar ela pois só faltava isso de tanta insistência juntando tudo isso vinha o fato da amiga dela estar mal casada e muitas vezes eu dizia dizia você merece o marido igual o Ramon e ela dizia a Lúcia é boba a casa com ele.
Uma vez o Ramon teve no meu serviço e como sempre reclamando de Luci sua esposa, dizia que ela era louca que reclamava de tudo e que ele não aguentava mais, ainda me contou sobre uma pulada de cerca que ele tinha dado final de semana, eu apenas ouvia, mas me preocupei pois ele disse que Luci falou que tinha vontade de morrer que iria se matar.

 

 

 

Quero dizer que nunca trai minha esposa e nunca pensei em ter algo com Luci, Mas fiquei preocupado como amigo pois sabemos que Depressão é coisa séria e na situação que ela vivia, ela era bem dizer uma empregadinha 24h do marido e sem direito a folga e salario, Quando estava com o Ramon percebi de como ele era Ruim pra ele e dei minha opinião de modo discreto mas percebi que ele não iria mudar de ideia, quando cheguei em casa falei para minha esposa fazer uma visita para Luci, mas ela disse que não queria, comentamos sobre o casamento dela e relembramos todas as vezes que ele saiu de carro e deixou ela na casa da mãe, ou sogra, em fim deixava ela de apé com 4 filhas.
Passaram-se dois dias e Ramon apareceu de novo no serviço dizendo que tinha brigado com a esposa e que hoje ele ia fazer uma festinha com o primo dele perguntei como estava a Luci e as filhas ela reclamou dela disse que ela estava louca como sempre inclusive comentou que ela tinha pedido pão para tomar café e ele disse que já voltava mas que só ia voltar amanhã.

 

Enquanto ele estava falando comigo chamei ela no WhatsApp e perguntei como estava as coisas, dando margem para ela me falar e ela deslanchou, me contou que tinha acontecido que ele tinha deixado ela de pé na casa da mãe dela que ela recém tinha chegado em casa que tinha pedido para ele buscar pão ele saiu e não voltou mais, e ela percebeu que ele levou roupas e tinha tomado banho .
Que ele tinha saído tinha deixado ela de a pé mais uma vez que ela tinha pedido o pão para nós tomar café inclusive ela disse coisas horríveis que tinha vontade de ser matar senti vontade de desaparecer, eu fiquei muito consternado com as palavras dela e disse que ela não estava sozinha que nós víamos as coisas que acontecia só que é complicado se meter na relação dos outros mas que nós víamos tudo isso que acontecia, que sabia que ela se sentia desvalorizada, sem apoio, que sabia que ela se sentia apenas um objeto falei isso para ela que eu me sentia do mesmo modo pois eu estava sempre insistindo para minha esposa fazer algum curso, investir nela e ela dizia que estava sempre com preguiça, estava sempre dando coisas para minha esposa, não negava nada para ela inclusive deixava o carro em casa e ia para o trabalho de moto pois ela poderia precisar de carro e muitas vezes no meio da tarde de trabalho se eu iria sair para rua eu passava comprava pão comprava coisas gostosas na padaria e levava para ela sempre pensei no bem dela.

 

Ela falou que via tudo isso e sabia que eu era um cara família gente boa que nunca parou em um bar para tomar uma cerveja antes de ir para casa depois do trabalho estava sempre fazendo coisas para família que eu era o cara certo e que ela via e sabia que a minha esposa reclamava de mim de barriga cheia.
Eu ainda falei ainda bem que há pelo menos alguma pessoa reconhecia o meu valor já que não era valorizado pela minha esposa, ela disse que todos reconheciam e ficavam todos apavorados que como a minha esposa reclamava de mim e todo mundo falava que ela não sabia o que ara está casada com um cara ruim e que a mãe dela as outras amigas todo mundo falava que eu não era apenas do marido mas era um amigo e um parceiro dela aquilo inflou o meu ego de uma maneira que é muito tempo não acontecia.

 

e como somos amigos de longa data eu sou um cara muito deslocado sou educado sei conversar mas entre meus amigos eu falo muito palavrão e sou muito sincero levando a isso eu disse a ela que muitas vezes eu chegava em casa e preparava algo para mim comer pois a minha esposa estava no sofá e não tinha aquela preocupação de me esperar com algo pronto, ou eu chegava em casa e ainda tinha que lavar a minha roupa nunca me importei nunca reclamei da limpeza nunca reclamei da comida mas me sentia uma ferramenta que servia apenas para dar conforto para ela e disse que não era só no dia a dia do comportamento era no sexo agora vai a conversa que tivemos .
Eu: Quando fazemos sexo uma vez a cada 30 dias depois de insistir muito é 20 minutos ela gozava duas vezes e nem se importava se eu gozei ou não, já quer parar para descansar porque está cansada, só vaginal pois ela adorava fazer anal e oral mas faz muito tempo que não faz, já faz oito meses que não tenho sexo anal e faz seis meses que não fazemos sexo oral.

A minha surpresa foi tanta quando ela respondeu assim.
Luci: Pobre homem como tu aguenta?
Confesso que eu falei isso para ela sem pensar, pois estava muito enraivado e ao mesmo tempo estava com pena dela e em um excesso de sinceridade falei todos esses detalhes mas quando ela falou o pobre homem como tu aguenta me veio um milhão de pensamentos loucos na cabeça.
Ai eu segui:
Eu: você tem esse problema com o Ramon?
Luci: Por causa das crianças é uma vez por semana, prefiro fazer uma fez por semana bem feito doquie 20 minutos todos os dias, mas quando fizemos é completo.
Eu já gostando do assunto prossegui.
Eu: Mas vc faz porque gosta, não é?
Luci: Anal não curto muito, mas faço pra agradar, e eu tenho que estar sempre linda e fazer caras lindas ai de mim se fizer cara de não querer, ele fica bravo.
Eu: Você faz anal e não gosta e finge gostar?
Luci: Não gosto muito.
Eu: Mas você gosa fazendo anal?
Luci: Sim mas tenho que tá com muita vontade, mas sempre faço mesmo sem vontade.
Eu: Pois sé tu faz tudo isso e minha esposa que sempre gostou sempre goza na bundinha mas não faz por preguiça, muitas vezes ela goza uma duas vezes e eu tenho que acabar batendo uma punheta, pois ela fica me perguntando se falta muito pra acabar eu acabo dizendo que deu e pronto vou pro banho batendo uma punheta.
Luci: Ela reclama de barriga cheia e não custa nada fazer uma vez na semana bem feito pra ti, poxa você é um cara bem família, eu tive que sair do emprego pois ele não quer que eu coloque as gurias na creche e você ta sempre dando força pra ela trabalhar, ela não sabe a sorte que tem.
Eu: Pois sé, casamos errados, queria que ela tivesse a mesma tua cabeça eu acho que eu teria mais apoio e companheirismo.
Luci: Quem me dera o Ramon tivesse metade da tua cabeça.
Eu já gostando do rumo .
Eu: Já pensou se fossemos nós o casal acha que nossas vidas seriam melhores, pois ela merece um marido igual o Ramon.
Luci: Já pensei sobre isso.
Eu: Como assim já se imaginou no lugar dela?
Luci: Já sim.
Eu: E foi bom? Seriamos muito companheiros e teríamos o apoio um do outro.
Luci: Não tenho duvidas quanto a isso.
Eu: E acho que nos daríamos bem no sexo, sendo que vc faz tudo, mesmo que seja só por agradar, embora eu tenha outros fetiches mas acho que vc iria ser parceira pra isso.
Luci: Não tenho duvida quanto a isso:
Eu: Mas sabe que sou tarado e eu não iria deixar escapar teu cuzinho.
Luci: Mas ai jé é demais.
Eu: Mas você não faz pra ele? Que custa fazer pra mim que seria um marido tão parceiro, não é.
Luci: aiaiaiai.
Eu: Ou vc iria querer tocar o sexo anal pelo oral?
Luci: Ia sim.
Eu: Trocavas de boas, já que não ganho nem isso, ia me satisfazer com oral uma vez por dia e anal uma por semana.
A conversa se resumiu a isso naquele dia, mas passou dois dias e eu puxei assunto novamente.
Eu: Bom dia
Eu: Achei a solução pra meu problema de não ter carinho da minha nobre esposa, achei uma massagista na cidade , vou fazer uma massagem pois assim terei uma mão feminina passando pelo meu corpo.
40 minutos depois
Luci: Bom dia, vi agora, muito sem graça,
Eu : Fazer oque, seria bom uma massagem tântrica mas não conheço quem faça, você sabe como é?
Luci: Não sei mas acho que deve ser sexo?
Eu: R$ 50,00 a mulher faz massagem no homem de depois bate uma punheta pra ele e ele sai relaxado.
Luci: kkk, mas isso é programa então.
Eu: Não, é uma massagem com algo mais, tipo se eu for no hospital e tiver que por sonda a enfermeira vai pegar na minha pika e vai por a sonda e nessa manipulada eu posso ficar excitado e meu corpo pode ter reação.
Luci: Qualquer dia eu vou fazer massagem então pois pedi pro Ramon dinheiro pra comprar absorvente e nem, isso ele me deixou, to com uma raiva dele.
Eu: Quer que eu mande entregar pra vc ai?
Luci: Não pois ele pode descobri.
Eu: Mas em fim, vou fazer uma massagem normal mesmo.
Luci: Ai, somos tão amigos , se não fossemos casados com amigos eu fazia pra vc mesmo com vergonha mas fazia, só pra ajudar e eu ter um dinheiro.
Eu: tá falando sério?
Luci: Na amizade né, não é sexo é tipo um consulta médica.
Eu: Desse jeito eu vou ficar atentado e vou arrumar um vaga de emprego aqui junto comigo e vou convencer o Ramon que vc precisa trabalhar pra não ter energia em casa pra reclamar das coisas kkkk ( já tinha pensado nisso)
Luci: Sério, nossa eu ficaria imensamente feliz, nem saberia como agradecer, ia ter meu dinheiro e iria ver um pouco de gente, nossa só a ideia me deixaria feliz, nem saberia como agradecer.
Eu: Já que somos amigos eu faria e teria o imenso prazer em ajudar, e não poderia pensar outra coisa depois de eu ter ficado atentado por vc, em fazer a massagem.
Luci: Aé tinha me esquecido, mas falando como amigos, e no ponto de vista médico, ai somos tão deixados de lados em nossos casamentos que eu não me importaria, bha cara tu é tratado como um empregado por ela, e eu não sou reconhecida pelo Ramon.
Eu: Não quiz falar antes mas para o Ramon vc não é mais que uma empregadinha 24h que ele come quando quer e não precisa pagar salario.
Luci: È triste mas é verdade.
Eu: Você me ajudaria um monte fazendo a massagem, e acho que vc se sentiria menos usada e teria teu dinheiro pelo menos ele não precisa saber né.
Passou dois dias e ela veio “ Ver o serviço onde trabalho, e eu comecei a me queixar de aminha esposa de modo que eu disse que ia acabar traindo ela e ela ficou preocupada disse que eu não devia fazer isso, pois seria o fim e eu ia ficar longe do meu filho, ela disse que também tinha brigado com o Ramon e se demonstrou furiosa, mas não passou disso naquele dia.
Passou uns dias minha esposa foi viajar meio que de ultima hora, e era um final de semana ela foi pra casa da irmã dela no estado vizinho. Eu em casa de boas viajando nos meus pensamentos, quando vejo os stories de Ramon tomando umas e outras em uma casa que não era a casa dele.
Esperei, mandei uma figurinha para Luci, ela respondeu com kkk, eu perguntei como estavam as coisas ela disse que estava bem estressada e perguntou como estavam nós, eu disse que por casa assim ela pensaria que minha esposa estava aqui, ela não deu entrada e disse que estava esperando o Ramon pra jantar, eu então me fiz de surpreso e perguntei se ela não quis sair com ele e mandei o pint. do Stories, ela ficou furiosa, eu pedi pra ela não falar nada pra ele pois ela era bloqueada nos stories dele e saberia que outra pessoa ia falar, ela ficou muito triste e disse que estava de a pé, eu perguntei se ela queria vir pra casa conversar com amigos( no plural hehehehe) ela disse que ia vir de Uber pois estava pensando em fazer bobagem.
Quando ela chegou com as crianças ela se surpreendeu em saber que estava só eu, e ficou meio assim pra ficar com medo do que iam pensar, eu disse pra ela ficar pois era só não contar, ela desceu e ficamos conversando outros assuntos , até as gurias dormir, quando elas dormiram, essa mulher na primeira pergunta que fiz sobre a vida de casada, ela desabou a chorar, ela chorou feito uma louca, eu fiquei muito triste e na hora até meu tesão passou, eu abracei ela e disse que ela não precisava ficar assim , que pelo menos eu sabia de tudo que ela passa, ela chorou e disse que até a mão dela diz que é frescura dela, que ela tem que aguentar pois tem 4 filhas e homem nenhum quer mulher com crias, eu disse que ela não deveria dar ouvidos pra isso , que ela só precisava de um pouco de carinho e atenção, ai sim que ela chorou mais ainda, eu deitei ela no sofá, e fiquei de conchinha com ela não sei se ela não notou mas ficou uns 15 minutos chorando ai começou a falar um monte de coisas, que ela fazia isso aquilo, que não era valorizada, falou por mais 15 minutos chorando até que falou que faz tudo que ela pede, ai ela parou e me perguntou se eu também não estava muito feliz, eu disse que aquela coisa, que fazia 7 meses sem um boquete e uns 9 sem um anal , ela me olhou e perguntou como eu aguentava eu disse que só na punheta, ela então me olhou nos fundos dos olhos e perguntou se a massagem ajudaria, porque eu estava ajudando ela um monte ouvindo ela e sendo amigo dela, eu quase pulando de alegria disse que sim, ela disse para eu ajeitar tudo, e prontamente estava eu se cueca deitado de bruços e ela me massageando, depois eu fiquei de barriga pra cima e ela me massageou, eu disse que estava na hora de relaxar, ela então se afastou e eu tirei a cueca, ela veio e Bateu uma punheta pra mim que gozei em minutos, mas continuei coma pika dura, ela se assustou com o monte de esperma que saiu.
Ela logo perguntou se deu, eu disse que ainda tinha pike, ela respondeu eita, eu disse que era vez dela relaxar mas antes de eu me mexer, ela saiu bem assustada e disse que não íamos passar disso, eu falei pra ela relaxar que só ia fazer uma massagem nela, que não ia penetra nela nem algo do tipo que ela ia relaxar, só pedi pra ela tirar a blusa e ficar de calcinha, ela disse que de calcinha não, então peguei um short de lycra da esposa e dei pra ela.
Massageei ela na sofa de bruços e de frente, e aos poucos fui passando não perto da buceta dela mas toda vez que eu tentava ela voltava do transe dela e dizia que não, eu só fiquei nas áreas próximas e seios, quando ela estava bem relaxada, mordendo os lábios, eu sentei no sofá e pedi pra ela sentar no meu colo com as pernas abertas de costas pra mim, ela fez isso e eu fiquei massageando ela mas conduzindo ela a sarrar na minha pika que estava dura, e lembrando que eu tava de cueca, ela começou a sarrar cada vez mais forte, e eu comecei a sussurrar nos pescoço dela que ela era um garota incrível que cuidada das filhas dela uma batalhadora que agora estava tendo um pouco de carinho e que merecia isso todos os dias.
Fiz isso até ela cavalgar com força na sarrada, ela gozou e eu também na cueca, ela ficou no sofá meio que desmaiada, e eu fiquei pensando será que eu tento algo ou deixo ela se acostumar com a ideia, fui tomar um banho e ficar limpo vá que role um boquete, né?
Quando voltei-a tava de blusa e dormindo, assim ela ficou por uma hora, a acordou foi no banheiro, e voltou conversando como se nada tivesse acontecido, ela jantou as gurias foram acordando e ela pediu um taxi e saiu, antes dela sair, eu de dinheiro pra ela ela não aceitou e disse que eu pagasse o uber então, eu fiz.
No próximo conto eu digo como aconteceu dela chupar.

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.