Uma DP inesquecível

Como descrito no meu primeiro conto (primeira vez virtual), sou branquinha, cabelos longos e castanhos,1,58 de altura, 49 Kg, olhos castanhos, peitos médios e bunda pequena.
Depois do meu sexo virtual, comecei a me imaginar em algumas situações, e uma delas foi ser garota de programa. Coincidentemente, Bruno, meu companheiro de fantasias e de sexo, me ligou falando que tem um amigo e que gostaria muito de me apresentar. Aceitei encontrá-los a noite por volta das 20:00.

LibidGel

No fim da tarde, umas 18:30, fui tomar um banho, e entre pensamentos e fantasias acabei com dois dedos na minha bucetinha imaginando como seria o tal amigo… gozei depois de um tempo me tocando no chuveiro. Terminei o banho e secar o cabelo. Para a noite, escolhi um vestido discreto e elegante, beje, com um grande decote nas costas, um decote em V que realça meus seios, um salto bem alto (como sou baixinha posso abusar dele e ainda não ficar grande) e decidi dispensar a calcinha, queria estar livre.

Chegando no lugar combinado encontrei Bruno e seu amigo, que aqui irei chamar por Victor, um homem de uns 40 e poucos anos, sério, alto, usando uma roupa social (imaginei que estivesse saido do trabalho direto para nos encontrar). Cumprimentei os dois educadamente com um beijinho no rosto e não pude deixar de reparar no perfume delicioso de Victor (adoro homens cheirosos) o que já me deixou excitada. Escolhemos uma mesa mais ao fundo do restaurante, um ambiente reservado, com poucas pessoas circulando, propício para provocações. Comecei tomando uns drinks e logo logo já estava mais do que solta. Sempre que me dirigia ao Victor, mordia o lábios, olhava de uma forma bem sensual, as vezes no cruzar e descruzar as pernas e passava meu pé sobre sua perna. Percebi que aquilo o excitava e resolvi ousar mais, pedi ao Bruno que fosse atras do garçom pedir mais um drink, ele, como um bom amigo, entendeu o recado, saiu e nos deixou a sós. Voltei minha atenção para Victor que já estava mais do que aparente seu desejo por mim e lhe disse o quanto estava sentindo calor, apesar de estar sem roupa alguma por baixo do vestido. Ele sorriu maliciosamente e disse que poderia me ajudar a resolver meu problema, mas teriamos que saír dali. Quando Bruno voltou, pedimos a conta e saímos do restaurante em direção ao carro de Bruno, que foi dirigindo e eu e Victor ficamos atras. Victor e eu começamos a nos beijar e sem nenhuma cerimônia, em poucos minutos eu já estava sem meu vestido, completamente nua na frente daquele homem que acabara de conhecer. Enquanto ele chupava meus seios, eu desabotoei sua calça e coloquei seu pau pra fora, começando um vai e vem que o fazia gemer. Na parte da frente, Bruno observava tudo, e as vezes passava a mão pelo seu cacete que já se mostrava completamente duro pelo volume enorme da calça. De repente entramos e paramos em uma rua sem saída e bem mal iluminad e mais que depressa Bruno pulou para o banco de trás reclamando sua participação na brincadeira…
Comecei chupando o pau de Victor que era grosso e grande (uns 18 cm), enquanto Bruno tirava o dele para fora. Chupava deliciosamente, enquanto eles passavam a mão por todo meu corpo, acariciando meus peitos, bunda, as vezes tocavam e massageavam meu clitóris o que me fazia gemer entre uma lambida e outra. Bruno pediu para que eu chupasse o dele também (que é delicioso, diga-se de passagem), porque ele adora o boquete que faço, me virei para ele deixando a disposição de Victor minha bucetinha, que logo entendeu o recado e já foi metendo sem cerimônia. Ficamos assim por alguns minutos, Victor comendo minha bucetinha e Bruno recebendo um boquete. Decidimos trocar de posição e fazer uma DP, Bruno se sentou no banco e encaixei perfeitamente minha bucetinha no seu pau delicioso, enquanto Victor veio por trás, encaixando seu cacete no meu cuzinho. Pedi para que fosse devagar, e ele gentilmente colocou a cabecinha na portinha do meu cuzinho e ficou pincelando até que consegui colocar toda cabecinha dentro. Como estava com muito tesão e muito relaxada pelos drinks que tomei, não foi nada difícil colocar todo pau dentro do meu cuzinho. Começamos uma putaria sem fim. Eu repolava no pau dos homens, que me chamavam de putinha, vadia, safada, falavam o tanto que eu era gostosa e sem vergonha por estar dando para dois ao mesmo tempo. A cada palavra ficava com ainda mais tesão e pedia para que eles me fodessem sem dó, mais forte e mais rápido. Safados como são, atenderam meu pedido sem pensar duas vezes, e a cada bombada, na minha bucetinha e no meu cuzinho, sentia meu gozo chegar, cada vez mais perto e mais intenso. Gozei soltando gemidos e gritos de prazer como jamais tive. Bruno me segurou para que os dois continuassem a me comendo. Me comeram por mais alguns minutos, até que senti o jato quente de porra dentro dos meus dois buraquinhos e o pau dos dois latejando dentro deles.
Sairam de dentro de mim, vestiram suas roupas e me ajudaram a colocar meu vestido. Estava exausta mas completamente satisfeita e preenchida de prazer. Voltei pra casa deitada no colo de Victor, que se despediu de mim com um beijo e com a promessa de nos vermos novamente para repetir a dose…

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.