Transei com meu irmão e minha melhor amiga

Já estava entediada, o sexo de vez em quando com o Rafa estava morno e ele dava mais atenção as ficantes do bairro. Num dia qualquer, no trabalho, tenho a ideia de propor algo diferente com ele, sei lá, uma casa de suingue, uma praia, uma dupla penetração com o amigo dele, Edu, um negro gostoso com uma anaconda apetitosa, como eu sei? Isso é pra outro conto rsrsrs.

 

Enfim, na mesma noite vou à casa da minha amiga Bárbara, a Baby do conto anterior, e desabafo com ela. Ela automaticamente tem um estalo mental:

– Porque tu não propõe um ménage comigo Kell? Eu sempre quis dar uns pegas no Rafa.

– Tu toparia? Eu ia amar.

– Claro! Vai ser incrível.

Ela suspira só imaginando como seria essa foda. Eu tomo a frente e na sexta pela manhã, dou uma desculpa pra faltar o trabalho, meu gerente muito compreensível concordou contanto que eu dobrasse na segunda. Acertei tudo e fiquei no quarto até 9 horas, horário que o Rafa, provavelmente, acordaria. Baby chegou cedo e ficamos deitadas assistindo Netflix esperando ele.

Quando dá 9:20, mais ou menos, ele levanta, passa direto pro banheiro depois pra cozinha, tomar café. Decidimos terminar de ver o filme enquanto ele termina de acordar.

Nós duas percebemos que ele não sabia que estávamos lá, pois andava pela casa somente de cueca. Notamos quando ele passou pela porta do meu quarto sem nem olhar pra dentro, ficamos debaixo das cobertas e com as cortinas fechadas. Rafa, então, vai pro próprio quarto. É hora de agir.

Vestimos apenas uma blusa grande, cada uma, que chegava até metade da coxa. Fomos até o quarto dele e olhamos pela fresta da porta entreaberta, Rafa estava na cama, com a cueca abaixada, de fones de ouvido e assistindo um vídeo no celular ao mesmo tempo em que se masturbava lentamente. Aquela visão foi uma tentação, eu mordi meus lábios e Baby passou a mão na bucetinha. Eu me viro pra ela e sinalizo, vamos entrar. Escancaro a porta e ele leva um baita susto que deixa o celular cair na cama. Ele ficou vermelho, não por mim, mas por Baby.

– Que porra é essa Kelly? Puta que pariu. Quase me matou de susto.

– Calma maninho. Só queremos participar do que cê tá fazendo rsrsrsrs

– Cês são doidas. Não tem nada aqui pra nenhuma.

Nós já estamos subindo na cama, como duas gatas. Baby investe, levanta a aba da blusa revelando a buceta raspadinha e pretinha que tem.

– Olha pra isso Rafa, ela precisa de um trato.

Uma negra daquela, resistir era impossível. Ela tira a blusa expondo seus atributos. Seu corpo é magrinho, cabelo crespo e black, peitos redondos de tamanho médio, uma tatoo do lado da barriga, um piercing no umbigo, uma bunda magra com uma tatoo logo acima, olhos negros e marcantes. Um mulherão da porra.

Rafa baba olhando ela e se aproxima a puxando pelo pescoço e dando um beijo inenarrável. A cueca, os fones e o celular já estão jogados pelo quarto. Ela o abraça e faz questão de apertar sua bunda. Eu me deito de lado pra observar melhor. Eles se beijam loucamente, passando as mãos por toda extensão de seus corpos nus. São café com leite, suas cores de pele se contrastam. Ele chupa os peitos dela circulando a língua nos biquinhos. Ela o arranha, as marcas ficam visíveis num instante. Eu passo a mão na buceta, também lisinha, porém gordinha. Eles me olham e sorriem, eu vou até lá, ele tira minha blusa e ela já me dá uma chupada na língua.

Agora foi a vez de Rafa me beijar e Baby lamber meus peitos, hoje eles são maiores que os dela, dado minha gordura. Mas não deixam de ser gostosos. Eu fico de costas pra Rafa e me agarro com Baby. Ele me abraça roçando o pau duro na minha bunda, eu esfrego a buceta dela e ela a minha. Mas o objetivo era transar com o Rafa, então, o derrubamos na cama de barriga pra cima e nos revezamos chupando aquela rola gostosa.

Eu lambia um lado e Baby o outro encontrando nossas bocas na cabeça, nos beijamos com a rola no meio. Ela chupava o saco dele e eu engoli o pau todo. Eu fiz uma gargantinha profunda, tirei da goela e dei um cuspe cheio de baba na rola, ela dá uma sugada tesuda na cabeça que limpa tudo. Porra! Deu um trabalho pra deixar lubrificada e aquela puta limpa rsrsrs

Ele está revirando os olhos, no paraíso com duas vadias o chupando. Eu a deixo dando um trato no pau do Rafa e vou beijá-lo. Coloco meus peitos na cara dele, sufocando um pouco o meu irmão safado. Ele adora. Baby está mamando nele, mas de repente sinto seu dedo na minha buceta, como estou de costa pra ela, quase de quatro, fiquei com o rabo bem na sua cara. Ela massageia e enfia dois dedos na xana e não para de chupar e punhetar meu irmão.

Eu já estou encharcada com mel de buceta, quando Rafa me puxa pra chupá-la. Eu me acocoro na sua cara e posiciono na sua boca. Ele lambe, mordisca, puxa o grelo, enfia a língua, faz o estrago. Eu só sento e rebolo. Quando olho pra Bárbara, ela já pôs uma camisinha nele e cavalga louca na piroca do meu irmão. Eu fico com inveja e com um pouco de ciúmes, ele era só meu antes, agora ela está roubando meu homem. Mas o sentimento passa logo, ver meu irmão, um cara que eu amo incondicionalmente, transando com minha melhor amiga da vida toda, é incrível, não deixa espaço pra essas sensações.

Eu saio de cima dele e passo a ficar olhando os dois como antes. Ela geme muito enquanto cavalga, fala coisas ininteligíveis, ele fala putarias, eu incentivo. Desço mais no colchão e mordo a bunda dela, aliso o saco dele.

– Ahhh gostoso, mete fundo em mim, me faz gozar. Hummm – Ela fala.

– Tá gostando minha puta? Toma rola nessa buceta vadia. Humm que delícia essa buceta – Ele diz pra ela.

– Quero ver vocês gozarem viu!? – Falo e a beijo.

Ele fica sentado e ela ainda se esfregando nele com o pau na xota. Eu estou abraçada nela por trás e apertando seus peitos ao mesmo tempo em que beijo o Rafa. Ela grita e aumenta o ritmo.

– AI! VOU GOZAR, VOU GOZAR. SOCA MAIS RAFA. ME COME, ME COME. HUMMM, AHHH

Ela goza lindamente no colo dele. Aí tira a rola de dentro e eu dou umas tapinhas na sua buceta, ela cai pra trás rápido e abre as pernas, Rafa se joga de boca na buceta dela e eu vou chupar meu irmão. Capricho na mamada. Quero enfiar sem camisinha. Ele fica de pé e eu não largo da piroca nem por um segundo. Ele fode minha boca olhando nos meus olhos e eu engulo até o fundo da garganta, Baby só nos olha batendo uma siririca. Ele afasta minha cabeça, me põe de quatro, e me come apertando e estapeando minha bunda, deixando-a vermelha. Bárbara se posiciona embaixo de mim pra fazer um 69, eu a chupo e ela me chupa, alternando entre minha xoxota e a rola do meu irmão.

Nessa posição, Rafa coloca os dedos no meu cuzinho enquanto fode minha buceta molhada.

– Ai caralho, amo te comer Kelly. Isso, rebola pra teu irmão putinha. Tua amiga vai te fazer gozar. Kkk

Baby, ouvindo isso, parece que adotou a ideia e coloca dois dedos na minha buceta, disputando lugar com a rola do meu irmão, chupa meu grelinho e mexe o rabo debaixo de mim. Rafa se curva nas minhas costas e apalpa meus peitos com força por trás. Eu não suporto e gozo. Nossa, que delícia. Molhei o pau do meu irmão e a cara da minha amiga. Eles riem e me dão tapas de aprovação.

Rafa ainda não gozou, então decidimos chupa-lo novamente pra ele se satisfazer. Ainda em pé, ele põe as mãos pra trás e nós batemos punheta juntas na sua rola. Chupei a cabecinha e Baby o saco, alternamos, cuspimos, mamamos fundo, engulhamos, eu lambi o pescoço dela por fora sentindo a ponta da piroca na garganta, ele endoidou quando viu isso e alertou que ia gozar.

Chupamos mais sua rola cheia de baba, até pingando no meus peitos. Ele geme, joga a cabeça pra trás e goza com força, saiu bastante leitinho grosso, melou nossas caras, bocas, cabelos, engolimos muita porra. Nos beijamos loucamente a três, com as boca cheia de esperma. E rimos com malícia. Rafa passou a mão na bunda de Baby.

– E esse cuzinho aí?

E ela responde.

– Hoje não bebê. Vou guardar pra você fode-lo mais tarde. Agora tô varada de fome kkkk

– Então vamos pedir uma pizza e tomar umas cervejas pra comemorar nossa foda a três. Kkkk – Sugeri.

Eles concordaram e fomos tomar banho pra almoçar, pois nessa brincadeira era quase 1 hora. Ainda nessa sexta Bárbara deixou Rafa comer seu cuzinho, eu também deixei (não era a primeira vez que ele comia). Mas essa história e aquela do Edu ficam pra os próximos contos. Beijos…

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.