Meu cunhado descobriu meu ponto fraco

Uns dois meses depois que casei, minha irmã nos convidou pra vir morar com ela em São José dos Campos. Ela morava sozinha numa casa grande, e ademais naquela cidadezinha meu maridinho nunca iria arrumar um serviço que nos proporcionasse bem-estar. Então a Marta se ofereceu para ajudá-lo a arrumar um emprego aqui.
Logo que chegamos a Marta arrumou um emprego pro meu marido, que teria que trabalhar das 14:00 hs as 22:00 hs. Como ela chegava em casa por volta das 17:30 hs, tínhamos muito tempo pra conversar. E foi numa destas conversas que ela me falou do Rafael, seu namorado. Oque eu pude entender desde o início é que, ele era um tremendo taradão e minha irmã por ser muito beata, não ia dar mole pra ele. Até que chegou o dia em que ela o convidou para nos apresentar.
A primeira impressão foi bem clara: ele era um cafajeste de primeira (no bom sentido). Tinha um jeito de comedor nato. Mas eu, é claro, me contive, porque não iria trair a minha irmã. Noutro dia enquanto conversávamos, ela me contou que ele parecia um cavalão. Primeiro porque não podia ver uma lomba, que já queria montar. Segundo porque, conforme ela demonstrou com as mãos, a verga dele era bem grande. Perguntei se ela já estava sendo montada por ele, e a resposta foi a de sempre: mulher direita não faz isso. E que sonhou a vida toda em casar vestida de branco (virgem). Argumentei que ela até podia casar virgem, mas também podia fazer uns boquetes pra ele e até dar a bunda, e continuar virgem. A resposta também foi a esperada. Me disse: “Voce tá acostumada a dar o cú desde menina, pra você é fácil! Só queria ver se fosse no pau dele! Aí eu queria ver se você aguentava aquele cavalão!!!”. Continue Lendo…