Suruba no feriadão com a priminha

Tenho uma prima que sempre foi um tesãozinho de garota ela é morena jambo, tem uma bundinha bem empinada, seios médios, cabelos lisos pretos e longos uma verdadeira indiazinha hoje ela tem 16 aninhos mas desde os treze ela vem se mostrando uma putinha. Um belo dia meu irmão chegou com uma cara de assustado me contando que a Karla minha prima tinha batido uma punheta nele, quando ele me contou fiquei com a mesma cara de assustado dele e perguntei como aconteceu, minha mãe tem um colégio e nos finais de semana a gente se reúne para bater uma bolinha de manhã cedo, quando foi a tarde que todos já estavam indo embora ela chamou meu irmão e falou que estava afim de ficar com ele, meu irmão que não dispensa nada ficou com a safada que na época só tinha 13 aninhos e ele tinha 20, estava rolando aquele amasso, a coisa esquentando ele tirou a blusa dela chupou os
peitinhos e quando meteu a mão na calcinha dela, ela falou que era virgem e que se tivesse de rolar algo não poderia ser ali e sim em um lugar muito especial, pois ela era apaixonada por ele e tava louca para perder o cabaço.
Nessa hora a consciência dele pesou, uma menina de 13 aninhos, sua prima, virgem, não podia fazer aquilo, só pediu para ela bater uma punheta nele e tb um tempo para pensar e saiu de lá pra me contar o acontecido.
Fiquei com aquilo na cabeça por um muito tempo, ele nunca teve coragem de tirar o cabaço da priminha pois meu tio é meio bruto e o otário morre de medo dele.
Mais num feriadão desses em que a família se reúne toda para passar no sitio de meu pai, tava todo mundo lá inclusive minha namorada, aquele sol, todo mundo na piscina algumas de minhas primas e tias pegando aquele bronze e em uma rodinha dentro da piscina estavam conversando ela a vadiazinha e algumas garotas fui ate lá para conferir o material pois tinha umas gostosas amigas de minha irmã na rodinha e aproveitar para tirar uma casquinha das gostosas, pedi para passar pois queria sair da piscina e ela falou brincando que não ia deixar agarrei a safada por trás e comecei com umas brincadeira inocentes mais ela foi alem disso e começou a empinar sua bunda, pressionando meu pau percebi e logo retribui o agrado e comecei a roçar meu pau em sua bundinha, a safada foi mais alem e me fez passar a maior vergonha olhou para as meninas e falou que eu a soltasse pois meu parceiro estava incomodando ela, para não ficar por baixo respondi que aquilo não era nem a metade e se não fosse minha namorada estar olhando pra gente eu a comeria ali mesmo dentro da piscina, ela olhou pra mim com uma cara e eu sai da piscina.
A noite chegou o pessoal começou a se recolher para os quartos e como de costume eu e meus primos mais velhos passamos a noite toda bebendo, se reuniu todo mundo na beira da piscina e ficamos conversando e bebendo muito, minha namorada que já não se agüentava em pé pediu para eu leva – la ao quarto pra dormir, ela estava tão bêbada que não quis nem dar umazinha, foi logo dormindo e eu fiquei na vontade pois a tarde na piscina me deixou louco de tesão apesar da vergonha que tinha passado. Voltei e a maioria já tinha ido dormir só ficou a vadia da minha prima, uma das colegas de minha irmã que estava naquela hora na piscina e dois primos meus. Papo vai e papo vem, mais bebidas e a vontade de foder com a priminha foi aumentado, comecei a lembrar do episodio que aconteceu com meu irmão e foi quando não agüentando mais e aproveitando que tava todo mundo embriagado eu comentei o que tinha acontecido para os meus dois primos na frente das duas, elas olharam para mim e começaram a rir, meu primo que já tinha comentado que tava afim de comer a amiga da minha irmã que vou chamar aqui de Renata perguntou se eu não tinha coragem de comer ela agora dentro da piscina já que todo muno tava dormindo e a piscina fica longe da casa, ninguém ia perceber. Então propus a todos entrarmos na piscina, assim que falei olhei para elas e falei, acho que ultrapassei os limites vai ver que as meninas não são o que a gente esta pensando, mais que nada, ela respondeu que esperasse um pouco pois ia colocar um biquíni e perguntou para a Renata se ela tb ia, a outra piranha se levantou e as duas foram em direção a casa para trocar de roupa.
Ficaram na piscina eu, meu primo Fabiano o que estava afim da Renata e o outro foi dormir pois estava achando perigoso demais, mais todos sabem que com o perigo é que as coisas ficam mais interessantes.Pulamos dentro da piscinas quando as duas chegaram, ela veio ate a mim e pediu para ir com calma pois ela não tinha experiência ainda, me agarrei com a vadia e falei no ouvido dela, se tivesse pedido pra mim naquele dia tinha perdido a virgindade a muito tempo e começamos a nos beijar loucamente ela mordia meu pescoço me apertava louca de tesão eu correspondia alisando sua boceta raspadinha, ela dava gemidos de prazer no meu ouvido e aquilo me deixava com mais vontade de rasgar aquela putinha, coloquei ela sentada na borda tirei a parte de baixo do biquíni e comecei a chupa-la com vontade ela gemia mais ainda, meu primo que nessa hora já estava montado na puta da Renata na escada, olhou pra gente e mandou karla gemer mais baixo pois os outros podiam escutar, a peguei nos braços e a levei tb para as escadas onde estava o outro casal coloquei ela com aquela bunda maravilhosa virada pra mim e comecei a meter com força ela gemia tanto ate que meu primo meteu a mão na boca dela, ela gemendo dizia que ia gozar eu e meu primo ficamos admirados com o desempenho da putinha eu falava essa puta disse que não tinha experiência, quando acabar com essa aqui eu quero trocar, dizia meu primo, ela virou pra mim e pediu pra chupar pois queria engolir minha porra todinha, atendi com todo prazer, a Renata não querendo ficar por baixo tb pediu pra chupar a do meu primo ele gozou tb na boca da vadia e eu ainda fui ate a Renata e pedi pra ela terminar de engolir a minha porra pois a Karla não engoliu tudo, ela não se fez de rogada e chupou o resto. Entrei na piscina um pouco ofegante a Karla veio atrás nos abraçamos ela falou no meu ouvido que tinha adorado o Fabiano veio ate nos e agarrou Karla por trás ela pediu para ele esperar um pouco, chamei a Renata e comecei a beijar o pescoço dela ela pegou no meu pau e começou a bater uma punheta, ficamos naquela se recuperando pra outra rodada quando a Karla se assustou pois alguém lá da casa estava vindo, nos vestimos bem rápido e esperamos para ver quem era.
Era meu primo veio avisar a Karla que minha tia tava atrás dela, ela me abraçou me agradeceu pela noite e falou que a outra rodada ficava pra outro dia dei um beijo nela e ela foi para a casa, só ficou a Renata e tivemos que nos virar com ela, mais ai é outra historia que depois eu conto.

 
Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.