Sobrinha me pegou no flagra e resolveu participar da putaria

Estava um calor muito grande, eu estava sozinho em casa, Meg tinha saído para se encontrar com as amigas da faculdade e era bem provável que os amigos iriam também, o que significava uma bela rodada de trepadas e ela voltaria pra casa só bem de tarde.
Resolvi usar a banheira de hidro que tínhamos no apartamento. Tirei a roupa, enchi a banheira, água morna, e fiquei ali, sentado, olhos fechados, pensando no que Meg deveria estar fazendo e me peguei de pau duro…
Então… por que não? Resolvi fazer uma homenagem a ela… e comecei a me punhetar. De leve, não queria acabar logo.
E aí… levo um susto. Vejo a porta do banheiro, que estava só encostada, ir-se abrindo lentamente. Será que Meg tinha voltado? Ou quem poderia ser?
Logo vi quem era. Minha sobrinha Helena, que hoje tem 28 anos e, naquela ocasião, tinha 20. Ela entrou e olhou admirada o que eu estava fazendo.
– Tio… tá se masturbando?
– Estava, né… mas fui bruscamente interrompido por você!
– Não quero nem saber em quem você estava pensando…
– Pode saber. Era na sua tia mesmo, que deve estar se divertindo com os colegas da faculdade, combinaram um encontro hoje.
– E isso te excitou…
– Sim.
– Tio, posso tomar banho aí com você?
– Você sabe o risco que vai correr… ainda mais do jeito que eu estou!
– Vou adorar correr esse risco… aliás, quero correr de verdade!
Ela, então, se despiu e entrou e nem pediu licença, já foi pegando em meu pau e colocando na boca.
Que boquete gostoso foi aquele…
Deixei que ela chupasse o quanto ela quisesse, e ela não teve pressa nenhuma em acabar. Mas acabou e aí então foi minha vez de dar um pouco de alegria à jovem sobrinha, chupando sua xotinha até ela quase desfalecer de prazer.
E aí a comi de tudo quanto é jeito. Comecei deixando que ela me cavalgasse, depois nos levantamos e a comi em pé, ela curvando o corpo e abrindo bem as pernas, e finalmente ele ficou de quatro e mesmo com o aperto do local pequeno, continuei metendo até vê-la gozar.
E ainda me chupou de novo, até engolir o leitinho do titio…
Terminamos o banho, nos enxugamos e saímos para o quarto. Deitamos na cama e ficamos conversando, apesar de saber como eu e Meg vivíamos, ela sempre ficava interessada em detalhes.
– Com quem a tia saiu hoje?
– Olha, ela me disse que ia encontrar AS amigas, ou seja, a Rejane e a Lúcia, que você já conheceu. Mas sua tia sempre conta as coisas pela metade e só fala tudo quando volta. Então eu tenho quase certeza de que os três mosqueteiros também devem estar lá.
– Três mosqueteiros???
– Eu os chamo assim, de brincadeira. Foram colegas dela na faculdade, Gabriel, Julio e Virgilio.
– E com quem você acha que ela deve estar?
– Você é muito inocente… ali naquele grupo tem disso não… cada uma fica com todos e todos ficam com cada uma!
– Jura?
– É verdade…e Helena…tira a mão do meu pau, por favor…
Ela riu.
– Vou tirar não, agora quero uma aqui na cama…
Tive de atendê-la, não é? Como recusar?

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.