Segredo lésbico de duas mulheres casadas

Após algumas noites sozinha na internet vim parar neste site de contos eróticos, e confesso que adorei ler as diversas historias relatadas aqui, por isso eu resolvi me inscrever para compartilhar com vocês fatos, que mudaram completamente a minha vida. Eu me chamo Layla, tenho 38 anos, sou arquiteta, mas não exerço a profissão, casada a 6 anos com um homem maravilhoso, mas ao mesmo tempo desatento com a nossa vida conjugal. Moramos no Rio de Janeiro, e o meu marido é segundo na linha de comando de um navio de transporte mercantil, que leva cargas para praticamente todos os países da América Latina, chegando a passar mais de 3 meses em alto mar. A única coisa boa nesse emprego é o bom salario, que sempre nos proporcionou uma vida bem confortável.

Sexshop

Até o 2º ano de casados éramos muito intensos na relação, e sempre que ele voltava para casa após suas longas viagens, curtíamos muito um ao outro e não nos desgrudávamos.Com o passar dos anos, a distancia começou a pesar e mesmo eu tentando me distrair, passando uns dias na casa de meus pais, saindo com amigos, me sentia cada vez mais sozinha. Em uma das folgas do meu marido fomos visitar meus pais em minha cidade natal, que fica a uns 300km daqui do Rio. Fomos a um casamento de um primo distante, que eu vi uma ou duas vezes quando fomos visitar uns parentes. O nome dele é Rodrigo, ele tinha 27 anos, e trabalhava como soldador em uma empresa terceirizada, e como grande parte dos homens da minha cidade, prestava serviço a uma plataforma de petróleo, no regime de 14 dias de folga para cada 14 trabalhados. A sua noiva era a Camila, uma menina aparentemente agradável, mas que não era tão bem vista assim pelos parentes, que diziam que ela era bem autoritária com o meu primo, que por sua vez se mostrava muito apaixonado por ela. A Camila realmente era muito bonita, com seus 21 anos, ela era morena, tinha a pele bronzeada, cabelos lisos no meio das costas e um corpo lindo, com zero de barriga, seios médios e um bumbum de causar inveja. Segundo a minha tia, o Rodrigo assim que começou a namorar, enchia a menina de presente, morria de ciúmes dela, e por isso fez de tudo para casar o quanto antes.
A Camila realmente não dava muita bola para os outros parentes, mas comigo ela foi muito agradável, conversamos bastante durante a festa e também no dia seguinte no almoço para a família. Pela conversa eu notei que ela era um pouco materialista, pois sempre estava me perguntando sobre sapatos, roupas, bolsas, e talvez fosse por isso que ela estava me tratando bem. No inicio do ano passado, lá fui eu levar o meu marido para pegar o seu navio, pois desta vez ele iria passar 3 meses fora, com a promessa que iriamos viajar para a Espanha, assim que ele voltasse. Depois que o deixava no porto, eu ia para casa um pouco chateada com aquela situação, pois sabia que teria que enfrentar mais um tempo sozinha, e o pior era pensar que isso se estenderia por muitos anos. Qualquer mulher que enfrenta a mesma situação, de ficar longe do marido, sabe que nesse período os nossos desejos ficam à flor da pele, tendo dias em que não conseguia mais conter a minha excitação, sendo obrigada a me tocar. Assim que comecei a ler os contos eróticos, parece que a minha cabeça se abriu para novas sensações, sendo desta forma que eu passei muitas noites tendo prazer com os relatos de outras pessoas.
Aproximadamente uns 10 dias que eu estava sozinha em casa, a Camila me ligou, toda simpática, dizendo que estava indo até o Rio de carro deixar o Rodrigo, e se podia dormir em casa para não pegar a estrada anoite. Da ultima vez que estivemos juntas eu já havia oferecido para ela ficar em casa , quando fosse levar o Rodrigo, visto que muitas vezes ele ia de ônibus do interior até o Rio. Como eu estava sozinha mesmo, acabei ficando até animada, pois por mais que agente não fosse tão intima, ao menos teria alguém para conversar e olha que a Camila era boa de papo. Lá pelas 14 hs da tarde ela chegou em casa, e ficou toda encantada com a minha decoração, elogiando o meu trabalho, ganhando ainda mais a minha simpatia. Nós almoçamos, ficamos conversando próximo à piscina por mais de 2 horas, e por fim estávamos nos dando bem, visto que compartilhávamos da mesma frustação de ter os maridos trabalhando longe.
Eram umas 16:30 hs, o sol tinha baixado um pouco quando ela me chamou para tomar banho de piscina, eu não estava muito afim mas topei para não ser indelicada. Como ela não tinha biquíni, fomos para o quarto, e eu acabei emprestando um meu, que ficou perfeito em seu corpo, tendo que ajustar apenas a parte de cima, pelo fato de seus seios serem um pouco maior que os meus. Fizemos caipirinha de abacaxi e ficamos ali, bebendo, mergulhando e jogando conversa fora. Eu realmente estava curtindo aquilo, a Camila era bem comunicativa e extrovertida, levava a vida de forma leve sem muitas responsabilidades e confesso que estava precisando um pouco disso.
Já se passava das 18 hs, começava a escurecer, e agente nem havia se dado conta de tão bom que estava aquela tarde, eu já tinha parado de beber mas a Camila continuava. Papo vai, papo vem, e a Camila começa a falar de sexo:

– Ah! Quando o Rodrigo Viaja eu fico doidinha em casa – Ela me disse com um sorrisinho no rosto
– E você que seu marido passa mais tempo fora do que o meu. Como você faz?
– Ah! Eu fico bem…- Eu falei não querendo me comprometer.
– Nossa! E ainda mais você bonita assim, sozinha. Os homens não ficam dando em cima de você não?
– Ah! As vezes por que eu não sou muito de ficar saindo mesmo.
– Olha! Pra ser sincera, teve uma vez que tive que me segurar para não trair ele com um ex-namorado, tinha uns dias que eu não me aguentava de tesão. – Ela me confessou.

Disk Sexo

Nessa hora a Camila foi se aproximando para pegar o seu copo de caipirinha que estava atrás de mim. Após pegar o seu copo, ela começou a beber olhando fixamente para mim, permanecendo com o seu corpo bem junto ao meu, contribuindo ainda mais para aquele clima de sedução que se formava entre agente. Enquanto ela bebia e me olhava com um sorrisinho no rosto, eu pude sentir os seus seios tocando em meus braços. Eu confesso que fiquei um pouco nervosa com a situação, mas ao mesmo tempo eu comecei a ficar excitada, ouvindo ela dizer todas aquelas coisa.

– Toma! Bebe mais um pouco. – A Camila me deu seu copo de caipirinha e eu aceitei.
– Agente sabe exatamente o que a outra passa por estarmos longe de nossos maridos. – Me disse a Camila
– Sim! Não é fácil. – Eu comecei a concordar com ela.
– Posso fazer uma coisa. – Disse ela, deixando o copo de lado e chegando bem próximo ao meu rosto.
– Pode!…rsrs. – Consenti deixando a excitação falar mais alto.

Com extrema delicadeza, a Camila começou a me beijar, deslocando a sua língua para dentro de minha boca, realizando movimentos circulares logo que se encontraram. Enquanto nos beijávamos, o movimento do seu corpo junto ao meu, me deixava cada vez mais excitada, dando vazão a pequenos gemidos que demonstravam o tamanho do meu tesão. Ela passou os seus braços em volta da minha cintura, forçando ainda mais o meu corpo contra o seu, deixando claro que aquela noite eu seria toda sua.

– É assim que você gosta é? – Ela me disse sussurrando contra a minha boca.
– Ah! Que tesão! – Eu falei, me rendendo completamente aos meus desejos.
– Ah! Que delicia…! Agente esta sozinha aqui, e podemos fazer tudo o que nós quisermos. Tudo…tudo! – Ela me disse, enquanto apalpava o meu bumbum.

Pela primeira vez deixei aflorar os meus desejos mais profundos, e enquanto sentia a sua língua se entrelaçar à minha, comecei a passar a mão na sua bunda. Sentir o seu bumbum, firme e volumoso na palma de minhas mãos, me fez perder os sentidos de tão gostoso que era. Eu não conseguia pensar em mais nada, a não ser viver aquele momento com a maior intensidade possível, por isso deixei me conduzir, fazendo tudo exatamente do jeito que ela queria. Ficamos mais de 15 minutos namorando dentro da piscina, nos beijando, enquanto nossas mãos exploravam cada parte dos nossos corpos, intensificando cada vez mais os nossos gemidos.

– Vem comigo! – A Camila me chamou para fora da piscina.
– Senta aqui, vai! – Ela me colocou sentada na bancada da churrasqueira, e se posicionando no meio das minhas pernas.

Voltamos a nos beijar, bem gostoso, enquanto a Camila, pacientemente desfez o nó do meu biquíni libertando os meus seios, que saltaram diretamente para dentro de sua boca.
Quase que instantaneamente os bicos dos meus seios se enrijeceram ao sentir o movimento de sua língua se debatendo contra eles, ao mesmo tempo senti contrações que atingiam diretamente a minha buceta, que ficava cada vez mais molhada.Ela sabia exatamente o que estava fazendo, me deixando de uma forma que eu nunca havia me sentido antes, pois ao mesmo tempo em que se deliciava com meus seios, ela começava a acariciar a minha buceta deixando-a ainda mais molhada e volumosa. Quanto mais eu me excitava, mais ela me torturava, parecendo se divertir ao ver o meu estado de excitação. Se acomodando em uma banqueta de frente para mim, abriu minha pernas e começou a mordiscar e lamber a minha buceta ainda por cima do biquíni.

– Olha como ela esta! – Me disse a Camila admirando o volume do meu sexo
– Afasta o biquíni e pede para mim chupar…vai! – Ela me disse olhando fixamente em meus olhos com aquela cara de safada.
– Me chupa…..por favor….por favor, que não aguento mais! – Eu disse quase implorando para ela me chupar.

Ao afastar a minha calcinha para a lateral ela se deparou com uma buceta totalmente inchada e úmida, chegando a latejar de tanto tesão que eu sentia naquela hora. Com muita habilidade ela passou a sua língua por toda extensão de meu sexo, recolhendo cada gota que transbordava do meu interior. A sua língua quente e rígida, explorava todo o interior do meu sexo, parando apenas para se debater contra o meu clitóris, deixando-o cada vez mais durinho. Nunca ninguém me chupou com tanta vontade e por tanto tempo assim, por vezes tive que me segurar para não gozar naquela hora. Eu, não aguentando mais aquilo, desci da bancada, comecei a beijar a sua boca, compartilhando o gosto do meu mel, chamando ela para ir para o quarto :

– Vamos pro quarto vamos. – Eu falei pegando em sua mãos.
– Você quer ser comida na mesma cama do seu marido é safada? – Ela me disse me deixando mais louca ainda.
– Quero…eu quero. Me come bem gostoso lá! – Eu disse a ela totalmente fora de mim.

Fomos correndo para o quarto e nem bem chegamos ela me colocou de quatro bateu na minha bunda, começando a introduzir a sua língua bem no meu cuzinho. Naquele momento parecia que eu ia voar de tanto prazer, ainda mais quando senti os seus dois dedos começando a penetrar a minha buceta e a sua língua forçando entrada, no meu cuzinho ao mesmo tempo. Metendo cada vez mais forte na buceta ela estava prestes a me fazer gozar, quando de repente ela parou e disse:

– Agora você vai sentir a minha buceta bem gostosa na sua boca. – Ela me disse com aquele sorriso safado.
– Eu quero, estou louca pra te chupar! – Eu disse a ela querendo lhe proporcionar prazer.

Ela me puxou para a sala, sentou-se à mesa de jantar, me colocando sentada bem de frente a ela, abriu suas pernas deixando a sua buceta bem próximo ao meu rosto, ficando no controle da situação.

– Cheira…Não chupa! Só cheira. – Ela me disse me controlando pelos cabelos
– Agora beija ela….Não é para tirar a língua! Só beija como você deu seu primeiro beijo. – Ela me disse totalmente no controle.
– Ah…aaaah…que deliciaaaa!.. – Ela sussurrou enquanto eu beijava os seus grandes lábios vaginais.
– Agora você vai me chupar bem gostoso, viu sua safada – Ela me disse se entregando aos meus cuidados.

Eu, impulsionada por aquele prazer tremendo, fiz o meu melhor, passando a língua primeiramente em todo entorno da cona, e depois abocanhando aquela buceta como se fosse a minha fruta preferida. À medida que eu chupava, podia sentir a minha língua cada vez mais quente e molhada pelo seu delicioso e viscoso mel. Eu estava adorando ver aquela mulher gemendo de tanto tesão estimulada apenas pela minha língua. O gosto e o cheiro que exalava daquela buceta me motivavam a continuar cada vez mais, tremulando a minha língua bem no meio daquele clitóris.

– Aiii…que língua gostosa…Que delicia! – Ela me disse completamente fora de si.
– A sua buceta é uma delicia!. – Eu disse a ela enquanto deslizava a minha língua em toda extensão de sua fenda.
– Eu quero gozar…eu vou gozar. – Ela me disse gemendo e transpirando de tesão.

Fomos para o sofá, nos acomodamos em um delicioso 69, sentindo mutuamente o ápice do tesão. Sentir a sua buceta, quente e úmida, dominada pela minha boca, ao mesmo tempo em que sentia a sua língua explorando a minha fenda, é algo que não da para explicar. Gemíamos alto sem nenhum pudor, porque não conseguíamos mais nos controlar. A minha buceta estava muito quente e úmida, latejando de tanto desejo, no momento em que notamos que estávamos prestes a gozar, ela me deitou no sofá, abriu minhas pernas e veio por cima de mim, possibilitando que os nossos sexos se tocassem. Ao mesmo tempo em que nossas bucetas quente e úmidas se tocavam, eu sentia subir um tesão que tomava conta de todo meu corpo, até o momento em que não conseguimos mais nos conter e explodimos em um delicioso e intenso gozo.
Depois do sexo, ficamos ali na cama, namorando, trocando caricias, dizendo o quanto aquilo foi bom, até que a Camila, com aquele sorrisinho no rosto, disse que aquilo ainda não era tudo e que iriamos fazer algo melhor ainda. Eu não sabia o que esperar daquela mulher, a única coisa que eu tinha certeza era que ela me proporcionou uma das melhores experiências da minha vida e igual a ela eu também queria mais.

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.