Reencontro com a prima distante

Já fazia um longo tempo que meus avós não organizavam uma ceia de Natal para toda a família. Lembro-me de Mônica, uma prima carioca de segundo grau que sempre comparecia à ceia com os seus pais. Sempre brincávamos juntos, pois éramos os únicos que tinham a mesma idade.

Sexshop

Na última vez que nos encontramos, fuçamos o quarto do nosso tio e achamos no guarda-roupas revistas pornô. Ficamos surpresos com o que vimos. Prometemos não falar aos nossos pais sobre aquilo, mas aquela ceia jamais me saiu da memória.

Anos depois, esperei ansiosamente a chegada da minha prima, que estava demais, com um vestido supersexy. Cumprimentamo-nos com um abraço arrepiante. Como nos velhos tempos, ficamos só os dois conversando num canto e, após uns drinques, falamos de nossa infância. Minha prima revelou que também jamais havia esquecido aquele dia e propôs que fôssemos ao quarto do meu tio para ver se ele ainda guardava as revistas no mesmo lugar.

Disk Sexo

Mônica pediu para que eu fosse primeiro, para que ninguém descobrisse nosso antigo segredo. Quando ela chegou, disse que naquele dia havia guardado um exemplar. Ela se aproximou e revelou que esperou muito pelo dia em que poderia repetir algumas posições daquela revista com o priminho distante e logo se ajoelhou diante de mim para fazer sexo oral.

Como ela não trancou a porta, eu fiquei preocupado, mas também não poderíamos demorar para não levantar suspeitas. Depois do boquete, ela correu para o banheiro do quarto. Fui atrás e, quando cheguei lá, ela estava de frente para o espelho e com as mãos escoradas na pia. Sua calcinha estava abaixada e ela pediu para eu levantar seu vestido, penetrá-la profundamente e gozar rápido.

Coloquei uma camisinha e percebi que Mônica estava generosamente lubrificada, pois meu pênis entrou com muito tesão. Eu queria aproveitar melhor aquele momento, mas minha prima insistia que queria movimentos rápidos. Quando eu estava para gozar, Mônica virou, se abaixou novamente e pediu para que eu ejaculasse em sua boca. Enquanto eu gozava, acariciava o rosto dela e aquilo me fez gozar como nunca. Ela engoliu tudinho, levantou a calcinha e saiu do banheiro como se nada tivesse acontecido. De recordação, Mônica deixou aquela revista que tanto marcou a nossa infância e a nossa vida toda.”

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.