Primeira vez que comi minha sogra

Olá a todos os leitores, o que vou passar a relatar aconteceu neste fim de ano. Apesar de ter gostado muito como vcs vão puder constatar, tive que ter muita coragem para passar esse conto para esta pagina. Em primeiro lugar amo minha mulher, ela é alta, 1,70, nem gorda nem magra, seios fartos bunda saliente e arrebitada. Sua mãe é um pouco mais baixa mas o mesmo tipo de corpo. Nós nos damos muito bem os três. E eu claro fico contente por isso. Não somos muito liberais, mas um pouco.

 

Já tinha acontecido outras vezes de quase tomarmos banho juntos, não diretamente mas todos na casa de banho, ás vezes em saídas para jantar, estamos todos em casa de minha sogra, e se vamos pro banho, eu vou com a minha esposa, mas para despachar mal estamos a terminar vem minha sogra já nua e sobe na banheira. Eu já vi a xana dela muitas vezes assim, chego a tapar o pau para não se ver a erecção. Minha sogra ainda é jovem e tem tudo no lugar. Para saberem tem uns seios médios, corpo ainda escultural uma bela bunda e empinada e acima de tudo apara a sua xana, depilada em baixo e toda aparadinha por cima. Como posso observar ela tem uns lábios bem bons, o seu clitoris é um pouco saliente, não muito, mas um pouco. Ele sabe que eu olho, também ela mostra né. Só usa calcinha fio e sutiã push up. Pois é nessa noite saímos para jantar, coktail pra cá, coktail pra lá, a conversa foi-se soltando mais. Fomos jantar e já estavamos a ficar um pouco acelerados, ela é muito brincalhona, e com a juda do álcool ainda mais, e minha mulher é igual. Acabamos o jantar e já as duas estavam tontas, fomos para um bar, para nos divertirmos, entre umas bebidas e outras fomos dançando e brincando os três . lá pelas 4 da manhã, estávamos todos bem bebidos, e decidimos ir para casa. Chegamos a casa e decidi que não ia a conduzir naquele estado até minha casa, que era bem longe. Chegamos em casa e dissemos à minha sogra que iria-mos dormir ali. Ela disse logo que sim até porque tem um quarto vazio. Fizemos a cama e minha mulher caiu nela como pedra, eu que estava cheio de tesão fiquei na merda, olhar para aquele mulherão e naquela noite não podia fuder ela. Fui no wc e minha sogra estava mijando, pedi desculpa e saí. Ela disse não tem problema se levantou e deixou cair a calcinha, ela dorme sem calçinha, e disse vou apanhar ar, está uma noite muito quente, quer vir? Eu fui até porque queria baixar o tesão e assim apanhava ar. Deitamos numa cadeira, e ela disse que devia ter umas cervejas na geladeira, eu levantei e fui buscar, quando cheguei ela estava bem relaxada também com tanta bebida, tinha as pernas entreabertas e uma leve brisa levantou um pouco o vestido, eu estou a chegar e vejo tudo, ela baixa o vestido , mas vê que eu estava a olhar e diz!Hoje não tens festa, a Maria está a dormir, ao que eu digo pois é , hoje não dá nada. Ela solta um sorriso e diz, a minha filha tem o sono pesado e com bebida ainda mais, e além disso vi que estavas a espreitar-me, eu disse que foi o vento,e ela levanta um pouco o vestido e diz, podes olhar eu deixo, já não tenho homem há algum tempo e tou como tu, estou a arder. Eu nem sabia o que fazer, e se minha mulher acorda-se! Disse que se foda, e passei a mão naquela xana que estava a ficar molhada, a sogra solta um suspiro e faz força na minha mão para enterrar mais, quando ela faz isso eu ponho dois e depois três dedos naquela buceta melada, ela se esfrega e eu peço pra ela chupar meu pau, ao que ela responde que sim, eu tiro para fora e ela começa bem na cabecinha e vai descendo até ao fim nossa hummm. Depois ela fica de quatro na cadeira e eu encosto bem a cabecinha naquela xana toda melada, e que rapidamente desaparece eu paro e fico observando ela fazendo vai vem bem devagar, que delicia. Começo a colocar meu polegar em seu anús, ponho saliva nele e coloco, ela solta uma aiiiiiiii, ahhhhhh, vai mete vai. Eu tiro da xana e coloco naquele anús que estava piscando, ela só me diz para ir com cuidado, eu vou com cuidado, estamos na enrrabada um pouco quando ela me diz que quer gozer lá na frente e que depois voltaríamos ali a trás. Desde que tivesse a foder para mim tudo bem. Estamos de pé agora ela contra o muro eu meto com força ela quer mais e mais , me belisca, pede mais e se arreganha eu vou com tudo até ela gozar, quando está a gozar não pode soltar um grito muito grande por causa da filha e eu paro e sinto aqueles tremores e espasmos, é uma delicia foder alguém que não fode hà algum tempo. Quando ela se acalma eu digo que quero continuar onde estava, então ela se volta e me dá de novo aquele cuzinho eu que desesperava para gozar também comecei devavar pra ela se acostumar e depois mais forte até me vir, e gozar. Ficamos um pouco abraçados até o meu pau murchar, fomo-nos lavar, depois eu fui-me deitar bem consolado, e ela também. No outro dia só trocamos o olhar , ela sorriu dando-me esperança de comer ela de novo, quem sabe num outro jantar. A minha mulher nem desconfiou, e pode ser que qualquer dia ao dormir lá em casa de novo as coisas se repitam.

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.