Orgia na praia com o primo do meu noivo

Olá, me chamo Liz, tenho 22 anos e estou noiva de Eduardo estamos juntos à 7 anos. Isso mesmo desde os 16 anos de idade. Neste conto vou relatar a suruba na praia que tivemos.

 

Sempre tivemos muita liberdade um com o outro, e isso é muito bom para nosso relacionamento. Temos também um ótimo relacionamento com nossas famílias. Ele com a minha e eu com a dele. Mas não vou me alongar sobre nós, mas sim sobre o final de semana incrível que tivemos.

Uma tia de Eduardo alugou uma casa por 15 dias em Itaipava, litoral sul do ES, e fomos convidados a passar um final de semana por lá.

Na casa estavam Eu, Eduardo, sua tia, seu tio, sua prima (Lu), seu namorado (Éric), seu primo (Kaká) e sua namorada (Fê).

Chegamos na casa sexta à noite, e logo já fomos arrumar algo pra fazer.

Sexta à noite: Saímos todos juntos para comer uma pizza, até aí nada de mais, exceto o fato de Eduardo e Kaká não pararem de cochichar…

Sábado de manhã: No dia seguinte de manhã, acordamos bem cedo e fomos à praia, lógico.

Sou magra, não tenho muito peito mas tenho um bumbum empinadinho… Eduardo sempre me estimulou a usar uns biquíni bem pequenos. Ele sempre disse que o que é bonito é pra se mostrar, sem vergonha.

Sempre que troco de roupa na frente dele ele fica louco, começa a passar a mão, a me beijar e ficar excitado.Confesso que não é sempre que gosto, na maioria das vezes não.

Enfim, isso era normal, mas ele fez algo que nunca tinha feito antes, ele sentou na cama, e me pediu para trocar de roupa para ele como se tivesse fazendo um Strip-tease.

Achei estranho, mas entrei na brincadeira e fiz bem rapidinho, quando me virei, percebi um vulto passando pela janela do quarto que estava entreaberta e dava para a varanda, logo fiquei nervosa e preocupada de alguém ter visto. Eduardo disse que não foi nada, afinal estávamos no 3 andar, era só gente de casa.

Trocamos de roupa e fomos para a praia.

Na Praia: Chegando lá, Eduardo e Kaká continuaram cochichando e de vez enquanto olhando pra mim de inicio achei que não fosse nada, e deixei pra lá.

Todos foram pro mar, exceto Eu, Kaká e sua namorada Fê.

Fê me chamou para tomar um sol e pediu a Kaká para que passasse bronzeador nela, eles são namorados, nada de mais, até que Kaká disse:

Kaká – Liz, quer passar também?
Eu – Não precisa, não costumo usar bronzeador!
Fê – Eu também não, mas aproveita que esse é ótimo e é de graça. (risos)
Eu – (risos) depois eu peço para o o Edu, então.
Kaká – Aproveita que eu estou com a mão suja… e o Eduardo não vai sair da água agora, ele acabou de entrar.
Fê – Passa de uma vez, menina.
Eu – Tá, pode ser…

Eu sentei, puxei meus cabelos para frente e ele começou passar nos meus ombros, logo desceu para minhas costas. Depois, me pediu para me deitar.

Me deitei e ele voltou a passar no meu ombro, na parte da frente. Foi descendo até que passou a mão nos meus seios.

Fiquei muito brava, mas não falei nada, olhei brava para ele, mas ele fingiu que não reparou. olhei para o lado e Fê estava com uma toalha tampando seu rosto, logo ela não viu.

Ele continuou na barriga e continuou descendo até a minha calcinha. Parou e passou para minhas coxas, ele enfiou uma de suas mãos entre as minhas pernas, então eu levantei num susto e tomei o vidro dele, sem dizer uma palavra.

Ele se assustou, se levantou e foi para a água, também não disse nada.

Resolvi que não contaria a ninguém, mas se acontecesse de novo eu mataria ele.

Sábado à noite: Não tínhamos muitas coisas pra fazer, decidimos descer e comer um lanche próximo à casa em que estávamos, batemos um papo e resolvemos voltar para casa para jogar Baralho, chamamos o jogo de Burro, o jogo termina rápido e quem perde toma meia dose de cachaça.

Já era tarde e os tios já estavam dormindo. Nós seis sentamos no chão da sala para jogar.

Todos já estavam com roupas de dormir, e estava com uma camisa mais velha do Eduardo, que parecia um vestido em mim, de calcinha, mas sem sutiã… como disse não tenho seios grandes, por isso não me importo muito.

O jogo estava bem divertido mas Lu, prima de Eduardo, já estava bem bêbada e foi para seu quarto com éric, seu namorado.

Ficamos eu, Eduardo, Kaká e fê, que logo foi dormir no sofá.

O jogo acabou, mas ficamos batendo papo e falando besteiras.

Eu já estava ligeiramente bêbada, pois havia tomado umas 2 doses e sou fraca para bebida.

Estávamos sentados de pernas cruzadas no chão da sala, falando sobre tudo, mas não lembro exatamente de que. até que percebi que Kaká não tirava os olhos da minha calcinha.

Na mesma hora fechei minhas pernas e disse: Perdeu alguma coisa?

Ele envergonhado pediu mil desculpas e se levantou.

Eduardo que viu toda a cena não fez nada e disse: Qual o problema?
Eu – O problema é que seu primo esta olhando pra minha calcinha?!
Eduardo – E daí… ?
Eu – Como assim e daí ? hoje ele também se aproveitou de mim, fingiu que estava passando bronzeador e passou a mão no meu peito e entre as minhas pernas…
Eduardo – Amor, estamos só nos três acordados, e você sabe que eu não veja nada demais nisso, inclusive já conversamos sobre isso, achoei que não fosse se importar…

Nesse momento levantei e quase dei um grito: SEU FILHA DA PUTA, então você que falou pro seu primo fazer isso?

Fui para o quarto e Eduardo veio atrás.

Eduardo – Amor, fica calma, não tem nada de mais, nós já tínhamos conversado sobre isso…
Eu – E eu disse que iria pensar. Que ainda não estava pronta.
Eduardo – Então, eu pensei em dar um empurrãozinho.
Eu – Empurrãozinho?
Eduardo – É.. da última vez que conversamos sobre isso percebi que você ficou toda excitada. Vai dizer que é mentira.
Eu – Sim, mas assim eu me assustei. você deveria ter me contado. Não é assim que funciona.
Eduardo – Se eu te contasse você toparia?
Eu – Não sei… Acho que não… Pô, ele é seu primo. Eu nunca me imaginei em uma suruba, imagina em uma suruba na praia.
Eduardo – Então, mais um motivo, você disse que se um dia acontecesse teria que ser com alguém que pudéssemos confiar e que nunca contaria pra ninguém. Eu confio no meu primo e sei que ele não falaria.

Fiquei parada por um momento até que ele disse: Acho que você pegou pesado com ele, acho que você deve desculpas a ele.

Nesse momento Edu começou a me beijar, bem firme, e eu comecei a tremer, não sei se era de raiva, sustou, ou… sei lá… Ele me deitou na cama, segurou forte minha nuca e falou no meu ouvido:

– Imagina ele aqui agora vendo a gente namorar, imagina uma suruba na praia, ia ser inesquecível.

Continuou me beijando e falando essas besteiras pra mim enquanto foi tirando a camisa\vestido de baixo para cima
e eu cada vez mais excitada… até que ele parou, abriu a porta e chamou Kaká…

Eu puxei a blusa que Edu tinha acabado de tirar e cobri meus peitos.
Suruba na praia

Kaká se sentou na beirada da cama e ficou me olhando, eu ainda estava assustada e não tive muita reação.

Edu tirou a camisa que eu estava me tampando e continuou o que tinha parado.

Eu não sabia o que fazer… eu queria, mas ao mesmo tempo não queria…

De repente quando olho para o lado Kaká está ajoelhado próximo a mim, sem roupa e de pau duro. Tomei mais um susto.

Não sei se por ele estar ali ou pelo tamanho do pau, que a primeira vista era bem maior e mais bonito que do meu noivo Edu.

Edu, desceu e começou a fazer um sexo oral em mim como nunca tinha feito antes, ele me beijava, me lambia de um jeito que me deixou louca. Enquanto Kaká ficou parado, meio sem saber o que fazer…

Quando comecei a gemer bem baixinho Edu pôs o dedo indicador sobre a minha boca, num sinal para eu ficar quieta. Então Edu fez uma coisa que eu ainda não consegui compreender… Com a mesma mão ele pegou no pau do seu primo e o aproximou de mim, como que pedindo para eu beija-lo.

Beijei.

Kaká enfiou todo aquele pau na minha garganta então tive certeza de que era muito maior do que o de Edu.

Eu estava tão excitada, mas não sabia onde me concentrar… Edu estava se esforçando no oral e estava conseguindo, ate que ele parou, e fez um sinal para seu primo.

Kaká se posicionou em minha frente e olhou nos meus olhos, bem fixo neles e foi colocando seu pau dentro de mim, bem devagar.

Eu suspirei fundo e não conseguia tirar meus olhos dos dele, nem ele dos meus… Ficamos nos olhando até que pude sentir seu pau indo bem fundo, me apertando por dentro.

Fechei os olhos e virei minha cabeça para cima. Quando abri novamente Edu estava em cima de mim, passando seu pau na minha cara… Demorei a cair na real mas eu estava fazendo uma suruba na praia.

Kaká então começou a fazer o que estava ali para fazer… Transar comigo… Ele começou meio tímido, um tanto sem jeito, mas logo conseguiu se acertar…

Eu comecei a chupar Edu enquanto seu primo me comia…

Kaká começou a acelerar a velocidade, eu me contorcia toda sentindo outro homem me penetrar.

Eu agarrava os lençóis com tanta força que minhas unhas machucavam minha mão.

Kaká então mostrou que sabe conduzir uma transa. Parece até que ele já tinha participado de uma suruba na praia antes, ele saiu de cima de mim, me virou e me pôs de quatro.

Mal sabia eu que Edu já tinha contado pra ele que essa era minha posição favorita.

Enquanto Kaká se preparava para entrar em mim, Edu se levantou arrastou uma das portas do guarda-roupas para o lado, esta porta era um espelho.

Edu queria que eu também visse.

Eu olhei pelo espelho e vi Kaká terminando e por a camisinha e admirando minha bunda. Eu ia participar de uma suruba na praia com meu noivo e seu primo.

Edu veio no meu ouvido e perguntou:
– Esta gostando?
– Aham…
– Você gosta né ?
– Aham.
– Você é uma putinha… minha putinha ?
– Sim… sua putinha, respondi.

Quando terminei de falar senti Kaká dentro de mim, de novo e soltei um leve gemido…
Edu, sentou do meu lado e ficou falando um monte de safadezas… Eu estava adorando aquilo tudo…

Eu olhava para o espelho e via Kaká confuso… Ele não sabia se olhava para mim ou para minha bunda…

Ele apertava minha bunda bem forte mostrando sua força e seu tesão, como um garoto que come uma mulher gostosa, ele não disse uma palavra, mas eu me senti desejada.

Enquanto ele foi metendo ele agarrou minha nuca, (não apertou mas segurou firme)… Enquanto seu pau me empurrava pra frente sua mão me puxava pra trás… Como se fosse pra eu não fugir…

Mal sabia ele que eu não fugiria por nada… Aquele pau delicioso dentro de mim me deixava louca. A suruba na praia estava deliciosa.

Eu olhava pra o lado e via meu noivo se masturbando olhando para mim dando para outro… Nunca achei que fosse querer vivenciar isso…

Ele agarrava minha bunda com tanta força como quem quer estourar uma bexiga. Estava uma delícia e eu não queria que acabasse… De repente senti um de seus dedos rodeando meu cuzinho…

Na mesma hora eu disse: Meu cu não em…

Edu então falou: Relaxa meu amor… Ele sabe que ai não pode…

Mesmo sabendo que não podia ele continuou passando o seu polegar nele.
eu deixei para ver no que iria dar…

Ele foi cada vez mais enfiando seu polegar no meu cu… Eu nem percebi quando seu dedo já estava todo dentro de mim mexendo bem devagar…

Na verdade percebi sim… Pois ficou mais gostoso, eu soltei um gemido um tanto quanto alto que Edu teve que ir na porta conferir se alguém ouviu… Mas nós demos de ombro e continuamos ali…

Estava uma delícia e eu não conseguia me controlar… Eu estava me masturbando enquanto ele metia… Eu gemia mais e mais. Ainda mais com seu dedo no meu cu comecei a me contorcer até que…

Gozei…
Gozei no pau do primo do meu noivo… e ele viu tudo…

Kaká disse já tinha gozado estava apenas me esperando.

Então ele tirou o dedo do meu cu, que faltou pouco pedir para ele continuar ali dentro..

Eu deitei.

Edu veio perto de mim e perguntou… E ai gostou?

Foi a pergunta mais estúpida que eu já tinha ouvido, essa foi a minha melhor transa, o primeiro pau diferente que entrava em mim… Uma suruba na praia com o Edu e seu primo Kaká, foi uma sensação indescritível.

Eu não tinha forças nem para responder a ele… Precisei de um tempo ali, deitada de bruços… Para depois então tomar meu banho…

Domingo de manhã: Arrumamos nossas coisas para irmos em bora logo depois do almoço, mas antes pegamos uma praia.

Dessa vez fomos só nós 4 (Eu, Edu, Kaká e Fê), resolvemos ir numa praia diferente.

Kaká se levantou e disse: – Vou pra água, vocês vem?
Fê – Não amor, você sabe que não gosto.
Edu – Sim, me espera ai… Vem também Liz…

Os dois me olharam nos olhos, me chamando e visivelmente me desejando. Nesse momento eu não sabia o que fazer… No pensamento eu só pensava em fazer uma suruba na praia de novo.

Sem que eu mandasse meu corpo se levantou da canga estendida na areia a foi pra água… Com meu noivo e meu amante, quer dizer… Nosso cúmplice…

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.