O meu namorado queria que eu desse para outros

O Marcos foi o meu primeiro namorado, tinha eu 15 anos. O Marcos era um pouco mais velho e já tinha tido outras namoradas. Foi com ele que fodi pela primeira vez. Não que não houvesse outros caras interessados em mim: colegas de escola, primos e até um tio, bem mais velho do que eu. Foi ao Marcos que me entreguei, pois era com ele que queria casar.

Sexshop

Ainda virgem, tive os meus amassos com outros rapazes. Estive quase a ceder com um primo, que veio passar uns dias a minha casa. O cara numa noite silenciosamente se enfiou na minha cama e me começou a beijar super gostoso. Deu-me um banho de lingua pelo corpo todo, mas quando me começou a lamber a buceta, deixou-me louca de tesão. No entanto, quando o primo começou a roçar a rola nos bicos das minhas mamas, veio-se e encheu as minhas tetas de porra. Ainda bem, pois se tivessemos ido mais além, o Marcos viria mais tarde a saber que eu já não era virgem e que o tinha traido.

Na primeira vez me doeu bastante, mas o Marcos gostou e me fodeu com força. Nas vezes seguintes se tornou super gostoso e me começei a viciar. Sempre que os meus pais não estavam em casa, fodiamos que nem uns loucos.

Disk Sexo

Alguns meses depois, o Marcos veio com a ideia de irmos a uma casa de swing. Agradou-me a ideia de conhecer outras rolas, com o consentimento do meu namorado.

A primeira casa de swing a que fomos, foi sugerida por uma amiga minha, filha de um pastor, que já a tinha visitado. Era frequentada por caras mais velhos. Era numa vivenda. Na sala, ouvia-se musica bem alto, bebiam-se uns copos e dançava-se. As mulheres deveriam estar com lingerie e saltos altos, os homens ficavam de short. Mal entrámos, nos despimos num hall, depois entrámos na sala e rápidamente me senti o centro das atencoes daqueles homens. Iam-me pedindo para dançar músicas lentas. Dançávamos agarrados. Os caras se iam roçando no meu corpo, enquanto o meu namorado sentado num sofá ia observando a sua namorada sendo apalpada por aqueles velhos tarados, enquanto bebia um wisky. Os caras ao meu ouvido iam-me propondo irmos para os quartos para fazermos sexo. Eu perguntava-lhes o que tinham eles para me dar, antes de lhes oferecer a bucetinha. Um prometia que me iria mamar e chupar as mamas até me levar ao orgasmo antes de me foder. Fiz-me de cara e disse-lhe que tinha de ouvir outras propostas. Outro velho, me prometeu lamber o cuzinho antes de me foder. Ouvi outras propostas, me deixando apalpar, beijar, enquanto olhava de lado para o meu namorado. Acabámos por sair repentinamente quando o Marcos teve um acesso de ciumes. Quando saimos de lá, chamou-se de piranha safada, gritando comigo. Antes de chegarmos a casa, fizemos as pazes e nos beijámos loucamente.

Uns dias depois, o Marcos voltou com a ideia de que me gostaria de ver foder com outro cara. A proposta era fazermos swing com o melhor amigo dele e a sua namorada. O melhor amigo dele era louco por mim. Várias vezes, sem o Marcos saber me galou. Chegámos a nos beijar e a trocar uns amassos, mas eu sempre o ia travando, dizendo-lhe que o meu namorado era seu amigo e podia vir a saber. Confesso que também sempre senti uma atração por ele, que aumentou, quando ele uma vez no cinema, no escuro, e com o meu namorado ao lado, colocou a sua rola de fora e levou a minha mão até ela. Senti-a, era grossa e enorme, ………, não me apetecia largá-la, pelo que lhe bati uma punheta lenta, até ele encher me encher a mão de porra. Acho que o meu namorado estava atento ao filme e não percebeu.

Alugámos um bungalow perto de uma praia pouco procurada. O bungalow era pequeno, tinha uma sala com uma unica cama, e um banheiro. Mal entrámos a namorada do Edu se começou a despir e atirar-se ao Marcos. Eu não precisei de me despir, kkkkkk, o Edu me começou a beijar e a apalpar-me, enquanto me arrancava a roupa. Já todos nus tivemos de dividir a cama. Eu e o Edu numa ponta e o Marcos e a namorada do Edu na outra.

Sentei-me numa ponta da cama e abri as pernas, ficando com a bucetinha completamente exposta ao Edu, que se ajoelhou e começou a lambe-la de baixo para cima. Lambeu-a toda demoradamente, chupando o grelo e me levando a gemer mesmo ao pé do meu namorado, que era montado pela namorada do Edu, enquanto olhava para mim. Depois foi a vez do Edu me penetrar. O pau do Edu era bem maior e mais grosso do que o do Marcos. Fiquei excitada com aquela visão e antes dele me penetrar, lambi-o. Depois comecei a chupar a sua glande, até o Edu me agarrar a cabeça com as duas mãos e começar a penetrar a minha boca, forçando a minha garganta com o seu pau, me levando a engasgar-me várias vezes. Nessa altura a namorada do Edu e o Marcos já tinham parado de foder e nos observavam. De vez em quando o Edu tirava o pau da minha boca e batia com ele em cada uma das minhas faces, depois voltava a enfiar o caralho na minha boca e me começava a foder a boca novamente. Enquanto isso a namorada do Edu me lambia a buceta. Foi então, que o caralho do Edu derramou um fio de porra que ficou preso no canto da minha boca. Depois do Edu me foder a boca, o meu namorado me beijou apaixonadamente na boca, sentindo a porra do Edu, enquanto a namorada do amigo me continuava a lamber a buceta e a chupar-me o grelo, até me levar ao meu primeiro orgasmo. Desejava ser penetrada na buceta pelo enorme pau do Edu, mas ele queria era foder o meu cuzinho em frente do seu melhor amigo e meu namorado, pelo que me pediu para me colocar de quatro. Antes do Edu me penetrar no cuzinho, o meu namorado lambeu o meu buraquinho, lubrificando-o bem, preparando-o para receber aquele caralho montruoso. O Edu primeiro foi penetrando devagar o meu cuzinho, enquanto eu soltava algus “ais” de dor. O Edu pouco se importou se me estava a magoar, enterrando todo o seu pau no meu cuzinho, depois me começou a foder com força, como os cães fazem com as cadelas, enquanto a sua namorada excitada me ia beijando na boca. Algum tempo depois fiquei com o cuzinho cheio de porra do Edu. Até ao final da tarde ainda fodemos mais: fiz pela primeira vez uma dp e confesso é muito gostoso e que todas as mulheres deviam experimentar.

Já passaram alguns meses e eu e o Marcos nunca mais fizemos swing. Ele agora acha que podiamos fazer algum dinheiro se eu fizesse de acompanhante. O que ele pretende, mesmo, é que eu faça de GP. Tenho duvidas, pois não sei se estou preparada. A minha amiga, filha do pastor, tem me incentivado a experimentar. Não sei o que fazer.

Podem-me dar alguns conselhos?. Acham que eu devo ir nessa? Se sim votem neste conto.

Um beijo para todos da Claudia.

Sexo por Telefone

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.