Minha mulher virou putinha de rua no bairro

Havia cinco horas minha atraente mulher havia atrevido para sua primeira noite nas ruas. Há pouco mais de um mês eu não poderia ter ao menos avaliado que a sua imaginação seria levada tão a grave, a ponto dela ter considerado afoiteza de primeiro me montar, e após aplicar em execução o desejo de analisar ser puta de rua. Em seguida do abalo, eu acabara por abraçar, e agora então aparecia eu, às duas da manhã, esperando que ela entrasse pela acesso do nosso afastamento. Não demorou bastante e a acesso se abriu, e levei um tanto de abalo, uma vez que sua aparência era bem distinto da que tinha no momento em que saira 5 horas antes. Os cabelos estavam um tanto desgrenhados, havia cicatriz de baton borrado em torno da boca e seus joelhos estavam bastante vermelhos, meio esfolados. Perguntei-lhe se aparecia bem e ela respondeu que efetivamente, porém que a noite havia sido dura. Disse-lhe por isso que podia imaginar, não devia ter sido facil ter que sair com desconhecidos, ela que de modo algum tinha realizado aquela coisa. Porém de imediato ela disse que não, o dificuldade na realidade tinha sido o frio, que havia sido dificil ficar andando com aqueles sapatos de agressão alto pela calçada esperando os clientes, e que no momento em que apareciam era inclusive um abrandamento uma vez que dentro dos carros ou dos quartos era quente e confortavel. Fiquei abalado com a confiança com que falou isto, e perguntei se no mínimo havia valido a pena. Sem dizer nada, ela enfiou a mão dentro do bolso do blazer e retirou um carteira de notas. Calculei que havia no mínimo uns 300 reais. Quatrocentos e oitenta reais, ela me disse, como que lendo meus pensamentos. Era muito, e perguntei como ela havia cobrado. Me respondeu de imediato: dez pelo boquete, trinta pela trepada simples e cinquenta reais o anal. Fiquei boquiaberto. Com aqueles princípios, ela tinha considerado no mínimo dez programas ao longo as 5 horas que havia estado fora. Percebi por isso que ela havia mencionado ANAL e perguntei-lhe se tinha realizado aquela coisa, uma vez que em casa ela de modo algum havia me deixado penetrá-la por tras. Ela disse que na verdade tinha dado o cú no mínimo umas seis vezes naquela noite, e como para me aconselhar, retirou o blazer e levantou a minúscula fora. Arreganhou a assento com as duas mãos, e vi que a região do ânus aparecia toda avermelhada e com um fachada melado. Perguntei-lhe se não tinha acepção muita dor, já que de modo algum havia levado no bunda, no que ela me respondeu que com o primeiro cliente havia doído bastante, porém que em seguida acabou se acostumando. Na realidade, ela disse, no fim da noite ela aparecia até oferecendo o cú para os clientes, uma vez que o dinheiro abrigo a pena. Disse similarmente que aproximadamente ninguém havia lhe carcomido a buceta, ou levava no bunda ou lhe enfiavam na boca. Fiquei olhando para ela enquanto me dizia tudo isto, também não acreditando no que aparecia ouvindo. Perguntei-lhe por isso se aparecia com apetite. Foi como um abalo no momento em que ouvi ela agir que não podia nem sequer julgar em alimentar-se nada naquele hora, uma vez que havia engolido amalucado porra que tinha ficado enjoada, que ela imaginava que tinha bebido mais de um taça de porra naquelas agonia horas. Disse-lhe que aparecia exagerando porém ela confirmou me dizendo que havia chupado no mínimo uns oito caras, e todos tinham ejaculado direto garganta abaixo. Neste hora, acho que ela viu na minha cara que eu aparecia um tanto abismado e para arrebentar meu admiração me perguntou se eu ia desejar meu prêmio de alívio de imediato. Nós haviamos combinado que no momento em que ela voltasse, eu poderia fodê-la do modo que eu quisesse, sem discussões. Perguntei-lhe se não aparecia por demais cansada e ela nem sequer se deu o trabalho de agir, somente se abaixou, abriu meu zíper, ajoelhou-se e começou a me chupar. Entendi de imediato visto que seus joelhos estavam esfolados, ela devia ter passado um bom bela da noite naquela acomodação. Sua cabeça deslizava para cima e para baixo do meu bimba, e de vez em no momento em que ela olhava para cima, como para afirmar se eu aparecia gostando. Por isso percebi que aparecia fazendo isto visto que aprendera que olhando para a expressão do seu cliente, conseguia achar no momento em que ele aparecia para achincalhar, e podia se preparar para absorver. Perguntei-lhe se era isto inclusive, e sem levar o pau da boca, gemeu afirmativamente. Após uns 3 minutos chupando, finalmente largou a pica e também ajoelhada perguntou como eu ia desejar achincalhar. Eu queria enfiar no seu bunda, porém fiquei em duvida de exigir, também não aparecia acomodado com essa nova mulher que eu acabava de achar. Perante do meu atenção, ela percebeu e perguntou se eu queria analisar pela primeira vez seu cú. Também meio acautelado, indaguei se não aparecia com ele ardendo. A resposta veio direta, me disse que se já havia agasalhado seis picas antes, não era mais uma que ia realizar diferença, e que eu podia comê-la do modo que eu quisesse, que ela aguentaria tudo sem reclamar. Falando isto, ficou de quatro e olhou para mim, como me dizendo que aparecia pronta. Ajoelhei-me por após dela e no momento em que aparecia para enfiar ela virou-se de novo e me pediu como um favor se eu poderia arreganhar sua assento com as mãos, visto que dessa maneira doía pouco e era menos difícil da pica entrar. Fiz o que ela pediu, e no momento em que arreganhei é que pude reparar como o seu cú aparecia vermelho-do-cafeeiro. Hesitei um tanto porém no inclusive afincado ouvi ela dizer para achar-se logo, e perguntou o que eu aparecia esperando. Disse-lhe que seu ânus aparecia bastante vermelho-do-cafeeiro e ela me perguntou como eu esperava que ele estivesse após ter sido enrrabada tantas vezes. Olhou de novo para após e me olhando nos olhos disse que alguns clientes tinham uma pica bem mais grossa que a minha e nem sequer por causa disso tinham hesitado em enfiar seus cacetes bunda adentro. Notei que ela aparecia inclusive um tanto irritada e para não adiar a situação comecei a pressionar meu pau no seu cú. Como ele aparecia melado de porra não foi bastante dificil de adentrar. Forcei mais um tanto e num afincado senti minha virilha abalar em sua assento, meu pau aparecia agora todo enfiado. Neste hora ouvi ela iniciar a gemer, e por iniciativa própria começou a abalar o corpo para após e para frente, fazendo o pau entrar e sair um tanto do cú, porém sem de modo algum deixar de estar um tanto penetrada. A percepção era bastante ótima, ela continuava gemendo, e por isso desconfiei que na realidade ela aparecia era gostando, que no final da noite ela não aparecia mais oferecendo o bunda para os clientes apenas pelo dinheiro, porém visto que ela havia aberto que apreciava ingerir no cú. Disse isto para ela porém para minha abalo me disse que não era bem dessa maneira, que ela ficava gemendo visto que dessa forma os clientes gostavam mais e gozavam mais acelerado, e que era dessa maneira que uma puta devia se abranger. Perguntei por isso se inclusive comigo ela aparecia se comportando como puta, e me respondeu que para ela naquele hora eu não passava de mais um cliente, visto que apenas inclusive uma vadia de rua ia deixar um homem enrraba-la daquele modo, sem reclamar. Ouvindo isto, resolvi iniciar a trata-la como a puta que ela queria ser e começei a estocá-la cada vez mais forte e mais acelerado. Seus gemidos por isso se modificaram, e percebi que agora devia estar doendo mais, porém inclusive dessa maneira continuei. Queria analisar até no qual ela aguentava e para minha abalo ela resistia e continuava a se abalar me ajudando a fodê-la. Fiquei consumindo aquele bunda por uns 5 minutos até que não aguentei mais e ejaculei tudo dentro da assento. Retirei o pau também difícil e apenas por isso ela parou de gemer e de se abalar. Porém ao invés se acordar, também de quatro ela somente se virou e num movimento acelerado abocanhou a pica toda melada e com a dialeto limpou a cabeça e o cana, engolindo o resto de sêmem que havia abundante. Apenas por isso se levantou, abaixou a fora e fechou o blazer, como se estivesse se arrumando para mais um programa. Eu mal podia abonar no que tinha acertado. Equilibrando-se sobre seus sapatos de agressão alto, ela caminhou em direção ao banheiro para tomar um bom banho, enquanto cicatriz de porra escorriam pela suas pernas. Também estupefato, perguntei por abelhudice se havia sido complicado obter um taxi para trazê-la de volta para casa. Ela por isso respondeu que não, e que na realidade nem sequer fora necessário pagar pela abalada, uma vez que no momento em que chegaram aqui ela ofereceu um boquete para o condutor do taxi em troco da viagem, que na mesma momento aceitara e estacionara o automóvel, e ela havia chupado então inclusive em frente ao afastamento. Foi por isso que me convenci que ela havia se adaptado numa puta capaz de realizar qualquer coisa, e a partir daquela noite eu teria que dividí-la com qualquer um que lhe oferecesse um tanto de bronze para se servir sua boca, buceta ou bunda.

 
Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.