Minha mulher transando com outro macho

Somos casados a 6 anos. Sempre tivemos curiosidades sexuais. Sempre inventávamos brincadeiras novas. Ate que nos deparamos com uma matéria sobre swing. Ficamos curiosos a respeito. Conversava-nos quase sempre sobre o assunto. Ate que um dia resolvemos conhecer uma casa de swing. Passamos uma noite alucinante, o lugar cheirava sexo por todos os cantos. Casais transavam do nosso lado. Aquilo foi nos deixando excitadíssimos. Logo estávamos transando com uma porção de gente à nossa volta. Havia na casa homens sozinhos também. Entre estes homens os rapazes do show de strip. Conhecemos o Marcio (o meirinho). Nesta noite não rolou nada com ele. Mas vontade da parte dele e da Cíntia não faltava. Por ser a primeira vez, estávamos modestamente tímidos, houve apenas troca de telefone. Enquanto eu fui buscar uma bebida pra nós ele deu o numero do telefone pra ela. No caminho de casa, já de volta, ela comentou a respeito. Disse que não podia negar que ficou com vontade de transar com o rapaz. Praticamente quase toda noite nós transávamos lembrando do que aconteceu na casa noturna, durante nossas fodas, tocávamos no assunto do rapaz.

Imaginávamos como seria ela transando com outro. Ficávamos muito excitados, gozávamos como dois loucos. Ate que resolvemos ligar para ele. Ela ligou pro rapaz numa quarta feira por volta das oito da noite. Conversaram um bom tempo. Ao desligar o telefone, me disse que se eu topasse o rapaz estava nos esperando, já tinha ate passado o endereço. Acabei topando a brincadeira ela ligou novamente confirmando que iríamos, saímos rumo ao apartamento do rapaz. Tocamos o interfone. Ele atendeu, sabia que éramos nós. Abriu a porta e subimos ate o andar indicado por ele. Quando chegamos não precisamos tocar a campainha, ele estava nos esperando na porta. Era mês de fevereiro, o tempo estava ótimo a noite estava agradável. Ele usava apenas um short. A Cíntia também estava à-vontade. Vestia uma blusinha e uma sai jeans curta. O tamanquinho que usava deixava suas pernas mais torneadas e alongadas. (vim o caminho todo acariciando suas coxas e sua bucetinha). Sentamos o sofá da sala. Os dois sentaram-se juntos, eu sentei numa poltrona de frente pra eles. Conversamos a respeito da casa e de como ele tinha começado a fazer shows na noite. Perguntamos se os casais iam com freqüência ao apartamento dele. Respondeu que não. Difícil mente dava o telefone, só para pessoas que ele sentisse confiança. Enquanto conversávamos ele alisava as pernas da Cíntia. Deixando-a mais relaxada. Comentou que eu tinha uma bela mulher. Sorri e agradeci. As mãos dele acariciavam os cabelos dela descendo-as pelo seu rosto. Perguntou-me se podia dar-lhe um beijo. Respondi que sim, se ela quisesse! Beijaram-se, podia ver as línguas se entrelaçando uma na outra. A mão dele deslizou entre as coxas dela chegando na bucetinha. Ela abriu um pouco as pernas facilitando as coisas pra ele. Acariciava a buceta dela por cima da calcinha. Não demorou muito pra colocar a mão por dentro. Logo ela colocou a mão por dentro do short segurando a rola, batia uma punheta pra ele. Ele tirou o short, a mão dela deslizava no pau todo. Fazia uma punheta maravilhosa pra ele. Não tive vontade de me juntar a eles, queria ficar olhando minha mulher brincando com o rapaz. Admirava ela acariciando a rola dele. É como se eu estivesse assistindo um filme, só que a atriz era a minha mulher, não da pra explicar a sensação. Ajoelhada entre as pernas do rapaz, enfiou a rola dele na boca. Chupava devagar, como se estivesse chupando o doce mais gostoso do mundo. Podia ver a rola sumindo na boca dela. Enquanto chupava, batia uma punheta com a rola na boca. Sugava a cabeça do pau, descia a boca pelo lado dele chegando até o saco. Enquanto ela o chupava. Suas roupas iam sendo tiradas ate que ficou peladinha. Não resisti, ajoelhei atrás dela. Beijei suas costas, passei a mão na buceta dela, estava molhada, seus pelinhos estavam molhados. Acariciava a buceta dela e olhava ela chupar-lo. Estava bem próximo coloquei os cabelos dela do outro lado do rosto. Via a bochecha dela estufar quando a cabeça do pau era engolida. Sussurrei no ouvido dela pra ela chupar bem gostoso. Disse que queria vê-la fazer ele explodir de tesão com ela, queria que ele visse como minha mulher é gostosa, queria vê-la fodendo bem gostoso, queria ser a minha buceta ser penetrada. Isto a deixou mais tarada ainda. Chupava a rola dele com mais vontade. Voltei para a poltrona. Ele abriu uma gavetinha do móvel ao lado do sofá, pegou uma camisinha, abriu a embalagem com os dentes. Ela pegou o preservativo das mãos dele e começou a colocar no pau. Vê-la preparando a rola dele pra penetrá-la me deu mais tesão. Depois de colocar a camisinha nele, bateu uma punheta pra ajustá-la. Ajoelhou no sofá com as pernas abertas sobre ele, segurou a rola passando devagar na boquinha da buceta. Beijavam-se enquanto ela esfregava o pau na buceta. As mãos dele passavam pelas costas dela descendo ate a bunda abrindo-a, deixando seu cuzinho amostra, podia ver a cabeça do pau dele passando entre os lábios da buceta. Colocou a ponta da rola na entrada molhada da bucetinha. Pude ver a rola entrando nela. Podia ver a boquinha se abrindo e a cabeça do cacete sendo engolida por ela. Ele mamava em seus peitos. Devagar a rola entrou toda. Ele segurava a bunda dela aberta, eu podia ver seu cuzinho movendo-se cada vez que o pau entrava e saia. Ela subia e descia devagar, sem pressa. Sentada sobre ele com a rola toda enfiada na buceta ouvi quando ela num suspiro disse que o pau dele estava no útero dela. Meu pau latejava de tesão. Sentia minha cueca molhada. A Cíntia fazia movimento trazendo o quadril pra frente e pra trás. Dizendo que estava uma delicia sentir o pau dele passando pelo útero dela. (ela adora sentir a cabeça da rola no útero, diz que não tem sensação igual). Abraçavam-se e beijavam se. Ela passava o dedo no buraquinho do czinho dela, como se me convidando a penetrá-la por trás. Sei que se eu tentasse, ela deixaria, já tínhamos falado também sobre isto, mas queria vê-la ser fodida. Depois de um tempo fodendo no sofá, deitaram-se no chão. Ela abriu as pernas deixando os joelhos dobrados. Ele deitou entre as pernas dela, enfiando a rola naquela buceta molhada e já aberta pela grossura da rola dele. Faziam um papai e mamãe maravilhoso bem ao meu lado. Não resisti me ditei ao lado deles. Ele sustentava o corpo nos braços. Eu a beijava, passando a língua nos lábios dela, acariciava sua coxa grossa. Ela gemia dentro da minha boca e me dizia o quanto estava gostoso aquilo. Eu pedia pra ela foder bem gostoso, dizia o quanto tesão eu estava sentindo em vê-la metendo. Olhava pra buceta dela e via a rola do rapaz entrando e saindo dela. Via os pelinhos se movendo com o entrar e sair da rola dele. Ele dizia o quanto ela é gostosa, que a buceta dela é uma delicia e que das mulheres que já havia comido no clube nunca tinha pego uma tão solta e liberada, dizia que os maridos deixam elas transarem mais ficam regulando a mulher. Dizia que queria encher a buceta dela de porra. Colocou as pernas dela nos ombros. Socava o pau ate o fundo. Os gemidos dela se transformaram em gritos de tesão. Ela pedia entre os gritos pra ele foder, dizia que queria senti-lo gozando no fundo da buceta. Fiquei deitado ao lado dela. Beijava-a só pra sentir os gritos e pedidos dentro da minha boca. Ele empurrou a rola toda dentro dela. Gozou no fundo dela, como havia pedido. Ela soltou um grito e gozou junto com ele. Dizia freneticamente pra ele gozar. Pedia pra enchê-la de porra. Tirei o pau pra fora, ajoelhei ao lado da bo0ca dela. Bati uma punheta. Que não demorou nada. Logo minha porra estava esguichando dentro da boca dela, esparramando pelo rosto e peitos. Deitamos ao lado dela. Ficamos acariciando-a. ele tirou do lado do sofá um rolo de papel toalha para que ela se limpasse. Ficamos um bom tempo ali conversando. Revesavamos a boca dela nos beijos, nossas mãos acariciava a buceta dela, enfiávamos o dedo junto nela. Voltamos pra casa. Mais uma vez fodemos feito dois loucos. O Marcio ficou um bom tempo como nosso parceiro. Nos apresentou uns amigos do clube das mulheres que também fodia com a Cíntia. Ela chegou a foder com quatro ao mesmo tempo. Foi uma aventura inesquecível. Bom mais isto eu conto outro dia. Espero que tenham gostado. Pois esta era nossa. Fantasia e que realizamos com muito tesão e cumplicidade. Caso você que leu este relato ou sua parceira tenha esta fantasia, realize é maravilhoso

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *