Minha filha é muito putinha

Mesmo tendo comprado uma bela casa em um condomínio fechado, sempre tive preocupação com a segurança da minha família. Acabei que instalei algumas câmeras em torno da casa, dentro da casa em dois pontos: sala e corredor interno e ainda dentro na garagem onde coloquei três câmeras, por ter por dentro da garagem um acesso pra casa… Isso tudo eu podia acessar via internet de onde estivesse: do meu escritório na firma, do meu escritório que tinha também em casa e onde mantinha toda aparelhagem para gravação das câmeras, e também pelo meu note book quando estivesse em viagem. Preocupado, sempre que tinha tempo eu dava uma espiada nas câmeras. Minha esposa e filha sabiam que aquelas lâmpadas spots tinham câmeras camufladas e que gravavam tudo; mas acho que com o tempo elas foram esquecendo. Foi em uma dessas espiadas que flagrei minha filha nua deitada no sofá falando ao telefone com alguém. Parecia que ela tocava na vagina enquanto conversava possivelmente com seu namorado. Pra falar a verdade, minha filha era um pedaço de mau caminho: 18 aninhos; loira, seios médios e um lindo bumbum… Foi a primeira vez que fiquei de pau duro por causa da minha filha. Passou a ser normal ver de vez em quando minha filha andando dentro de casa nua; no horário que ela ficava sempre sozinha, e até deitar no sofá da sala pra ficar lendo alguma revista, falando no telefone ou mesmo só assistindo TV. Estava dentro de um hotel em São Paulo, quando liguei o note book pra dar uma checada na minha casa vi no exato momento que minha filha acionava o controle da garagem para que o namorado colocasse o seu carro. Pulei pra câmera de dentro da garagem e passei a ver minha filha entrando no carro do namorado (que eu ainda nem sabia o nome) após fechar a porta da garagem. Pela câmera bem em frente fui vendo Natália tirando a blusa e o namorado começando a mamar nos seus peitos. Lógico que eu imaginava que minha filha já transava com seu namorado, e mesmo sentindo um pouco de ciúmes não podia falar nada. Continuei assistindo e fiquei com os olhos arregalados quando vi os dois saindo de dentro do carro e tirando suas roupas até ficarem completamente nus. Veio um nó na garganta quando o namorado sentou no capô do carro e ela logo foi colocando a boca no cacete do rapaz começando a mamar. Mas foi quando os dois trocaram de posição com ela ficando de bruços sobre o capô e ele foi enfiando a pica na sua boceta é que não aguentando tirei a minha que tinha ficado muito dura pra fora e fiquei punhetando enquanto olhava para o monitor do note book. Fiquei preocupado quando percebi que o rapaz gozou na minha filha, que ela teve que usar sua calcinha pra ficar limpando sua boceta antes de se vestirem e subirem pra dentro da casa indo continuar o namoro no sofá da sala. Dois dias depois, parece que Natália estava sozinha em casa e ela recebeu o namorado na sala e ali mesmo começaram a se pegar. Novamente mamou na pica do namorado pra em seguida tirar a calcinha e ir sentar em cima do pau duro do rapaz… Cavalgou por alguns minutos, pra sair e ir ficar de joelhos sobre o sofá empinando a bunda. Deu pra perceber que o rapaz procurava abrir as nádegas da Natália pra enfiar no seu cuzinho e ficar socando até gozar… Não sabia que eu tinha uma filha tão safadinha que parecia gostar de dar até a bunda. Vi outras vezes Natália transando com seu namorado na garagem e até dentro de casa no sofá; só não conseguia gravar quando ela o levava pro seu quarto. Passei a gravar separadamente alguns vídeos em que eu a via nua dentro de casa e principalmente os momentos em que ela transava com o namorado… Tinha praticamente quase uma hora de filme, que gostava de assistir quando estava no meu escritório em casa. Novamente em viagem, vi novamente Natália transando com seu namorado dentro da garagem; mas, quando no outro dia a vi novamente dentro da garagem (sem nenhum carro) transando com outro cara (dessa vez usando camisinha) sobre um colchonete ali abandonado; não aguentei. Imediatamente liguei pro seu celular e através do monitor vi quando ela atendeu após a terceira vez que disquei.
– Oi pai!…
– Porra Natália; esqueceu que ai na garagem tem câmeras filmando o que vocês estão fazendo?
Assisti todo seu apavoramento; ela desligou imediatamente o celular, tentando ver onde estavam as câmaras, antes de apressadamente se vestir e sair da garagem. Voltei da viagem, e no sábado cedo estava no meu escritório em casa quando Natália toda envergonhada entrou.
– Você estava vendo, pai?…
– Tudo… Mas quem era aquele cara?
– Ué… Meu namorado.
– Namorado? Mas então quem era aquele que você transou no dia anterior?
– Meu Deus… Você também viu, é?…
– Vi você varias vezes com aquele magro que eu achava que fosse o seu namorado, transando na garagem e até dentro de casa.
Natália ria de nervosismo e acabou confessando que o último que eu tinha visto era apenas um amigo. Quando perguntei sobre ela transar um dia com o namorado e o outro com o amigo, me disse que adorava fazer sexo e que ultimamente vinha sentindo uma tara em trair o namorado e acabou chamando aquele amigo pra transar… Que tinha sido a primeira vez que traiu o namorado. Ficamos conversando um bom tempo, e acabei mostrando pra ela algumas partes do que eu tinha gravado dela sozinha nua dentro de casa e outras dela transando com o namorado; chupando e até dando a bunda.
– Caramba pai… Você viu isso tudo?
– Pra falar a verdade gostava de assistir você transando com o seu namorado.
– Nossa pai; é mesmo?
– Vocês transam, toda vez que ele vem aqui em casa?
– Ele só vem às terças-feiras; e a gente transa sim.
– Vai continuar transado com ele na garagem?
– Acho que agora não, né pai? Já que você fica vendo tudo.
– Não se preocupe comigo… Não vejo problema nenhum ficar vendo vocês dois.
Ela já rindo mais descontraída, me deu um beijo pedindo pra que eu nunca contasse pra sua mãe. E na terça-feira, no horário de costume, do meu escritório na cidade liguei o computador e fiquei aguardando até que o namorado chegou. Achava até que nada ia acontecer, já que ela sabia que eu poderia estar vendo. Mas não demorou muito, depois de alguns beijos, com ela sentada no capô do carro o rapaz tirar sua calcinha e só levantando um pouco sua saia começou a meter. Ela discretamente olhava pra onde sabia que estava a câmera e sorria. Depois de alguns minutos, deu pra perceber quando o rapaz tirou da sua buceta e ela virando de costas ficando de bruços sobre o capô, enfiou no seu cú e após dar algumas bombadas gozou. Natália passou a mão na sua calcinha e foram pra dentro de casa. Quando cheguei a noite, Natália não estava em casa e só fomos nos encontrar no dia seguinte quanto estava tomando meu café da manhã. Ela me deu um beijo e falando quase no meu ouvido.
– Você viu ontem?…
– Vi tudo!… Pena que não posso ver ao vivo, nê?…
E foi minha própria filha quem deu a dica.
– Kakakakakaka… Hoje a noite é dia de a mãe ir na igreja.
Procurei não me atrasar, pra chegar exatamente no horário que minha mulher estivesse na igreja. Assim que entrei com o carro na garagem Natália já estava lá dentro trajando um vestido bem curtinho que mal cobria sua calcinha. Ela entrou no banco do carona e me dando um beijo foi exatamente o que eu vi: sua calcinha. Pelas atitudes de Natália, não deixava nenhuma dúvida… Abracei-a e com a mão fui tirando sua calcinha; ela rindo.
– Que isso pai? O que você vai fazer?…
– Quero ajudar você a botar chifre no seu namorado.
Dei-lhe um rápido beijo na boca, e ela após dar uma nova risada tomou a iniciativa de também me beijar. Ela após abrir minha camisa foi abrindo minha calça e eu fui ajudando ela tirar meu pau pra fora.
– Nossa pai, é lindo!…
– Quer chupar?…
E a putinha da minha filha nem esperou pedir novamente; reclinou no banco e abocanhou minha pica dando uma gostosa mamada. Mas eu queria outra coisa; pedi pra parar e saímos do carro onde ela deitou no capô e ficou esperando enfiar na sua bucetinha.
– Ui pai… Mete pai… Ah… Ah… Aaaahhh…
Bastou dar umas dez socadas pra ela gritar que estava gozando. Como via que o namorado sempre gozada dentro, dei mais algumas bombadas e parei com o pau todo enfiado pra gozar muito dentro da sua bucetinha. E Natália após limpar sua buceta com a calcinha, voltou a me beijar na boca.
– Adorei pai… Vou querer sempre.
Dois dias depois, foi ainda dentro da garagem que veio me pedir pra meter na sua bundinha. Como minha esposa estava no banho, tivemos que fazer tudo muito rápido. Natália primeiro deu uma mamada pra molhar meu cacete, e recostando no carro empinou a bundinha. Que cuzinho delicioso… Quanto enfiei tudo Natália ficou piscando o cuzinho no meu pau enquanto fazia o vai e vem até eu gozar. Passei a comer minha filha constantemente, e ela, terminou com o namorado pra logo arrumar outro… E foi com esse que ela esta casada e me diz que só paz o papai e mamãe com ele; mas comigo continua gostando de dar uma mamada e tomar no seu cuzinho

Sexshop
Sexo por Telefone

4 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.