Minha enteada abusada demais

Olá a todos! Sou o Rafa, tenho 30 anos e sou casado com a Ana. Bom, eu conheci a Ana e ela já tinha sua filha, a Mirian, que na época tinha 11 anos. Eu considerava a menina como uma filha.

O tempo foi passando e comecei a perceber que ela já não era mais uma menininha. Seus peitinhos cresceram ao ponto de ficarem espetando suas blusinhas. Sua bundinha se desenvolveu e ficou maravilhosa. As coxas já eram bem notáveis e seu rebolado já chamava a atenção de todos os machos ao redor.

Um dia ela chegou até mim e me pediu pra fazer o aniversário dela de 15 anos, porque o traste do pai dela só soube fazê-la e tal. Brinquei com ela dizendo que iria ficar caro. Ela fez que ficou surpreendida e deixou sua caneta cair debaixo do sofá.

Em seguida ela se abaixou, ficou de quatro na minha frente pra pegar a caneta e, quando ela olhou pra trás, viu que eu babava vendo aquele corpo de mulata linda na minha frente. Ela estava com uma saia curtíssima e uma pequena calcinha branca tão enfiada no rabo que dava até para ver as bandinhas da bucetinha pelas laterais.

Ela sorriu e me disse que no final ela me compensava o prejuízo. Não levei a sério aquilo e até sorrimos. Depois desse dia percebi que ela passou a me provocar mais, andando de baby doll bem transparente pela casa e muito mais.

Um dia eu levantei para beber água e percebi um estranho gemidinho bem fraco vindo do quarto dela. Para minha sorte a porta estava com uma pequena abertura e pude vê-la se masturbando vendo um vídeo no celular. Pela posição da cama dela eu consegui ver parte do vídeo, e fiquei muito apavorado com aquilo.

No vídeo eu estava fazendo sexo com a minha mulher, ou seja, com a mãe dela. Fiquei gelado e imaginando como ela tinha conseguido gravar aquilo. Na hora fiquei sem reação alguma e com medo da mãe dela ver aquilo e achar que eu era o culpado. Com aquilo na mente, voltei para o meu quarto e resolvi ficar quieto.

O tempo passou e um dia eu cheguei de viagem e a mãe dela tinha ido ao centro resolver algumas coisas e ela estava sozinha em casa tomando banho. Eu cheguei, chamei e ela logo me deu sinal de que estava no banho. Eu entrei e minha enteada logo me falou:

– Padrastinho, pega a toalha pra mim!
– Tá bom, vou levar! – eu respondi.

Quando eu estava chegando percebi que ela tinha deixado a porta do banheiro um pouco aberta e, pra provocar, estava passando a bucha nos pés, abaixada e com sua xotinha virada pra porta.

Fiquei como uma estátua naquele momento e nem me dei conta que ela já estava me olhando. Ela começou a sorrir e disse:
– Gostou?

– Desculpa, Mirian! A culpa foi minha! Eu não devia estar te olhando assim.

– Mas o que passava pela sua cabeça enquanto me olhava? – ela perguntou, insistente.
Fiquei quieto e saí sem dizer nada. Ela saiu do banho, vestiu sua roupa e disse que iria sair.

Enquanto ela se arrumava a mãe dela ligou dizendo que ia ficar na casa do irmão dela, que tinha acabado de cair de moto e se machucado. De imediato liguei para a cunhada dela e confirmei a situação. Então eu disse para a Mirian, minha enteada, o acontecido e fui tomar banho.

Quando saí do banho eu já estava sozinho em casa. A Mirian já tinha saído e então fiquei ali assistindo um filme de ação no meu quarto. Por volta das 10:00hs da noite, a Mirian chegou em casa chamando. Abri a porta e perguntei por que ela havia chegado tão cedo.

Ela respondeu que estava chato ficar com o namorado, porque ele era muito mala e tal. Então sorri, ela entrou e viu que eu estava assistindo um filme.
– Posso assistir com você? – minha enteada perguntou.
– Pode, mas desde que você fique calada! – respondi.
– Pode parar, seu sem graça! – ela sorriu e falou.

Quase no final do filme houve uma parte em que a cena ficou quente. Era um homem bem grande transando com uma magrinha.
– Isso é mentira! Tá na cara! – eu falei.
– Por que?!? – ela perguntou.

– Essa mulher não aguenta esse cara! Olha o corpinho dela! – falei, começando a gostar da conversa.
– Uai!! Meu corpo é pequeno e você acha que eu não te aguento!!?
– Claro que não aguenta, Mirian!! Na primeira você pede arrego!

Nisso ela perguntou se eu duvidava e eu disse que sim. Ela veio, sentou na cama onde eu estava deitado, abaixou meu calção de dormir e viu meu pau saltar pra fora. Minha pica já estava dura e pulsando.
– Puta que pariu!!! Cê é doidoooo? Você tem certeza que a xota da minha mãe engole isso tudo?!? – ela perguntou com uma carinha de assustada.

– Uai! Tá com medo de quê??! – eu sorri e perguntei.
Ela sorriu meio sem graça, olhou meu pau por alguns segundos, analisando, e finalmente foi abaixando o rosto. Logo seus lábios tocaram a cabeça da minha rola e eu estremeci de tesão.

– Chupa, meu amor… chupa essa pica… sua mãe gosta muito dela… experimenta também… vem!! – falei e gemi de tesão quando a boquinha dela engoliu a cabeça do meu pau.
A menina chupava gostoso, e parecia uma profissional na arte do sexo. Enquanto ela mamava, ela arreganhou suas pernas por cima de mim, me convidando para um 69.

Ela estava usando uma mini saia com uma calcinha marrom, bem enfiada na bunda. Pude ver o fundo de sua calcinha completamente ensopado do suquinho da buceta dela. Quando ela se ajeitou em cima do meu rosto, puxei a calcinha dela de lado e meu coração disparou.

Cheguei até mesmo a engolir seco. A bucetinha da Mirian era tão minúscula que mal dava pra ver o buraquinho. Chupei aquela xoxota com tanto jeito que ela não sabia se mamava meu pau ou rebolava sua bundinha, que cabia na palma da minha mão.

Depois de alguns minutos ela saiu de cima de mim e ficou de lado, com uma das pernas levantadas. Eu olhei pra ela e perguntei se era isso mesmo que ela queria.
– Não sou mais virgem, Rafa!! E gosto de obstáculos! Quero esse pau, quero ele me arrombando inteirinha, quero ser rasgada hoje! – ela falou, me olhando nos olhos.

Ela disse isso e beijei sua boquinha, delicadamente, enquanto passava meus dedos em sua xoxotinha. O grelinho estava durinho, deixando claro o quanto ela estava com vontade de dar. Como tenho um pau de uns 20cm e bastante grosso, peguei um gel e o lubrifiquei bem. Depois passei um pouco de lubrificante na entradinha da xotinha dela.

Coloquei ela deitada de costas, segurei suas pernas em meus ombros e apoiei a cabeça da rola na entrada daquela grutinha pequenininha. Fui esfregando, fazendo voltinhas no buraquinho, pra xaninha dela ficar bem à vontade e se acostumar.

Logo comecei a forçar a entrada e a Mirian se contorcia de prazer. Quando o chapéu da rola passou, ela deu uns gritinhos:
– Ai… ai… ai… ai… aiiii… malvado… tenha dó!!!
– Quer que eu pare? – perguntei.
– Nem pensar!!! Quero tudo. Quer sentir seu pau no meu útero!!

Nossa!! Fiquei com uma baita tesão, e fui empurrando e ela gemendo alto. Quando enfiei até mais da metade eu parei e deixei a xaninha dela se acostumar com a grossura.
– Continua, seu delicioso… mete bem fundo que quero gozar… quero sujar sua pica inteirinha com minha porra. – a safadinha disse.

Nessa hora comecei a dar umas bombadas com força, e ela chorava na pica como uma gatinha faminta, e escorriam lágrimas de seus olhos.
– Issooooo, Mirian… chora na rola do seu padrasto safado… deixa eu comer essa bucetinha gostosaaaa… vou arrombar essa bucetinha… pode chorar… chora gostoso… chora!! – eu falava à medida que meu tesão ia aumentando ainda mais.

Quando vi que ela já estava exausta e com um olhar pedindo para que eu gozasse logo, abri mais ainda suas pernas e comecei a bombar com mais velocidade, indo cada vez mais fundo nela.
– Ai, ai, ai… aiiiii… tá doendo, seu cavalo gostosoooo… aí… delícia… goza comigo… goza… – ela pedia, choramingando.

Meti gostoso na minha enteada, e cada vez mais eu afundava a pica na xotinha dela. Até que eu cheguei pertinho do seu ouvido e sussurrei baixinho e gemendo:
– Princesinha… tô gozando… vou encher você de porra, minha gostosaaaaa!!

Mal terminei de falar isso e gozei como um louco. Meu pau estava todo entalado na bucetinha dela, latejando porra bem no fundo, tocando seu útero. Eu tinha gozado como nunca. Logo ela também sussurrou no meu ouvido, bem baixinho:
– Adorei tudo, principalmente seu pauzão latejando dentro da minha buceta.

Quando tirei o pau de dentro dela ela passou os dedos na entrada da xoxotinha e se assustou com o buraco que ficou.
– Meu deusssss!!! Agora só você que vai comer minha bucetinha! Ninguém mandou me arrombar desse jeito!! Nosssaaaa!! Olha como eu fiquei!! – ela disse, com um lindo sorriso nos lábios.

Eu sorri também e fui tomar banho. Quando voltei ela estava andando de pernas abertas e falando que estava toda ardida. Achei aquela cena muito gostosa. Em seguida ela tomou um banho e fomos dormir. No outro dia ela veio até mim e falou rindo:
– Eu quero minha festa de aniversário, viu?

– Claro, minha princesa!! Agora você merece sua festinha e muito mais! – falei e caímos na risada.
Depois disso passei a comer ela todos os dias que a mãe dela saia, e até mesmo quando ela estava dormindo, já que minha esposa tem o sono pesadão.

Espero que tenham gostado do conto. Podem comentar à vontade. Quem quiser fazer contato comigo é só deixar os dados nos comentários que respondo.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail