Me apaixonei por um homem casado

Após um ano bem exaustivo dedicado aos estudos, eu consegui ser aprovada no vestibular, e agora que eu e a Lorena havíamos terminado o relacionamento, o mais importante para mim era focar na minha vida, procurando um trabalho e me mudando para um apartamento, mais próximo à faculdade. Eu acabei encontrando o um emprego de vendedora em uma loja do shopping e logo no mês seguinte me mudei para um apartamento, pois eu queria muito morar sozinha e ter a minha privacidade. Apesar de ainda estar meio mal, devido ao termino do meu relacionamento, tudo estava indo bem, de dia eu trabalhava na loja do shopping e anoite eu ia para a faculdade.

Mesmo com pouco tempo naquele condomínio, adorava o meu apartamento, principalmente o fato de ter o meu canto e a minha privacidade. Aos poucos eu fui decorando exatamente do jeito que eu queria, sempre com a ajuda do sindico o Sr Jorge, um homem de meia idade, com 54 anos, e muito atencioso e simpático. O Jorge, como pediu para ser chamado, sempre deixava alguém da manutenção me ajudando nas instalações do meu apartamento, dessa forma fomos criando um vínculo de amizade, principalmente ao conhecer a sua esposa a dona Mercedes, um amor de pessoa. Eles tiveram apenas um filho, que já era casado e morava no Rio Grande do Sul, então eram apenas os dois que moravam só no apartamento.
No terceiro final de semana no condomínio eles já me convidaram para almoçar, e eu como na maioria das vezes só comia comida pronta, aceitei logo o convite e fiquei encantada com o jeito que eles me receberam, além da delicia da comida da dona Mercedes. Passei a tarde inteira lá com eles, conversando e falando um pouco da minha vida e da minha família.
Na quarta feira anoite logo que voltei da faculdade encontrei o Sr Jorge resolvendo um problema na portaria, nos cumprimentamos e ao perguntar da dona Mercedes ele me disse que havia viajado para visitar o filho. Ficamos conversando um pouco ali na frente do condomínio, quando eu pedi a ele que me enviasse alguém no sábado no meu apartamento instalar uma cortina, ele me disse que o rapaz da manutenção estaria de folga, mas que ele mesmo iria lá me ajudar. No sábado logo pela manhã, lá pelas 09:00 hs ele bateu em meu apartamento, com a sua caixa de ferramenta para me ajudar na instalação da cortina, tomamos um café conversamos um pouco e ele começou a fazer o serviço terminando 1 hora depois. Eu fiquei tão feliz com o resultado, que acabei chamando ele para almoçar em casa, já que a sua esposa havia viajado. Combinamos de comprar comida na esquina e enquanto isso, ficamos na sala conversando, ele bebendo cerveja eu tomando o meu suco. Após um tempo ele me pediu para ir ao banheiro, demorando por alguns minutos, logo em seguida foi eu que entrei no banheiro reparando uma situação estranha. Eu tinha certeza que a calcinha que eu havia trocado naquela manhã estava em cima do sexto de roupa suja e ao entrar no banheiro ela já não estava mais lá, e sim dentro do sexto de roupa suja, ou seja ele havia mexido nela.
Eu sempre tive a intuição de que ele me ajudava por ter uma interesse a mais em mim, mas achava que era só coisa da minha cabeça, mas agora o fato de ele ter mexido na minha calcinha, me deu a certeza de que eu era desejada por ele. Isso mexeu profundamente comigo, eu adorava saber o quanto os homens se interessavam por mim, sempre que eu via um homem me olhando com desejo, a minha autoestima ia lá em cima e isso era muito bom. Fiquei por um tempo ali no banheiro, com a minha calcinha na mão, sentindo aquele friozinho na barriga, só de pensar que o Sr Jorge, mesmo sendo um homem casado me desejava como mulher. Agindo impulsivamente eu acabei tomando um banho, troquei a minha roupa, vestindo uma saia jeans mais curtinha e uma blusinha colada, que modelava com perfeição os meus seios.
Inconscientemente, eu já começava a conversar e a me comportar de uma outra forma, mesmo sem sentir, um clima de sedução já tomava conta daquele lugar, pois a cena daquele homem tocando na minha calcinha com desejo, não saia de minha cabeça.Com o passar do tempo, após algumas cervejas ele já começava a me encarar de uma forma mais incisiva, deixando seus instintos de macho falar mais alto e aquilo estava me excitando cada vez mais. Ele me passava a percepção de ser um bom homem, e fiel à sua esposa, e esse seu jeito me deixava mais louca ainda para provoca-lo e provar que os certinhos também adoram comer uma outra mulher. Quase na hora do almoço, ele já havia bebido algumas cervejas, quando eu sai da minha poltrona e sentei-me ao seu lado, bem próximo ao seu corpo, sendo isso o bastante para que sem falar uma só palavra, nos aproximássemos em um beijo ardente. Enquanto nos beijávamos, comecei a acariciar aquele cacete, que aos poucos foi se avolumando na palma de minhas mãos, parecendo estar estourando por dentro daquela calça.
A minha buceta já estava bem molhada e inchada implorando por aquele pau, quando eu senti as pontas de seus dedos tocando bem de leve o meu clitóris, me deixando completamente louca de tesão. Tomada pelo desejo eu me coloquei de quatro, voltada com o rosto em direção ao seu cacete, fui abrindo as suas calças bem devagar, libertando aquele cacete que saltou diretamente para minha boca. Só de pensar que aquele mastro que comia a Mercedes estava bem ali, atolado na minha boca, fiquei louca, chupando seu cacete de uma forma descomunal. O Jorge começou a gemer de tanto tesão que sentia naquele momento, ficando louco a medida que o cacete batia na minha garganta e eu me engasgava. Eu chupei muito aquele cacete, deixando ele bem molhado, latejando de desejo, e à medida que eu via aquele homem louco de tesão, eu me excitava ainda mais. Em um certo momento ele não aguentou mais ser torturado e tomando as rédeas da situação, me pegou no colo, me levou até o banheiro, e com seu cacete completamente duro para fora, levantou minha saia, afastou a minha calcinha, e começou a pincelar a pica bem na entrada da minha fenda. Ai…que tesão que deu naquela hora!

– É isso que você quer né sua safada…quer o meu cacete dentro da sua buceta né… – Ele me disse enquanto a cabeça do cacete coroava a minha xaninha.
– Aaaaah que tesão Sr Jorge! Me fode por favor! Eu disse completamente desesperada, implorando para ser comida.

Sexshop

Olhando fixamente em meus olhos, ele começou a meter aquele cacete na minha buceta, e centímetro a centímetro, eu perdia todos os meus sentidos, me desfalecendo em seus braços de tanto tesão. O Jorge começou a me foder bem forte, e à medida que o cacete entrava, da minha buceta minava o meu mel quente e viscoso, fazendo aquele cacete escorregar mais gostoso ainda para dentro da minha fenda. Ao mesmo tempo em que o Sr Jorge me comia vigorosamente, ele também era super carinhoso, beijando meu rosto, enquanto o seu cacete arrombava a minha fenda. Eu me lubrifico com muita facilidade e isso foi percebido quando o Jorge me disse:

– Que buceta molhada e quente…está uma delícia Aline…Sua buceta agora é minha. – Ele me disse louco de desejo.
– Eu sou só sua…você vai me comer todos os dias …safado! – Eu disse querendo provoca-lo ainda mais.

Por mais de 10 minutos, me fodendo intensamente naquela posição, fomos para minha cama e lá chegando ele me colocou de quatro e começou a me chupar, me deixando mais tesuda ainda. Para minha surpresa, assim que terminou de chupar, ele começou a forçar o cacete na entrada do meu cuzinho, como se quisesse me testar. Eu não questionei e permaneci na mesma posição, sendo esse o sinal que ele precisava para meter em mim.Com muita paciência, ele foi forçando e aos poucos, o meu cuzinho foi se abrindo dando passagem à sua cabecinha, que permaneceu ali até que eu me acostumasse com o volume.Eu estava louca, com aqui, o meu corpo todo se esquentou, e ao notar que eu estava com mais tesão, ele continuou forçando, até aquele cacete entrar por inteiro dentro de mim. Nós dois gemíamos descompassadamente de tanto tesão, e quando vi ele já estava fazendo um vai e vem na minha gruta. Eu sentia o cuzinho se abrindo todo, enquanto o cacete entrava e saia bem apertadinho, e aquilo me deixava louca de tesão. Aos poucos as estocadas ficavam mais fortes, fazendo com que minhas nadegas tremulasse em seu colo, e dessa forma me comendo com muita intensidade, senti o cacete se avolumando e latejando ainda mais de dentro de mim, até o momento em que ele explodiu todo o seu desejo, despejando jatos de gozo dentro de mim.
Ele virou o meu homem, eu me sentia protegida ao seu lado, e queria que ele me comesse todos os dias após a faculdade, e quando sua esposa chegou dávamos sempre uma fugidinha para um motel mais próximo. Fizemos cada coisa, louca que me deixou completamente apaixonada por aquele homem.

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.