GAROTO COMEU MINHA MULHER SEM CAMISINHA

Somos casados a 15 anos temos eu 40 e ela 32, somos swinguers a pouco mais de 6 anos, sempre fomos em casas especializadas e tivemos várias brincadeiras gostosas, mas partimos para algo diferente marcar com sigle e ir para um motel assim aproveitamos mais.

Mas vamos ao que interessa, conhecemos o Feprimo e depois de muito papo acabamos marcando de nos encontrar na liberdade para nos conhecer, na sexta combinada chegamos e tivemos uma grata impressão, conversamos um pouco e ele disse nossa estou louco para fuder vc toda vamos já para o motel.
Entrando no quarto ele disse vou tomar um banho e já volto deu um tapa na bunda da Ana e se atracaram em um beijo tão quente que fiquei até com um pouco de ciúmes, ele a largou e disse já volto gostosa e virou pra mim tirando a roupa e disse espera eu voltar heim, esta delicia é minha hoje.

Pedi umas cervejas e whisky e quando ele saiu ela já estava deitada peladinha na cama e eu sentado na mesinha do quarto, ele passou por mim e disse hummm vou acabar com ela.

Começaram a se beijar ambos nus, pareciam namorados apaixonados ele alisava todo seu corpo e ela suspirava de tesão, foi quando eu ouvi um gemido e ela olhou pra mim com carinha de puta sendo comida e falei caraca põem a camisinha, ele nem me olhou e começou fudê-la com força, Ana estava descontrolada agarrada a ele, gemia e pedia me fode não para, fode seu gostoso me enche com esta rola deliciosa, ahhhh que delicia ele levantou suas pernas e pude ver sua rola entrando e saindo com a fúria de um garoto de seus 25 anos.

Ela ficou de 4 subi na cama e dei minha rola pra ela chupar, ele pincelava o rola nela e ela pedia me fode que sou suaaaaaa, olhou pra mim e disse que macho, que vc me arrumou!!!!, ahhh ele tá me fodendo de novo sem camisinha seu corno e passou a gemer como uma vadia, rebolava como nunca tinha visto fechou os olhos como se eu nem estivesse ali e meu pau ficou batendo em sua cara, enfiei a mão por baixo e comecei acariciar seu clitóris ele urrava e gozava que escorria pelas pernas, não me contive me posicionei em um 69 e pude sentir todo seu prazer escorrendo em meu rosto todo, ela após ter um orgasmo onde se tremeu inteira soltando seu corpo contra o meu e ele fodendo incessantemente ela disse para meu lindo deixa eu beber algo vou desidratar de tanto gozar, ambos riram e se levantaram me deixando na cama só olhando para eles ambos com a respiração ofegante.

Passado alguns minutos eu me levantei e disse vou preparar a banheira para nós, ela nem olhou para trás só colocou a bebida na mesinha ajoelhou e disse deixa eu chupar esta rola, parei e fiquei olhando ela pegou naquela pica que tanto lhe deu prazer a poucos minutos começou a beijar, chupar e esfregar em sua cara e dizer nossa está toda babada, da leitinho pra mim, dá, goza na minha boca meu macho gostoso.

Parado na porta do banheiro não acreditei no que eu ouvi ela nunca me deixou gozar na sua boca, o que fazer? me deu um arrepio e como bom corno bonzinho que sou fui preparar a banheira, e dela pude vê-los subindo na cama e voltando a fuder como namorados apaixonados se beijando e se apertando, acho que se passaram uns 20 minutos até a banheira estar pronta e ela nem olhou se quer uma vez para o banheiro.

Chamei e ambos me olharam exaustos e ela disse ah não aguento levantar pega uma cerveja para nós e vem aqui do meu lado meu amor.

Deitamos com ela no meio de nós, eu passava a mão em sua buceta inchada de tanto fuder, e quando pensei agora acabou ele a virou deu um tapa em sua bunda falou, Vadia chupa seu marido que vou comer este rabo delicioso.

Pirei ela ficou de 4 começou a me chupar e com as mãos pra trás abriu a bunda para ele comer, que sem dó meteu até o talo, pude sentir o grito abafado em meu pau, ela era outra mulher, uma puta, rampera, vagabunda e quando eu menos esperava ela disse enche meu rabinho de porra, e o Fê enlouqueceu acelerou os movimentos e disse vem cá segura o rabo desta vadia aberto pra eu rasgar ela toda.

Me levantei o fiz, assim pude ver de perto ele esfolando seu rabo, fuderam por minutos e gozaram como loucos e caíram lado a lado, abri sua bunda enquanto se beijavam e puder ver e alisar a porra saindo de lá de dentro.

Fomos os 3 para a banheira e pude come-la de 4 enquanto ela pagava outra chupeta pra ele, sentei ela subiu em cima virada pra mim e disse vem cá Fê deixa eu te chupar pra ele ver, ele disse vou gozar na sua cara sua puta.

Comi ela com gosto e via ela em uma chupeta alucinógena quando fui gozar vi ela tirando o pau da boca e aquela porra quentinha caindo em sua língua e cara toda, ela voltou a chupar e deixou o pau todo limpinho.

Nisso virou pra mim disse eu te amo e me beijou sentindo minha porra explodir em seu ventre.

Espero que gostem, é uma história real, curtem e comentem quem sabe vc não será o próximo.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail