Fui comer uma e acabei comendo outra

estava eu uma noite a rodar pela cidade de bobeira,quando ao chegar em um pagode encontrei minha amiga,ela magra,peitinhos pequenos e gostosos de serem chupados e uma bundinha de deixar qualquer pau duro,nunca imaginei que iria acontecer oque aconteceu,eu tinha armado com uma amiga dela e estava atras de encontrar com essa amiga,só que a amiga me deu maior bolo,ai convidei minha amiga para ir á um baile funk que estava tendo naquele dia.

ela já estava meio alta de um vinho que bebia,no meio do caminho eu passei o braço no pescoço dela, e em seguida dei um beijo bem gostoso na sua boca.. como ela num falou nada contra continuei avançando o sinal…ao entrar em uma rua deserta.. estacionei o carro e comecei a da um amaço mais quente…. comecei a chupar os peitinho.. bem devagar…ela só gemia… comecei a descer a mao pra dentro de sua calça e ela num falou nada.. desci sua calça e comecei a bater uma siririca nela… ela já tinha gozado uma vez falava… me fode.. me fode… vamos pra minha casa.

chegando e sua casa ela foi logo colocando o meu pau na boca e começou a chupar feito uma louca, o que fez com que eu quase gozasse em sua boca, falei que não tinha presa, pois tínhamos a noite inteira para trepar o quanto ela agüentasse. Porem ela estava louca de tesão e falou para irmos para o seu quarto, no caminho ela já foi tirando o shorts, que como eu tinha notado, não tinha nada pôr baixo, só ai eu pude avaliar o quanto aquela bunda era gostosa e sedenta de um pau. Deitamos na cama e eu comecei a chupar aquela boceta que de tanto tesão estava inchada.

ela abocanhou o meu pau e chupava gostoso e pedia para eu gozar em sua boca, o que eu com mestria ,retardei o máximo que pude, até sentir que ia gozar , quando, senti que não dava mais para segurar e comecei a gozar na boca da novinha , foi tanta porra que a ela até engasgou, mais não deixou escapar nenhuma gota de porra, engoliu tudo, quando eu falei que ela era gulosa.

Ficamos uns 15 ou 20 minutos descansando, quando a ela começou a mexer no meu pau e a dizer que o que ela mais queria era sentir todo aquele tamanho de caralho todinho dentro dela, só que eu queria era comer aquele cuzinho, que pelo jeito nunca tinha levado vara. Começamos a nos beijar novamente e rapidinho, comecei um banho de língua que ela nunca tinha sentido nada igual, ao passar pela cú, ela gemeu como nunca, continuei descendo com a língua e com o dedo todo melado pelo se liquido, comecei a enfiar no seu cú, quando ela disse que o seu cuaté aquele momento era virgem, não me fiz de rogado e fui introduzindo o dedo no cuzinho apertado, o que a foi respondendo com um rebolado, para que o mesmo fosse entrando devagarinho, continuei a chupar a boceta e pondo e tirando o dedo do cudela, até que ela gozasse que nem uma louca. Coloquei a de quatro na cama e comecei a enfiar o pau dentro da boceta dela, que no começo reclamou que estava doendo um pouco, fui pondo, tirando e ela falando mil palavrões, dizendo que estava tendo o maior presente da vida dela.

No momento que senti que ela ia gozar novamente, tirei o pau de dentro e pedi para ela segurar a bunda o mais arreganhado que ela pudesse e comecei a colocar o pau dentro daquele cuapertado, ela começou a gritar que não ia agüentar, que ia desmaiar de tanta dor, foi quando eu soltei a velha frase “deixa que é só a cabecinha”, e com todo o cuidado fui penetrando até que quando ela percebeu estava só o saco de fora, deitado em cima dela, fiquei parado e com o dedo comecei a masturbar o grelo até que ela começar a rebolar, percebi que ela ia gozar com o meu dedo na boceta e o pau parado no cú, perguntei a ela se queria que eu tirasse o pau de dentro e ela na mesma hora pediu para eu deixar tudo dentro e começar a mexer, comecei bem devagar e aos poucos fui aumentando o ritmo e violências das estocadas no cú, ela foi a loucura e eu também, tanto é que foi uma das melhores gozadas que eu dei nos últimos tempos. Não preciso dizer, que acabei dando mais uma , ai já no tradicional papai e mamãe, acabei dormindo na casa dela, acordamos assustados com a campainha da casa tocando. Era a irmã mais nova dela.
resumo da historia nao fomos no baile funk rsrsrs

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail