Fodia a minha tia no cuzinho

Tenho 20 anos, sou casado com a Jessica, que é uma jovem com 19 anos, muito bonita. Não temos filhos e minha tia, que nos acompanha muito, não quer nem pensar em ser tia-avó. Com seus 38 anos, minha tia ainda está em forma, graças às horas de ginástica que faz todos as semanas. Muito exercício, de tal modo, que a minha tia deixa qualquer jovenzinha para trás. Até minha mulher Jessica, com seus dezanove anos, diz que minha tia é muito mais atraente do que ela. Eu concordo. Meu tio faleceu num desastre de viação, há sete anos, e deixou minha tia muito bem na vida, com pensão e um seguro excelente. Ela é uma “viúva alegre”, aproveita ao máximo. Tem semanas em que namora dois ou três homens, que quase sempre são muito mais jovens do que ela. Raramente aparece com um mais maduro. Isso só acontece quando ela faz viagem de cruzeiro. Minha tia tem a casa dela, aliás, uma casa maravilhosa numa zona residencial nobre, mas de vez em quando dorme no nosso apartamento, nos fins de semanas. O apartamento é um pouco apertado, mas a minha tia gosta de ficar por aqui, principalmente quando ficamos jogando às cartas até muito tarde. E quando isso acontece, improvisamos um cantinho no nosso quarto para ela descansar. Dormimos os três no mesmo quarto, porque o outro, que seria para visitas, eu utilizo como escritório. Até tirei a cama de lá.
Um dia, era o seu aniversário e minha tia ficou connosco até de mad**gada, em nosso apartamento, a jogar e bebendo umas cervejas, depois do champagne e bolo. Quando chegou lá pelas tantas, já estávamos com sono e um pouquinho “tocados”, fomos para a cama. Minha tia, como sempre, ficou num colchão, próximo de nossa cama. Como estava frio, minha tia não aguentou e subiu para a nossa cama para se aquecer. Eu não percebi nada porque já estava dormindo quando minha tia veio para a nossa cama. Nem a Jessica percebeu, porque a bebida fez efeito e ela “caiu redonda” na cama a dormir.
Minha tia entrou debaixo do cobertor e abraçou-me. Eu, meio dormindo e meio acordado, abracei ela também, certo de que estava abraçando a minha mulher. Minha tia, não sei se foi de propósito ou sem querer, pois tinha bebido muito, virou-se de costas e encostou a peida no meu pau. Eu fiz exatamente o que sempre fiz com Jessica. Tirei o piço das cuecas e encostei na peidola da minha tia. Percebi que ela estava sem cuecas e fui empurrando o caralho para a frente. Ela fez pressão para trás e o meu caralho entrou na sua coninha a pouco e pouco. Segurei aquele cu e comecei a fodê-la, num vai e vem. Meti sem parar naquela escuridão, debaixo da coberta. A tia rebolava, empurrava a peidola para trás, para se enterrar bem, e gemia baixinho.
Eu já estava meio acordado e o tesão era grande. Nem percebi que estava comendo outra mulher, apesar de ter achado a Jessica um pouco diferente. Mas isso só aumentava meu tesão. De repente, senti que ela pegou na minha picha e meteu à entrada do seu cuzinho. Meu pau estava muito melado, por causa do líquido seminal abundante que saia da minha pichota e da lubrificação da sua cona. Encontrou uma resistência normal na entrada do cuzinho, mas depois entrou devagar até o talo, com total colaboração e empenho dela. Nessa hora, acordei totalmente de vez, estava a ser muito tesudo e minha mulher nunca havia dado o cu para eu foder. Comecei a apalpar aquela mulher deliciosa, pus as mãos para trás e percebi que era a minha tia que estava dando para mim e que Mary estava do outro lado roncando. É claro que eu não podia fazer mais nada. Se fizesse escândalo iria acabar com aquela foda deliciosa, aquele cuzinho maravilhoso… e o meu casamento! Continuei a meter, deliciosamente, até me esporrar. Mesmo não fazendo o que eu gostaria de ter feito, ou seja, mexendo-me e estocando com força, gemendo, gritando palavrões (que em atesoam mito), fodi de forma comportada aquele cuzinho inesquecível.
Depois de esporrar tudo dentro dela (ela apertava os músculos do cu para me espremer mais ainda a picha), percebi que a minha tia tirou com cuidado o cu do meu pau e limpou-o cuidadosamente com uma toalha. Ela tinha o cu bem lavado, pois não senti odor, que detesto. Virei para o outro lado e dormi finalmente.
No outro dia, a tia levantou-se, tomou banho, preparou o pequeno almoço e não falou nada sobre o que acontecera. Eu também fiquei calado. É nosso segredo, para sempre. E o meu tesão continua!

Sexshop
Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.