Dei para o encanador

Ola, meu nome é Jane.
Oque vou contar aconteceu faz uns 3 meses.
Me considero uma mulher bonita, 34 anos, loira, olhos claros, 1,74 mts altura, 58 Kg, cinturinha fina, seios medios, coxas grossas e com pelinhos dourados. Sou bem casada e meu marido sempre deu conta do recado, transamos muito mas sempre normal. Nunca o traí, até começar a ler alguns contos eroticos que começaram a me fazer sonhar em experimentar outro homem.
Fiquei incunbida pelo meu marido de receber em casa um encanador amigo dele p/ executar um serviço na pia da cozinha de nossa casa. No dia combinado estava la eu esperando o tal encanador e p/ isso me vesti adequadamente sem chamar a atençao porque conheço bem esses caras. rsrsr.
Enfim, chegou o tal encanador, fui recebe-lo na porta e tive uma surpresa, o cara era lindo,educado, alto, forte,musculoso, bonitao mesmo nao parecia um encanador,seu nome era carlos. Quando o vi, meus peitinhos ja empinaram e e na hora meus biquinhos ja queriam furar a camiseta, eu estava sem sutian, e acho que ele percebeu pois deu uma olhada que me arrepiou toda.
Fui na frente p/ mostrar-lhe o caminho e através do espelho da sala vi que el me comia com os olhos, pois eu estava com uma minisaia, nao muito curta mas mostrava bem minhas coxas, e uma camiseta curta. Vendo isso fiquei com o maior tesao pois senti que esse era o momento de eu matar minha vontade.
Ja na cozinha ele me perguntou se podia ajuda-lo entregando a ele as ferramentas que pedisse pois estava sem ajudante , e prontamente disse que sim.
Ele deitou no chão e se arrastou p/ baixo da pia, ficando com a metade do corpo fora. Quando ele fez isso sua calça apertou de uma tal maneira que deu p/ ver a silueta de seu Pau, era grande e estava mole, fiquei imaginando aquilo duro. Fiquei defronte a pia e pude ver que pela fresta da porta do gabinete ele olhava por baixo de minha saia. estava com uma calcinha fio dental e p/ provoca-lo, abri um pouco as pernas,ergui um pouco a saia e puxei por tras a calcinha fazendo com que ela entrasse em mina bucetinha que ja estava ficando molhadinha. Ele deu uma estremecida, dei uma riasadinha e pude ver aquele caralho crescer por dentro daquela calça. estava louca p/ ver pois parecia duas latas de cerveja,uma em cima da outra,era enorme.
Ele então pediu-me uma fita veda-rosca porem estava em bolso e perguntou se não haveria problema em pega-la, e eu disse prontamente que não,pois não iria perder aquela oportunidade de pegar naquele pauzão. Agachei-me e fui enfiando a mão em seu bolso, bem devagar,senti aquela tora crescer mais um pouco ,pulsava em minha mão, era uma rocha ,demorei p/ pegar a tal fita. rsrsrs.
Acabado o serviço ele se levantou meio sem jeito pois tinha um circo armado e tentava esconder. Pediu -me desculpas por ter me feito enfiar a mão em seu bolso e com um sorriso sacana disse a ele que nao tinha problema e que como uma boa ajudante iria colocar de volta a fita no mesmo lugar que havia pego. Nessa hora seus olhos brilharam e consentiu o ato. Encostei meu peito em seu braço ,e fui enfiando a mao em seu bolso,ja mais livre ,conseguindo pega-lo direito. Senti sua respiração aumentar e recebi um abraço forte e um beijo molhado, ja estava tonta de tesão e eu estava totalmente entregue. Apertava seu cacete de tal forma que ele gemia de tesão. Me fez sentar numa cadeira e quando tirou seu pau para fora quase morri de susto, era enorme e grosso, o dobro mais um pouco a do meu marido. Engoli seco pois vi oque me esperava. Sem cerimonia me pegou pelos cabelos e foi colocando aquele cacete imenso em minha boca, abri-a o maximo possivel e quase não entrava. Ele não quis nem saber e foi enfiando tudo p/ mim engolir, senti a cabeça que parecia uma maçã bater em minha garganta, fiquei sem respiração e engasguei com aquilo, e ainda faltava metade. Sem cerimonia e mais acostumada fui mamando aquele caralho, massageando a cabeça com minha lingua ,tirava e colocava de novo ´lambia seu saco, ele urrava quando fazia isso. Pegou-me novamente e me deitou na mesa, deixou-me peladinha, com os pes em cima da mesa e a perna aberta, deito-se em cima de mim ,me beijava como um furacão, e ia descendo passando pelo meu pescoço e dizendo coisas que me deixava louca de tesão. Eu era literalmente sua puta nessa hora. Estacionou com sua boca em meus peitos, e mordiscava os bicos , ja estava molahadinha, me contorcia toda, sentia aquele caralho raspandpo em minha buceta, eu ja estava nas nuvens. Foi descendo mais me lambendo inteira ate chegar na minha bucetinha. Abri mais as pernas e comecei a receber estacadas de sua lingua em meu clitoris, ele me sugava de tal forma que bebia todo meu liquido vaginal. ja estava quase p/ gozar. Foi entao que ele começou a lamber meu cú, nunca tinha recebido isso, e quando ele enfiou sua lingua dentro dele, nao aguentei e gozei demoradamente, era diferente, gozar com aquela lingua quente masssagenado meu cuzinho rozadinho.
Abriu mais minhas pernas e disse que iria me comer de verdade e que eu iria realmente me sentir uma puta.
Colocou seu pau na portinha da minha chana e começou a roçar nas bordas, era alucinante e eu implorava p/ ser penetrada,apesar do medo pois era desproporcional, minha bucetinha perto daquilo se tornava virgem. Ele depois de brincar bastante começou a penetração bem devagar, apesar de entrar na boa,pois estava molhadissima sentia aquilo me abrindo no meio. Não aguentei e sem ele esperar dei um pulo p/ frente e aquele caralho entrou todo dentro de mim,doeu um pouco mas foi delicioso. Ele vendo aquilo ficou louco e começou enfiar com força, gemendo de tesão. Me abraçou e me ergueu, me jogava p/ cima e me apertava em seu peito. Gozei de novo,muito mais que antes, agora com aquele cacete dentro de mim.
Colocou-me na cadeira e me fez chupa-lo novamente. disse p/ mohar bem poi ia comer meu cuzinho. Na hora disse que não pois ainda era virgem e seu pau era muito grande. Ele não quis nem saber, me colocou novamente na mesa abriu mais as minhas pernas, eu relutava p/ ele não fazer isso, mas ao mesmo tempo estava morrendo de vontade. Foi ate sua mala de ferramentas e pegou um pote de vazelina p/ ajudar na penetração. lambuzou o dedo de vazelina e começou a passar na borda de meu cu, e com um dedo ia enfiando vazelina p/ dentro, com um e depois com dois dedos, ia abrindo o caminho. Doia com os dedos e ja estava imaginando com seu caralho. Lambuzou a cabeça do pau e apontou p/ meu cuzinho que estava piscando de vontade. Começou a forçar a entrada, era muito grande, naõ entrava, pedi a ele p/ desistir daquilo. Disse não e com raiva deu uma estocada violenta. Dei um grito de dor,tentei sair dele, mas ele não deixou e me apertou mais, foi enfiando mais aquela vara. Queimava e doia ,sentia ser rasgada no meio. Ele entao parou, e ficou quieto, sentia seu pau latejar dentro de mim. A dor começou a passar e comecei a me sentir melhor e o tesao a voltar, estava ja acostumando e adorando. Mas faltava muito ainda só tinha entrado um pouco. Ele me perguntou se eu queria mais, disse que sim e que queria tudo aquilo até os grãos. Esta alucinada ,cada vez que ele enfiava um pouco começava a doer , meus olhos estavam cheio de lagrimas, mas nao queria nem saber. O tesao estava a flor da pele. Foi que foi ate que entrou tudo. Olhava p/ aquilo e nao acreditava,ficava imaginando como aquilo cabia la dentro e onde estava chegando. A dor ja era suportavel, o tesao era maior e devagar ele ia fazendo um vai e vem . Beijava meus pés, debruçava em cima de mim e mordia meus peitos, e com os dedos acariciava meu clitoris. Novamente estava a ponto de gozar e ele tambem,pois percebia sua respiração mais ofegante e seu pau pulsar mais. Gozamos juntos, ele urrava de tesão e dizia que nunca tinha gozado assim e eu tambem. Senti aquela rocha dentro de mim amolecer aos poucos, ele tirou ,passei a mão no meu cuzinho e entrava 3 dedos brincando, realmente ele tinha feito um estrago danado,mas estava satisfeitissima. Começou a vazar do meu cu sua porra misturada com um pouco de sangue, isso me assustou um pouco mas ele logo me acalmou e passou uma pomada cicatrizante que tinha. adorei isso e p/ retribuir isso mamei seu pau deixando limpinho. Ficamos ali abraçados e se beijando. Me recompus e me despedi dele ja marcando uma outra visita, mas só quando meu cu cicatrizasse.

 
Sexo por Telefone

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.