Culto da igreja pro motel

Chamo-Me Nelma Tenho 28 anos Branquinha, cabelos natural castanho (costumo tingidos de loiro) minhas medidas exatas: 1,62 metro, 50 quilos, 60 cm de cintura, 84 de busto e um quadril de 92 cm. Pretendo relata a maioria das minhas aventuras e experiências sexuais mais hoje quero falar o dia que sai do culto da igreja e fui direto pra o motel.

 

Tenho uma amiga de infancia que a anos não havia, e no metro tive a oportunidade de reve-la e trocamos celular. No outro dia liguei pra ela e colocamos o papo em dia e marcamos de nos ver sendo que ela estava morando em Caxias um Bairro um pouco distante de onde eu morava, mais decidi ir até o centro da cidade de carro e de la pegar uma Van pois ela me contou que seria mais facil.

Marquei com ela em uma igreja ao qual o noivo dela o pai era pastor, cheguei quase uns 30min para acabar e depois ficamos batendo papo e ela com aqueles papos de crente da vida e do mundo, bom quem sou eu pra julgar a cresça dos outros.

Mais uma coisa que eu reparei é que o noivo dela Juares, 35ª, mulato, tipo baixinho bombado. sempre dava umas olhadas discretas no meu decote, mais ainda bem que ele estava bem discreto nos olhares. Fomos até sua casa que ficava mais pra dentro da comunidade e na volta seu noivo ficou de me levar até o ponto de onibus.

Na volta eu até que curti o papo do Juares pois diferente a minha amiga ele era mais mente aberta, apesar de que fiquei sabendo que minha amiga estava fazendo votos de só tranzar depois do casamento (mau sabe ele como ela era piranha), papo vai e papo vem ele acabou me acompanhando até o centro na Van e a conversa foi ficando digamos mais ousado. Ele ligou pra minha amiga e ficou sabendo que ela já estava dormindo então decidimos tomar uma cerveja em um bar.

Não demorou muito pra ele se demostrar o tão safado que ele é já colocando a mão não minha cocha já vindo cheio de intimidade e eu é claro meio que na defensiva disse que aquilo não terminaria bem e que ela era minha amiga, mais em fim fomos até o estacionamento onde havia deixado meu carro e ele começou a passar a mão na minha bunda e se esfregar em mim. Mais até que eu estava gostando, entao como sou safadinha mandei ele por o pau pra fora que tocaria uma bronha pra ele e depois iria em bora.

Ainda bem que era um galpão deserto e dava pra fazer no sapatinho, ele sem perder tempo colocou aquela mala toda envernizada e melada pra fora da calça e o cheiro de porra tomou conta do local. Ficamos uns 5 minutos e nada dele gozar, entao pra quem ta na chuva é pra se molhar comecei a chupar aquela rola com toda força e que rola (uns 22cm e grosa), minha calcinha tambem já estava toda molhada e minha xaninha nem se fala.

Perguntei quanto ele tinha na carteira (porque eu estava com pouco dinheiro) e ele falou que tinha cartão. Fomos a um motel jeitosinho ali perto, entramos no quato e eu mandei ele tomar um banho em quanto eu me despia, mais quando ele me viu peladinha nossa saiu correndo do banheiro e caiu de boca na minha bucetinha que já se entregava toda babada. Puxei ele pra cima de mim e falei mete com força seu puto, e sem dó ele meteu tudo em uma estocada que me fez ver estrelas, nossa como eu gemia e gritava e ele socando aquele cacete com tudo dentro de mim.

Não demorou muito ele deu a primeira gozada e nossa que gozada, deu pra sentir o chato de porra saindo quente e batendo la no fundo. Puxei sua cabeça e coloquei pra chupar o meu grelinho e que lingua gostosa ele tinha, não demorou eu já estava toda arreganhada e tomando não só linguada como dedada no cuzinho. Como ele estava se saindo um ótimo amante, cheguei no ouvidinho dele e falei que daria uma coisa pra ele, que ele nunca esqueceria.

Coloquei deitado na cama e comecei a chupa-lo pra ficar duro, e quando voltou a ficar em ponto de bala fique de quatro toda empinada, ele veio por cima e guiei aquela cabeçona grossa na portinha do meu cuzinho e ele foi metendo aos pouquinhos pois sabia que eu estava toda me contorcendo na cama. Comecei a sair da zona de desconforto e ir pra a do prazer e nessa gente eu estava dando já com raiva pra aquele homem, gozava horrores, e quando já não tinha mais força já deitada na cama ele me goza com um grande final me enchendo o rabinho todo de porra.

Gente quando tirou aquele cacete enorme do meu cuzinho ficou por um bom tempo latejando, pois adoro fazer anal mais com aquele homem, putz nem se fale.

Nos arrumamos e ele me levou pro estacionamento e nos despedimos, chegamos a marcar mais 2 fodas(que é uma outra história), mais hoje que eu saiba ele é casado com minha amiga (chifruda).

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.