Comi a coroa gostosa da academia no carro

Este conto aconteceu a aproximadamente um ano e meio. Nessa época, eu era um frequentador assíduo da academia e claro como todos sabem, a academia é um parque de diversões pra quem tem a mente safada.
Desde do primeiro dia que entrei na academia eu notava em uma coroa que malhava no mesmo horário que eu. Ela tinha um corpo de dar inveja em qualquer novinha por aí. Ela tinha aproximadamente uns 1,70 de altura, seios médios, mas oq mais chamava atenção era sua bunda, que era grande e ela sempre ia com a calça socada no rabo.
Ao longo do tempo fui me aproximando dela, ajuda em alguns exercícios e tal, e fomos nos conhecendo melhor. Ela percebia que eu ficava secando ela, e eu não me preocupava nem um pouco em disfarçar. Um dia estava chovendo, a academia estava bem menos movimentada, e eu estava fazendo um exercício de perna, em que vc fica sentado em uma maquina e tem q empurra o peso abrindo as pernas.


Então ela chegou e perguntou se podia revezar comigo, eu disse que sim. Então ela foi fazer. Eu fiquei na frente dela trocando idéia, e ela fazendo o exercício abrindo as pernas na minha frente, nesse dia sua buceta tava marcando muito na calça, e eu não conseguia olhar pra outro lugar, ela logo percebeu. Ela terminou e eu fui fazer o exercício de novo, ela ficou na minha frente em pé, e deu uma puxada na calça pra cima que dividiu a buceta dela e ficou bem marcado aquele bucetão, eu até perdi as forças, e não deu outra, o pau começou a ficar duro. Eu usava um short de tecido fino, que ja marcava meu pau normalmente, quando ficou duro então, dava pra ver até o contorno da cabeça. Ela logo ja manjou, eu tentava ajeitar na cueca pra disfarçar mas não dava. Terminei o exercício e ela sentou pra

fazer de novo, dessa vez ela colocou menos peso, e ficava com as pernas abertas por alguns segundo, com a calça dividindo a buceta dela. E eu entrei na brincadeira, fiquei de lado me escondendo atras da estrutura do aparelho pra disfarçar pra ninguém ver oq tava rolando, e enquanto ia conversando com ela, ia segurando o pau, massageando a cabeça , como se tivesse amolando uma ferramenta pra passar nela. Ela olhava e lambia os lábios. Então ela levantou e disse ” vamos parar de brincadeira” como uma mulher decidida que é. E eu disse “só se for pra continuar a brincadeira pelado” ela riu e deu uma pegada no meu pau, passou por mim e esfregou aquele rabo no meu caralho.
Como o dia estava chuvosso nos descemos e ficamos esperando a chuva passar, eu estava de carro mas tinha que ir na chuva o estacionamento, e ficamos ali n porta por alguns minutos nos provocando. Percebi que a chuva deu uma aliviada e corri pra pegar o carro, ela ficou esperando na porta, peguei o carro e voltei pra pegar ela. Ela entrou e dissr que os filhos dela estavam em casa e q não daria pra ir pra la, eu disse que na minha casa tb tinha gente. O

Sexshop

motel mais próximo ficava a uns 40 minutos, então ia ser no carro msm . Eu procurei uma rua mais deserta, como estava chovendo muito a chance de passar alguém a pé era bem pequena, e meu carro tinha o vidro bem escuro. Começamos a nos beijar, ela acariciava meu pau, disse que queria chupar, eu botei o banco pra trás e ela botou meu pau pra fora, o pau ja tinha uma gota de mel descendo pela cabeçinha, ela foi com a língua direto nela, e lambeu, botou o pau na boca e começou a mamar. Ela mamava e babava meu pau todo, ela tava de 4 com a bunda pra cima, eu passava a mão bem no meio do rabo dela, sentia seu cuzinho quentinho no meu dedo.
Ela abaixou a calça e eu vi pq tava tão enfiada no cu, pq a piranha tava sem calcinha. Fiquei enfiando o dedo no cu dela e ela gemia com meu pau na boca.

Falei que queria chupar ela tb, e fomos pro banco de trás, ela abriu as pernas e eu comecei a chupar a buceta dela que estava suadinha e muito gostosa. Chupei muito,ela tinha um grelo grande e muito gostoso de chupar. Eu chupava o grelo e enfiava 2 dedos no cu dela, e não demorou muito ela gozou na minha boca. Ela disse que queria pau na buceta, e montou em mim, começou a sentar com vontade, ela tinha as pernas bem definidas e fortes e sentada com muita força. Tava fazendo muito barulho, e eu comecei a dar tapas fortes no rabo dela, ela mandava bater mais forte, e eu batia, ela ficou com o rabo todo vermelho e com as mascar de mão que ficou até inchado. Ela ficou de 4 e eu botei na buceta dela, meti forte, por estar no banco de trás, consegui botar os 2 pés em cima do banco e segurei no

encosto de cabeça, e consegui meter até o saco encostar e metia o mais forte que conseguia, ela mordia o banco pq não podia gritar, só parava pra falar pra eu meter mais que a buceta dela tava com fome de pica. Eu não aguentei e meti porra dentro dela, mas continuei metendo, minha rola começou a ficar branca com a porra que tinha gozado antes, ela viu e falou que queria chupar, a vagabunda engoliu o pau todo de uma vez, e subiu limpando o creme branco que tinha ficado na minha rola toda. Eu respirei fundo, o tesão foi no céu, ela começou a punhetar e disse que dessa vez queria leitinho direto na fonte, punhetava e cuspia no meu pau, falava muita putaria e pedia leite e eu disse que ia gozar. Ela abriu a boca e um jato se porra foi direto la língua dela, e abocanhou meu pau e recebendo meu leite grosso e branco na boca dela. Ela agarrou meu pau e ficou sentindo ele pulsando e cuspindo a porra pra ela. Ela tirou e abriu a boca pra me mostrar o leitinho todo la, e vagabunda não desperdiçou uma gota, engoliu tudo. Eu queria comer o cu dela, mas teria que ficar pra outro dia.
Levei ela até sua casa, e ja marcamos a segunda vez.

Espero que tenham gostado.
Comentem ai se quiserem mais contos.

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.