Comendo a casada novinha

Olá galera, tenho 49 anos e sou separado, mas nunca pensei que seria comedor de mulher casada, ainda mais, bem mais nova do que eu. Mas foi assim, moro em uma casa que tem dois pavimentos, em cima, moro eu e o pessoal que é dono do imóvel, e no pavimento debaixo, é a garagem e um casal na faixa dos 23 anos. E quando eu saio, ao descer a escada, dá para ver a cozinha desse casal. O que acontece, é que o cara não dá muita atenção para a esposa, que é uma loirinha tipo mignon, nada de super, mas é bonita e tem um corpinho de falsa magra. O marido trabalhava fora, e vinha para casa quase que a cada sessenta dias, e ela sempre respeitou o cara, não dava bola para ninguém, sempre do trabalho para casa. De uns seis, ou sete meses para cá, o marido dela não está trabalhando, mas não para em casa, e nesse tempo, inúmeras foram suas brigas, e ela sempre reclamando com ele, por não parar em casa, nem de noite, sempre chegando tarde e muitas vezes embriagado. Várias foram as vezes que a vi sentada na cozinha chorando, até que um dia, após mais uma discussão das bravas dos dois, ele saiu e a deixou chorando, e dessa vez, ela chorava copiosamente, muito nervosa, e nesse momento, eu descia a escada e fiquei preocupado com ela, juro que nesse momento, não pensei em nada além de conversar com ela, principalmente por ela ter a mesma idade de meu filho do meio. Chamei-a na janela e procurei consola-la e acalma-la. Conversamos mais de uma hora, e ela se acalmou e ficou de boa. Depois disso, toda vez que eles discutiam, ela me chamava e conversávamos, eu a acalmava e ficava tudo bem. E assim seguia a vida, até que um final de semana, num sábado para ser mais preciso, meus filhos não vieram passar o fim de semana comigo, eu estava terminando de dar uma geral no meu ap, e fazendo um tira gosto e tomando cerveja, pois quando meus filhos não vem, eu não faço almoço, fico tomando umas geladas e comendo uns petiscos, e nesse final de semana foi assim. Como eu ia dizendo, estava fazendo um tira gosto e saboreando uma gelada, quando eles começam mais uma discussão, e dessa vez foi muito grave, pois ele pegou suas roupas e se mandou. Poucos minutos depois ela me chama na janela do apart dela que dá para a escada, e me diz que está desesperada e não aguenta mais essa vida, e coisa e tal. Conversei uns 15 minutos com ela, e como já estava acostumado, consegui acalma-la, perguntei se ela havia comido alguma coisa, e ela disse que não. Então a chamei para vir até o meu apartamento, pois estava fazendo um tira gosto, e se ela saísse um pouco daquele ambiente, seria bom para terminar de se acalmar. Mais uma vez, eu digo a vocês, que acreditem ou não, não pensava sacanagem mesmo. Quando ela aceitou, eu fui até a entrada, abri o portão para ela entrar, e ela estava com um short jeans, que sempre usava, sem nada de indecente, e uma camiseta normal, sem decote. Assim que entramos, fomos para a cozinha, continuei a preparar mais tira gosto e ofereci a ela uma cerveja, e ela me disse que apesar de não beber, precisava de tomar pelo menos um gole para desestressar. Abri uma latão bem bem gelada e entreguei a ela, que deu um gole daqueles, falei com ela para ir devagar, e ela deu outro, mas nesse momento acabei de fritar o tira gosto e a chamei para sentar na sala. Nos acomodamos no sofá e começamos a bater papo, ela desabafando seus problemas, falou por muito tempo, e eu a acalmando e a aconselhando, dizendo que essa era uma situação momentânea e que depois eles se acertariam. Ela terminou de tomar aquela lata e eu ofereci outra. Depois que percebi que ela estava melhor, mudei o rumo da conversa, e fomos falando amenidades e nos divertindo, depois da quarta cerveja, voltou o baixo astral nela, que começou a chorar novamente e começou a desabafar, e em dado momento disse que desconfiava que el tinha uma amante, pois não a procurava há mais de um mês, nesse momento, meu instinto de macho deu sinal de vida, e eu disse que não acredita, que como poderia uma coisa dessas, um homem não querer uma mulher daquelas, pois ela era bonita e tinha um corpo bonito, e ela reafirmou, há um mês que ele não a procurava, ai eu comecei a ficar mais tarado, e falei com ela que ela que me desculpasse o modo de falar, mas ela era muito gostosa, ai ela se virou para mim e perguntou se eu realmente a achava gostosa, ou era só para consola-la, ela olhando para mim com aquela carinha de quem estava precisando de ter seu ego massageado, e tambem com tesão, fui direto, puxei para mim e dei um beijo dos mais safados em sua boca, e ela na carência que estava correspondeu, me beijou com tesão, nesse momento, eu comecei a passar a mão em sua coxas, e a outra subiu para seu seios, por baixo da camiseta, primeiro apertando por sobre o sutiã, depois, enfiei a mão dentro do sutiã, tocando seu mamilo, ela suspirou de tesão, a fiz sentar em meu colo, de frente para mim, retirei sua blusa, e a deixei só de sutiã e abaixei um lado dele, revelando um peitinho rosadinho com um bico bem pontudo, dei um beliscão naquele biquinho que apontava para mim, ela foi a loucura, em seguida, comecei a mamar seu seio que estava de fora, enquanto que com uma mão acariciava o outro, descobrindo o segundo seio e apalpando com força, a outra mão, comecei a apertar sua bucetinha por cima da bermuda, e ela abria suas pernas para facilitar para mim, fiz ela se levantar e tirei meu pau para fora e ela se surpreendeu com o tamanho, disse que era maior que o do marido dela, fiz com que ela pegasse nele e começasse a me punhetar, depois fiz ela começar a me chupar…nossa que boca de veludo, comecei a gemer de tesão e isso a atiçou ainda mais, terminei de ficar pelado e a despi tambem, fiz ela se sentar e cai de boca naquela bucetinha apertadinha, realmente o cara a comia pouco, fazendo ela delirar em minha lingua, fiz com que ela gozasse bastante, e ela depois me disse que o marido a chupava muito pouco, depois a fiz me chupar de novo e a coloquei na posição de papai e mamãe, pois queria ver sua carinha quando ela sentisse meu pau rasga-la centímetro por centímetro, quando comecei a penetra-la ela fechou os olhos para sentir melhor meu pau, ai mandei ela abrir os olhos e me olhar, quando ela fez isso eu disse a ela, para olhar o macho que a faria gozar como nunca, e que ela não esqueceria nunca mais, e ela me olhando, me puxou para baixo e me beijou a boca, nesse momento percebi que ela seria minha por quanto tempo eu quisesse, comecei a fuder aquela bucetinha apertada, apertando e chupando os seios dela, e ela delirava e gemia como uma puta, e eu a incentivava e a chamava de puta, cadela, safada, e a fazia ficar mais e mais entregue a mim, depois tirava o pau e a fazia chupar e dizia para ela sentir o gosto de sua bucetinha no meu pau, ela se entregava com vontade, depois voltava a colocar o pau na buceta dela e metia com força deixando ela cada vêz mais doida, depois que ela gozou a primeira vêz, retirei meu pau e chupei seu grelo inchado de tesão, fazendo ela gozar de novo, em seguida a coloquei de quatro e meti a vara nela novamente, segurava em sa cintura e bombava com força, peguei em seu cabelo e puxei sua cabeça para trás, fazendo-a empinar ainda mais para que eu metesse, nesse momento, perguntei para ela quem era o macho dela a parti daquele momento e ela dizia que era eu, continuei metendo, com uma mão puxava seu cabelo e com a a outra comecei a dar tapas em sua bunda, dominando-a completamente, e ela totalmente entregue a mim gozava várias vezes e eu, no tesão que estava, ainda demoraria mais um pouco para gozar. mais uns quinze minutos e eu ví que ia gozar, sai rapidamente de dentro da bucetinha dela e segurei seu rosto, despejando minha porra na cara dela. Depois nos deitamos, aconchegando-a em meu peito. Fiz muito carinho nela nessa hora, e a deixei bem tranquila, fiz uns carinhos em seu cabelo, a chamei de meu amore ficamos assim uma meia hora só nesse chamego gostoso, ela me dizendo que nunca havia gozado tanto. Continuávamos relaxando quando seu celular tocou, era o marido dizendo que só voltaria na segunda, pois estava na casa da mãe dele para refrescar a cabeça, mal sabendo que a cabeça dele ao invés de refrescar, estava ganhando era uma galhada, que cresceria cada vez mais. Ela conversou um pouco e depois ele desligou, não deixei que o telefonema a fizesse cair no baixo astral de novo, a fiz chupar meu pau novamente e recomeçamos a sacanagem. Aquele fim de semana, ela passou comigo em casa, indo embora para seu apartamento na segunda de manhã, quando ela viu que era seguro sair. Hoje ela e o marido já se acertara, ela o ama, mas o macho que a fode sou eu, o corno voltou a trabalhar fora, e eu a instrui a recebê-lo sempre muito bem, fazer tudo o que ele quer, para não levantar suspeitas de nada, mas durante o tempo que ele está fora, ela mora na minha casa, e só vai para a casa dele, quando ele vem, ou nos finais de semana que meus filhos vem me visitar. Já fiz de tudo com ela que vocês possam imaginar, estou deixando-a bem devassa, e na semana passada, convidei um amigo para fudê-la junto comigo. No começo ela ficou um pouco tímida, mas depois de umas geladas e umas doses de vodka ela se soltou e se entregou a nós como nunca. Hoje ela está totalmente entregue a mim, faz tudo o que mando sem pestanejar, já mandei ela sair de mini saia sem calcinha e dar mole para os outros, mas sem se entregar para ninguem, faço ela meter comigo e com meus amigos, fizemos uma festinha outro dia aqui em casa, eu ela e mais trêss amigos, a danadinha sofreu, mas aguentou todos nós. Só mesmo o corno que num sabe o que está perdendo. Valeu galera.

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.