Comendo a professora no passeio da escola

Olá punheteiros e siririqueiras, tudo bem com vocês? Como andam as putarias durante a pandemia? Hoje estou aqui para relatar um fato que já narrei anteriormente, porém havia apagado o conto. Relembrando alguns fatos, sou casado com uma professora, gordinha, na faixa dos 40 anos, seios enormes, bunda GG e uma barriga grande, algo que não atrapalha em nada, até me enche de tesão. Ela tem um rosto lindo, pernas bonitas, e pés que atiçam meu tesão.

LibidGel


Certo dia, minha esposa teve que fazer um passeio com seus alunos, coisas normais numa escola, vestiu uma calça de ginastica super apertada que evidenciou aquela sua bunda descomunal, uma camiseta para disfarçar a barriga e calçou seus tênis de academia, pegou sua mochila e se despediu de mim com um beijo carinhoso. Ao final do dia, ela chega em casa exausta, e antes de ir tomar banho ela me pede para sentar na poltrona da sela sem roupa e diz que posso bater uma punheta enquanto ela me conta do seu passeio. Tiro a roupa rapidamente e já de pau duro começo minha bronha ao ouvir seu relato. Minha esposa começa a tirar as roupas do dia e no sofá da frente senta-se e abre as pernas, expondo uma buceta totalmente vermelha e inchada, enquanto ela me conta, passa suavemente a mão nela, relatando seu divertido dia.

Vamos aos fatos…
O passeio escola foi a um grande parque de uma cidade vizinha, cheio de locais para a garotada se divertir, campos de futebol, quadras de areia, churrasqueiras e uma grande mata com trilhas e passeios. Enquanto os jovens se divertiam e conversavam, os professores organizavam o churrasco de almoço. Eis que aquele seu aluno, o que gozou nos seus pés na escola (ver conto) chama minha esposa pois um dos colegas havia se machucado no início de uma das trilhas e queria ajuda. Minha esposa prontamente se levantou e acompanhou o aluno para ajudar. Os dois forma caminhando, e uns 300 metros trilha adentro, ela percebeu que era uma mentira quando o moleque apertou sua bunda sobre a calça legging. Ela o repreendeu pela mentira mas ele implorou por uma gozadinha rápida, para relembrar a da escola. Minha esposa cedeu e o levou atrás de uma grande árvore, lá ela se abaixou e com maestria fez uma molhado boquete no moleque que se contraía todo com as sugadas no pau, que iam da cabeça até o saco,

engolindo o pau inteiro que era pequeno. Ele pediu se poderia pincelar na buceta, mas ela disse que não, pois não estavam com camisinha e era arriscado, mas ele implorou que seria só uma esfregada para sentir a sua buceta. Ela louca de tesão acabou cedendo novamente e abaixou sua calça e sua calcinha e ficou de joelhos empinando aquela bunda branca maravilhosa, cheia de estrias, que eu tanto amo. Ele, com o pau totalmente babado pela professora, se posicionou atrás dela e ficava esfregando e pincelando a cabeça na sua buceta, arrancando pequenos gemidos da minha mulher, e os tesão dos dois só aumentava, pelo perigo de serem pegos, por serem professora/aluno e pelo fato de estarem sem camisinha e não poderem meter. A medida que o tesão aumentava e o juízo sumia, e ele esfregava mais a cabeça na portinha da xoxota, e ela gemia, e a loucura aumentava, e a cabeça deslizava mais, e o gemido aumentava, até que ele, num momento de loucura, enterra totalmente o pau na buceta da minha mulher, que empurra a bunda para trás e geme mais ailto… “Não faz isso, não podemos… tira tira, ahhahhh, tira, que tesão, tira essa porra da minha buceta guri! Não podemos! Ahhh” E ela começa a meter como louco até despejar toda sua porra quente na buceta da minha mulher. Ela se levanta e sem poder se limpar, veste a calcinha e a calça e os dois voltam rapidamente para a área comum do parque.
Mais tarde, enquanto os alunos estão jogando bola pelo parque, o garoto chama minha esposa e a carrega para a mesma trilha, ela, toda safada o acompanha, mas quando chega lá tem uma surpresa, na mesma árvore da manhã, há outro garoto da turma já com o pau duro na mão. O muleque da manhã diz: “profe, dá essa buceta pra ele também dá, que eu vou cuidar da trilha, se eu assobiar, é porque tem gente vindo”. Minha esposa, meio contrariada, tira sua calça novamente e fica de quatro. Sem perder tempo, o garoto afunda o pau em sua buceta, que nem precisa lubrificação, pois está ainda cheia de leite do colega. Ele segura as ancas da professora e em menos de dois minutos despeja sua porra dentro dela. Antes dele guardar a pica, ela se vira e da uma chupada para limpar o pau.
Quando minha esposa termina de contar os fatos, me ajoelho na frente dela dou uma chupada bem gostosa para limpar aquela buceta vermelha e inchada de levar pau, e consigo sentir o gostinho da porra de seus alunos!
E você , onde gozaria na professora caso pudesse foder ela no mato do passeio escolar?

Sexshop

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.