Até que fim realizamos nossos desejos

Boa noite leitores, venho aqui para relatar um fato verídico que aconteceu esses dias,irei preservar os nomes para não ocorrer complicações, vamos ao caso.

Eu me chamo J, tenho em torno de 20 anos, magro, alto, com uma ferramenta proporcional para realizar a parceira,

minha prima se chama B, tem em torno dos 19, magra, baixa, bundinha empinada, seios pequenas e uma bucetinha deliciosa.

Sexshop

durante 3 anos tivemos um caso que sempre rolava algumas sacanagem, mais nunca dava certo de chegar ao ponto do sexo, sempre rolava umas preliminares, o sonho dela era que eu seria o primeiro homem dela, mais por diversos empecilhos, ocorreu que ela acabou perdendo a virgindade com um namorado, o qual ela ainda estar com ele.

mais vamos ao fato que interessa, de tanto eu insistir com ela de nos ver, de irmos realizar nossas fantasias sexuais, ela acabou se convencendo e indo ao meu encontro,mais sempre falando que não sabia se iria rolar algo alem de uma conversa, peguei ela em um certo ponto da nossa cidade e me dirigi ao motel, chegando lá ocorreu como eu esperava e não como ela falava, nossas bocas logo se colaram e logo as roupas foram parar no chão, e começou uma serie de sexo oral, aonde me dediquei em seu grelinho chupando até lhe provocar um orgasmo sensacional, onde ela se contorcia, não contente, me posicionei em um meia nove, aonde ela chupava meu pau de uma forma que eu ia ao ceu, sempre fui viciado no boquete dela.

interrompi a seção de oral e me posicionei na posição papai e mamãe, que buceta apertada, tive um pouco de dificuldade para penetra-la, mais quando passou a cabeça, ela não se contia, gemia, me arranhava.

B – Vai meu primo gostoso

J – de quem é essa buceta? de quem sempre vai ser?

B – tua safado, me fode, acaba comigo… haaaaaai gostoso

quando me deitei e ela veio por cima, veio como sempre me disse que queria em nossas conversas pelo wpp, sentou – se de uma forma magistral, me arrancando gemidos.

J – Vai priminha puta, senta no pau do teu macho

B – Sento cachorro, que pau delicioso

J – Não era meu pau que tu queria, pois te acaba nele…

B – Aiiiiii eu vou gozar, vou gozaaaar…

J – Goza cachorra (plaf)

dei um tapa na cara dela, que ativou mais ainda seu modo puta, e com isso ela gozou duas vezes seguidas no meu pau.

Aproveitando o momento de êxtase dela, falei que ia meter no cuzinho, que essa virgindade seria minha, e ela com voz mansa fala:

B – Vai dor

J – Te prometo se doer eu tiro (manha de comedor)

B – pois come meu cu primo safado

J – esse não vai escapar.

chupei um pouco seu cuzinho e ela babou bem o meu pau, e fui introduzindo, no inicio ela esboçou cara de dor, que logo se transformou de prazer, e assim fui enfiando sem dor.

B – come meu cu cachorro

J – QUE CU APERTADO CACHORRA

10 min no cuzinho dela e a vontade de gozar veio.

B – Goza na minha boca, que eu tou com saudade do teu leitinho

J – Pois toma priminha safada.

e ela fez com fazia nos nossos encontros, engoliu tudo, sem dispersar nenhuma gota.

meu pau ainda continuou cm vida, ela já tava exausta, mais antes de irmos embora pedi uma rapidinha, aonde botei ela de quatro e enfiei sem dó, proporcionando a ela um quarto orgasmos, dessa vez não gozei, mais fiquei contente de proporcionar a ela total prazer.

e assim fomos embora, ela com uma felicidade enorme e eu tbm.

agora esperamos nos encontrar novamente para poder ter um novo conto.

espero que gostem !

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.