Amizade e Cumplicidade Acabou em Sexo

Ola amigos leitores dos contos eróticos, o que vou compartilhar com vocês e uma historia verídica que na realidade vinha amadurecendo já algum tempo. Eu e minha esposa temos um casal de amigos que são pessoas bem extrovertidas, e que costumeiramente fazem festas em sua residência e convidam os amigos e vizinhos, ela uma morena, mulata, umas pernas bonitas, uma bunda tradicional de mulatas, avantajadas , muito gostosa, e bem safadinha, o Roberto seu marido, já e considerado corno, todos acham que ela coloca um chifre nele, mais na realidade coloca mesmo, mais eles se dão muito bem como dizem é um corno conformado.
Eu e Roberto acabamos travando uma amizade muito intima, e minha esposa com a Maria Helena, um dia Maria Helena desabafou com minha esposa dizendo que transava fora do casamento e que o Roberto sabia, pois o mesmo não dava conta dela, e as duas se confidenciavam Maria Helena dizia que gostava de homens dotados, gostava de rola grossa, e a rola do Roberto era pequena, eu só sei que minha esposa também começou ter um outro pensamento sobre sexo, pois eu também tenho a rola pequena, e conversa vai conversa vem sabe como é.
No início deste ano era aniversario de Maria Helena programaram uma churrascada, na casa deles tem um piscina pequena, mais gostosa, um Sábado a noite já depois de uma boa doze de bebida, a Maria Helena, estava dançando com um vizinho um negro, magro, gente boa muito educado, Zezinho e se esfregava muito os dois, o Roberto acabou se desabafando comigo, dizendo, olha só os dois ficam se esfregando no final da festa ele vai arrombar a boceta dela, seguindo o Roberto o Zezinho tem um rola enorme, grossa, e fode muito nela, nos rimos e a noite prosseguiu, teve umas horas que eu via minha esposa dançando com o Zezinho ficava imaginando que ele também se esfregava nela, eu ficava com um pouco de ciumes mais acabava me exitando, ate ai tudo bem, já era umas duas horas da manhã resolvemos ir embora, na casa só mesmo eu minha esposa o Roberto Maria Helena e o Zezinho, acabamos indo embora deixando os três sozinhos.
No caminho de casa no carro, eu comentei com minha esposa o que o Roberto havia me dito, ela respondeu que já sabia pois Maria Helena já havia comentado com ela, já estávamos meios alcoolizados eu acabei perguntando a ela você dançou com o Zezinho ele também esfregou a rola em você, como nos somos muito sinceros um com o outro, ela me respondeu se eu falar que ele não esfregou vou estar mentindo, eu perguntei e você acabou gostando, ela respondeu claro né, a Maria Helena fala tanto neste Zezinho e que ele tem uma rola enorme eu realmente aceitava as encochadas dele para sentir, eu perguntei e deu para sentir, ela respondeu que mais ou menos mais fiquei exitada, disfarcei mais ele sentiu que eu estava gostando, só sei que esta conversa acabou na cama, eu a chamando de puta, vagabunda, que deixou o Zezinho arrombar a boceta dela, foi uma coisa de louco, nossa gozamos muito, minha esposa adora fazer sexo anal, eu então dizia a ela já pensou o Zezinho alargando este cu, você iria chorar de dor, ela então me respondeu, seria um choro de dor e prazer e como eu estava metendo no cu dela ela começou a dizer isso Zezinho fode este cuzinho fode, arromba mesmo, nossa aquilo me deu um tesão que acabei gozando e ela também, acabamos desmaiando.
Acordamos já era umas dez horas com o telefone tocando era Maria Helena convidando para irmos para lá, acabamos transando novamente e voltando o Zezinho na nossa transa, eu então disse a ela, é sua vagabunda esta querendo ser arrombada pelo Zezinho né, ela me respondeu você deixaria eu dar para ele, e disse mais de tanto a Maria Helena falar acabei ficando exitada, e adoraria experimentar, eu então perguntei você teria coragem, ela respondeu se você consentir eu tenho, eu então disse a ela você e quem sabe se quiser.
Acabamos indo para a casa deles, ela levou o biquine, minha esposa e branquinha bronzeada, com a marca do biquine, uma bunda carnuda saliente, pernas bonitas, muito gostosa, chegamos lá Maria Helena já estava na piscina, um calor insuportável eu já fui na cervejinha, depois de um certo tempo chegou o Zezinho, colocou a sunga nossa a mala era enorme mesmo, minha esposa e Maria Helena riam muito na piscina, na casa só estavam nos cinco, logo começou a putaria, na piscina, minha esposa veio ate mim e me disse Amor aquilo que conversamos posso mesmo, eu então disse a ela só tem um problema eu quero ver, na piscina a Maria Helena estava abertamente já estava sentando no colo do Zezinho, com a rola dentro, mais minha esposa não teve coragem de faze risso ali, eu só sei que ela veio a mim e disse que depois iriamos tomar uma cerveja na casa do Zezinho, eu acabei topando.
Já era uma 20 horas o Zezinho foi embora, nos também logo se despedimos e fomos embora, mas sem comentar nada paramos numa outra rua e fomos ate a casa do Zezinho, lá chegando ele nos serviu uma cerveja conversamos um pouco, mais não demorou muito para o Zezinho levar ela para o quarto e começaram se chupando, eu fui dar uma olhada nossa quando vi a rola dele não acreditei que ela iria aguentar aquilo tudo na boceta ou ate no cu, fiquei inciumado mais acabei aceitando, nossa minha esposa gritava, reclamava mais Zezinho não queria saber não meteu mesmo, arrombou ela todinha nossa quando ele fodeu o cu dela então eu gozei umas cincos vezes, nunca havia gozado tanto assim, hoje a gente vai sempre lá e ate acabamos metendo os quatros mais e muito gostoso, mais depois eu conto mais.