Aluno de fora me comeu

Aproveitando minhas férias, fui na casa de um amigo em Vila Velha, Espirito Santo uma linda cidade.
Nos 5 dias em que lá fiquei conheci Simone uma personal trainer que eh uma delicia, e tome punheta pensando na moça de uns 33 anos, 1,60 m, uns 60 kg, toda durinha, cabelos castanhos longos, bunda torneada, morena jambo, peitinhos empinados, muito bonita a danada, e muito profissional, imaginei que não tinha chance alguma, pensei esta moça gostosa tem um marido desses saradão e bonitão.
Numa das aulas na academia do condomínio onde meu amigo mora, por volta das 16hs mais ou menos, não tinha ninguém malhando e Simone foi me mostrar um exercício diferente. Ela usa essas calças bem justas pretas meio transparente, não sei explicar que tecido eh, mas num movimento a calça abre bem no meio da bunda, verticalmente, deixando a mostra aquela bunda grande, bem torneada e linda, com um fio dental preto atolado no rego dela. PQP, meu caralho!!! Subiu na hora o velho cacete. Ela ficou da cor de um tomate bem maduro de vergonha se escondendo, mas os espelhos não deixavam, se ela virava de frente para mim eu via pelo espelho, ela tentando tampar, mas não dava. Perguntou pelo banheiro, mas estava em obras, sem chance de ela se esconder. Disse: como eu vou fazer, só estou com a chave do carro, esqueci minha mochila em casa, eu sempre ando com roupa reserva dentro dela. O carro dela estava a uns 500 metros do prédio, estávamos no andar 4, abaixo duas garagens, e no térreo a portaria. Ela teria que passar no mínimo pelo porteiro, se desse sorte de não encontrar nenhum morador no elevador. E a rua eh bem movimentada, todos iriam ver o bumbum dela. Dei a minha ideia com o pau durão, e ela não tirava o olho também. Vamos subir no meu apto que eh no 11º, eu te empresto um short meu, ai você ou desce com o meu short que ficara bem largo em você, ou descemos ate a garagem, eu pego o meu carro e te levo ate o seu, se não quiser passear com um short largo. Ela disse, eh o jeito, né, não tem outro. Subimos, ela de frente para a câmera do elevador, para não mostrar a bundinha pro porteiro. Deu sorte, ninguém estava subindo junto com a gente. No corredor, ela sem graça, com a mão na bunda, me mandando ir à frente. Mas não tirava os olhos do meu pau duro, que eh enorme e estava igual uma pedra. No apto, ela sentou rapidamente no sofá e eu fui procurar o short. Então, fingi que não achava, enrolava a menina e ela sentada.
Procurava na lavanderia de mentirinha, pois tinha muitos shorts na minha mala e todos limpos. Ela perguntou onde era o banheiro e disse que iria esperar lá ate eu achar o bendito calção, e se eu não achasse, era pra eu comprar uma calça pra ela no shopping ao lado, depois ela iria me pagar, pois deixara a carteira no carro. Eu respondi ok, disse o banheiro eh no corredor a esquerda. Ela disse, vai pro quarto que eu vou entrar e você desce pra comprar a calça, já que não acha o short. Pois bem, fui pro quarto, mas voltei atrás dela, e antes dela entrar no banheiro, não resisti, o tesao falou mais alto, passei a mão naquela bunda gostosa, ela reagiu, virando e encostando a bunda na parede do corredor, ai meu pau encostou na coxa dela…ela de cabeça baixa perguntou o que eu estava pensando. Não disse nada, beijei a testa dela, dei uma cheirada no pescoço, ela arrepiou, tentou me afastar, eu ofegante, encostava mais ainda nela, passei a mão na cintura e fui descendo ate tocar na bundinha deliciosa. Ela se entregou… virou-se e eu abaixei e puxei o fio dental pro lado, abri a bunda dela e dei uma cheirada e uma lambida no cuzinho dela, ela arrepiou e empinou mais a bunda pra eu pegar a buceta, passei o dedo nela, molhadíssima, lambi o dedo, aquele gosto e cheiro de buceta deliciosos, eu tirei o meu short, vara mais do que dura e cravei naquela xaninha gostosa, suculenta e molhadinha, que ficou de quatro ali mesmo no corredor, eu de pé mesmo mandei pica na buceta dela, ela não gemia,sussurrava de um jeito muito gostoso e sensual, mas senti ela gozando pelas contrações da buceta e o mel que escorria. A buceta tão apertada, que dava pra ver como abraçava meu cacete quando do vai e vem. Ela vermelhinha, gozava calada, e eu bombeando e segurando o gozo…meu, quando vi que iria gozar, fui tirando e esporrei na bunda dela. Foi aquela meleca, sujando a calça rasgada, o bundão maravilhoso e o fio dental. Quando olhei para o chão, aquela poça do gozo dela. Ela correu pro banheiro e eu achei o short.
Ela estava à minha frente e pude mais uma vez apreciar a forma deliciosa de sua bunda desnuda e deliciosa. As coxas morenas, bem bronzeadas e roliças. Minha mão coçou e por pouco não a toquei.
Ela quieta tomou um banho e se perfumou e eu ali apenas admirando aquele monumento de mulher.
Me banhei, acompanhei-a até a sala de decoração simples e aconchegante: um sofá azul com almofadas laranjas, uma mesinha de centro, uma poltrona um pouco mais afastada. Uma decoração moderna e despojada, bem linda por sinal, ela me perguntou se eu estava gostando de sua cidade, lhe disse que sim e muito.
Eu lhe disse:
– Seu marido é um homem de sorte… – Disse, atrevendo-me a ser malicioso. Olhou-me e sorriu satisfeita ao me surpreender novamente apreciando sua tesuda bunda.
– É mesmo? Respondeu, pousando a mão sobre a coxa.
Tinha no rosto uma expressão de prazer. Percebi que estava nervosa e com uma excitação mal disfarçada. Ansiosa por uma boa pica. Meu pau latejou, disposto a satisfazer seu desejo!
– Como assim? – Perguntei com um sorriso sedutor.
E audacioso, puxei-a pela cintura e encostei-a em meu corpo. Manhosa, baixou a vista sorrindo. Segurando em minha cintura, esfregou o púbis no meu. Nossas bocas se encontraram em um beijo lascivo, os lábios molhados e as línguas se procurando ávidas. Quando a soltei, ela disse:
– Meu marido transa de modo bem comportado! Não satisfaz minhas fantasias…
Nos abraçamos de forma voraz e ardentemente, nos acariciando.
Ela deitou-se no sofá e foi logo chupando o meu pau. Simone realmente estava louca para chupar uma pica. Meu corpo se arrepiou todo. A excitação era intensa. Retirei meu pau de sua boca e fui esfregando em seus seios, deixando-a louca de tesão. A cada carícia da piroca em seu seio, ela sacudia o corpo, totalmente entregue ao desejo. Percebendo que isso aumentou o seu tesão, continuei. Comecei a me masturbar, provocando-a. E, distraído com esta brincadeira fui aumentando o ritmo, alisando a glande nos bicos dos seios.
– Seu tarado… Que tesão! Assim me deixa louca! – Disse.
O gozo me pegou de surpresa e a porra jorrou sobre seu seio. Simone passou os dedos e com um ar de muito prazer, provou o gosto do meu leite.
Respirei fundo, contrariado comigo mesmo. Gozar assim, feito um colegial me deixou envergonhado. Porra, deveria aguentar mais um pouco, eu não podia cometer um erro destes. Ela, porém, não ficou chateada. Ainda de pé, me beijou com ardor, agradecida por tanto prazer que lhe proporcionava. Nossas línguas se enroscavam e percebi que a Morena logo me deixaria pronto para mais um gozo! Desvencilhou-se de meus lábios e, beijando me o pescoço, foi descendo, procurando a minha vara. Desceu pelo tórax passando pela barriga, me arrepiando ao chegar no púbis e foi chupando, até minha pica endurecer em sua boca. Ao mesmo tempo auto-acariciava a boceta.
– Quero este pau gostoso na minha bunda! Come meu cuzinho come! Tenho tanta vontade! Vivo louca para dar o cu! – Afirmou, revelando a fantasia que o marido recusava-se a satisfazer.
Eu não podia ignorar uma súplica tão deliciosa! A bunda de Simone me despertava muito prazer e tesão! Era o desejo de muitos e prazer para poucos kkk, mas resolvi satisfazer o seu desejo reprimido já que o marido não satisfazia.
– Ok! – Disse e arrumei-a na mesinha.
Com um joelho sobre uma almofada, ela ergueu a perna. Coloquei a camisinha e esfreguei meu pau em sua boceta, não sabia se teria outra oportunidade e queria pelo menos sentir calor da vulva ardente. Enfiei profundamente, arrancando um gemido alto e gostoso – Ahhhhhhhhh… deusssssss… como é bom… ahhhhhh… uhhhhhhhhmmmm… está me matando de tando tesão Aahahah… – Gemi, sentindo sua xaninha apertada espremendo meu caralho.
Ela que de tão excitada gozou rapidamente.
Ainda de quatro sobre a mesinha, ajudou-me a abrir suas macias e firmes nádegas. Encostei a cabeça da pica no cu que a esta altura, estava empapado com o lubrificante de sua xana. O seu corpo estava quente e trêmulo.
– Ahmmm… Acho que vou gozar de novo… Enfia logo, estou alucinada de vontade! Quero sentir o pau dentro do meu cu!
Fui enfiando e Simone gemia, enlouquecida. Meu púbis se chocando contra suas nádegas macias e o saco batendo suavemente no seu grelo. Arfando, ela gemeu, o corpo estremeceu e teve seu primeiro gozo anal.
– Como é gostoso! Oh! E tão bom! Eu quero mais! Quero mais!…
Tirei o pau e fomos para o sofá, procurando uma posição mais confortável, onde ela pudesse apreciar outra deliciosa enrabada. Deitou-se no sofá e ergueu ambas as pernas, arreganhando o cu e a boceta. Arrumei a pica e fui enfiando novamente naquele cu voluptuoso.
– Oh! Vou morrer… Como é gostoso! Mete tudo! – Falou, acariciando a boceta com a mão. – Depois quero que foda minha boceta! Sou toda sua!
A pica entrando apertada no ânus. Em um ritmo vagaroso, para que ela pudesse apreciar cada centímetro da vara em seu cu. Seu êxtase era contido, sua mão descendo e tocando na boceta e a outra acariciando e apertando o bico dos seios.
– Que delícia! Que pau gostoso! Ohmmm… Enfia mais… Oh, meu amor! Como você fode gostoso! Acho que vou gozar! Estou quase… Quase… Como é delicioso!
– Delicioso é o seu cu, Si! Estou quase gozando… Mais um pouco, eu gozo! – Falei, sentindo o corpo dela estremecer com espasmos de êxtase. Ela mudou levemente de posição, o rosto tomado por uma lúbrica volúpia, chupando o dedinho, os olhos fechados, saboreando a pica quase toda enterrada em seu cu apertado.
– Eu sabia… Oh! Eu sabia que você não me decepcionaria!
Me faça sentir mulher! Sou sua… Oh, meu amor! Meu macho! Fode mais o meu cuzinho! Prometa que vai sempre comer o meu cuzinho, prometa!
– Claro! Mas também quero gozar nesta bocetinha apertada! Até parece virgem! Mas seu cu… Uhmmm… Tá difícil segurar o gozo! Estou quase! Como é gostoso foder esta bundinha!
– Ohmmm! Continue… Não goze ainda! – Exclamou … o corpo se agitando, mal suportando tanta volúpia, meu pau enfiado em seu cu extremamente apertado.
Virou-se de lado, os olhos fechados, gozando. Seu cu apertou firmemente o meu pau e me soltei, derramando em seu reto uma explosão de porra!
– Ah! Que maravilha! Como é bom dar o cu! Ai, que delícia! – Disse, em um tom lânguido e apaixonado.
Fui até o banheiro e lavei muito bem o meu pau. Voltei para a sala. Imaginei que Simone já estaria vestida e pronta para ir embora. Mas não, estava me esperando. Com muito carinho e beijos ardentes, reacendeu o meu fogo. Depois, numa posição papai e mamãe, deixou-me penetrar em sua boceta, onde pude senti-la profundamente e buscar novamente o prazer em um ritmo alucinante.
Foi uma tarde maravilhosa e com certeza inesquecível.

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.