Alargaram o cuzinho da minha namorada

Meu nome Rodrigo, tenho 28 anos, sou casado com Letícia há 2 anos. Começamos a namorar com 17 anos. Nosso namoro começou morno, sem muito desejo e com bastante timidez em relação ao sexo pois ambos não tinham muita experiência no assunto. Mas com o passar dos primeiros meses do namoro, o desejo foi aumentando. Fomos descobrindo prazeres na cama até então inimagináveis. Descobri que minha namoradinha virava uma putinha na cama, fiquei muito surpreso e ela disse sentir ainda mais surpresa que eu, pois não imaginava que ela mesma gostava de tanta safadeza entre 4 paredes. Logo nos primeiros meses ela aprendeu a chupar me pau como uma autentica puta, com muita vontade, quando eu a deixava muito excitada nos amasso ela chegava a implorar pra eu tirar o pau pra fora pra ela dar uma mamada.
Depois de alguns meses nas horas em que ela me chupava,comecei a insinuar que se ela continuasse chupando tão gostoso eu seria obrigado gozar na cara dela e deixaria ela toda lambuzada igual às putas dos filmes pornográficos que ela tanto gostava de assistir. Mas ela sempre fazia aquela cara de safada e balançava cabeça dizendo não. Até que numa certa noite numa chupada gostosa gozei na cara dela. Ela soh tirou o pau da boca e deixou eu lambuzar seu rostinho e fez cara de quem gostou e me chamou de sem vergonha. Nas trepadas seguintes ela começou a pedir e implorar para que eu não gozasse dentro da bucetinha e sim na cara dela, e eu sempre sussurrava “Toma minha porra safada, engole tudo que eu sei q tu gosta” até q um dia, pra minha surpresa, ela engoliu tudo sem deixar cair nenhuma gota e fez uma cara de saciada. A partir de então em boa parte das trepadas ela implorava pra eu deixar ela engolir minha porra, pois se se achava muito puta fazendo isso.
Passando mais um tempo, comecei a alisar o cuzinho dela enquanto metia na bucetinha. Ela me disse q tinha um pouco de medo de dar o cú, mas q sentia mto tesão só em tocar nesse assunto. Então em todas as transas comecei a enfiar de uma parte do dedo indicador da abertura do seu rego. Ela dizia q sentia muito tesão e as vezes pedia pra enfiar mais. Num dia numa das nossas conversas ela me confessou q estava cada vez com mais vontade de dar o cú, disse pra ela que em breve eu iria saciar essa vontade.
Passada uma semana da tal conversa, compramos um lubrificante e fomos a um motel e fizemos pela primeira vez o sexo anal. Como a maioria das mulheres ela disse q sentiu pouco tesão e muita dor, mas queria continuar tentando.
Continuamos fazendo sexo anal, muitas vezes sem sucesso, pois meu pau é modestamente é grosso demais, e o cuzinho dela era muito apertadinho. Ela conseguiu Alcançar o orgasmo pelo anus somente uma vez.
Depois de um tempo ela veio me relatar que estava pensando em colocar um piercing vaginal, pois sentia muito tesão em ver as atrizes pornô usando.Disse que iria se sentir ainda mais puta na cama. Eu de imediato concordei, pois imaginei q seria uma delicia ver um piercing naquela bucetinha q já era gostosa. O problema é que teríamos que ficar 3 meses sem sexo até cicatrizar. Pensamos bem e chegamos a conclusão de que não conseguiríamos agüentar.
Passado alguns anos nosso relacionamento deu uma esfriada e ela recebeu uma proposta de trabalho em uma cidade a mais ou menos 200 km de distancia. Conversamos bastante e acabamos o namoro amigavelmente.
Durante 2 anos ficamos sem nenhum contato, ambos apagaram o outro de suas vidas.
Nesse tempo aproveitei bem a condição de solteiro, principalmente no que se refere ao sexo, e tentava não pensar no que ela poderia estar fazendo também.
Passados os 2 anos, nos encontramos numa festa em minha cidade, conversamos bastante e ela me disse que estava voltando a morar na cidade. Continuamos conversando e bebendo até que ela disse q nunca esqueceu nossas transas, e que ela tinha vontade de voltar a namorar comigo, eu concordei e disse que também queria reatar. Já conversando como namorados o papo foi esquentando e o inevitável aconteceu, fomo parar no motel. Chegando lá começamos num amasso muito quente, o tesão tomava conta de ambos, até que ela me disse que antes de tudo tinha que me dar uma noticia boa e uma ruim. Eu achei estranho ela dizer aquilo no meio do amasso e tentei tirar sua saia, ela me conteve e disse q primeiro tinha q dar as noticias. Perguntou qual eu queria primeiro, pensei e pedi pela noticia boa. Então ela tirou a saia, e lentamente baixou sua calcinha fio dental. Quase não acreditei e fiquei babando de tesão quando vi o piercing na sua bucetinha. Ela fez aquela cara de safada e se deitou na cama abrindo bem as pernas e mexendo no grelinho pra me deixar louco. E pra minha alegria ela disse q eu seria o primeiro a aproveitar aquela delicia.. Eu não me agüentando de tesão, tentei cair de boca naquela buceta mas a malvada me conteve novamente. Disse que tinha q dar a noticia ruim ainda. Suspirando pedi pra ela contar logo a má noticia.
Sentei ao seu lado e ela começou a contar. Disse que depois de 2 semanas que ela tinha colocado o piercing, ela ficou com um tal de Tales (negro alto do tipo preferido dela), um representante comercial da empresa em q ela trabalhava.
Disse q sentia muito tesão nele, mas nada de sentimental, era só sexo mesmo e ele sentia a mesma coisa. Continuou saindo com o cara, sempre dando uns amassos e chupando a rola dele de vez em quando, mas sempre fugindo na hora H, pois não podia transar devido a cicatrização do piercing. Até que lá pelo quinto ou sexto encontro o cara disse q não guentava mais, e perguntou pq ela sempre fugia na hora H. Foi então q ela contou pra ele do piercing. Ele se sentiu meio frustrado mas continuaram saindo. Até q num dia ele a levou no motel de surpresa e disse q ia comer seu cuzihno. Ela inicialmente relutou, mas já estava explodindo de tesão pelo cara desde o primeiro encontro. Então aceitou seu pedido. Ela disse q sentiu muito medo pois a rola dele era mais grossa e maior q a minha. Mas ele tranqüilizou-a dizendo q era especialista em comer cuzinho apertado. Pra minha auto-decepção, ela disse q gozou muito gostoso já na primeira vez e que o cara era realmente expert no assunto. Depois disso trepou varias vezes com o cara, mas sempre só no cuzinho. E os dois contavam os dias para que ela pudesse dar a bucetinha pra ele. Até que uns 15 dias antes de dar o prazo da cicatrização total, o cara foi chamado pra trabalhar numa empresa em São Paulo. Os dois ficaram frustrados pois não poderiam dar uma trepada completa. Mas ele prometeu que nas férias de fim ele passaria na cidade e então poderiam realizar o desejo. E fez ela prometer que treparia com ele mesmo que ela estivesse namorando com outro cara.
Nessa hora olhei pra ela com cara de espantado, e ela me disse q iria cumprir a promessa e que dali há um mês ele viria visita-lá.
Fiquei meio transtornado, mas ela disse foi me convencendo e me seduzindo, e q não iria transar comigo enquanto eu não prometesse q iria deixar ela sair com o cara.
Quando ela me disse “ Não esquece q agora eu sou expert em dar o cuzinho”, não resisti, prometi que deixaria e parti pra cima dela. Tiramos todo o atraso, a safada aprendeu mesmo a dar o cu, ficava de quatro pedindo pra meter mais fundo e gritava “vai meu macho, faz igual meu negão vai fazer”, aquilo estranhamente me deixava com mais tesão. Gozamos loucamente. Após a transa disse a ela que eu deixava sair com cara com a condição de que ela me contasse tudo nos mínimos detalhes. Ela concordou e disse q teria prazer em contar.
Passado um mês, o cara liga pra ela. Eles combinam de sair numa sexta feira. Ela sai vestida para matar, com um vestidinho curto e uma calcinha nova, minúscula. Me dá um tchau e diz “tua putinha á indo trepar com outro macho”. Fiquei em sua casa, quase não consegui dormir, bati umas 3 punhetas pensando nela sendo enrabada por um negão. Eram passadas 5 horas da manhã quando escuto ela chegar, caiu na cama suspirando e disse “ele acabou comigo”. Dormiu do jeito q ela estava, só de vestido e pude reparar que estava sem calcinha.
Durante o dia seguinte, não tocamos no assunto. Fui jogar futebol como faço todos os sábados e ela ficou em kza descansando. Chegando em kza após o futebol e umas cervejas me surpreendo com uma mesa de jantar a luz de velas e ela com outro vestidinho muito sexy. Me beijou ardentemente e disse q agora ela era só minha.
Jantamos e fomos para cama. Nas preliminares ela começou a relatar o que tinha acontecido na noite anterior, a cada palavra q ela falava eu ficava mais excitado. Disse que o cara fode tão bem a bucetinha quanto o cuzinho. Disse q ficou louco de tesão co chupar a buceta com o piercing e gozaram varias vezes.
Trepamos muito gostoso, e também gozamos varias vezes.
No fim da noite perguntei se ela ainda tinha vontade de dar pra ele, ela disse claro que sim, mas não faria mais pois eu seria o único homem dela. Então perguntei qto tempo o cara ainda ia ficar na cidade, ela disse “mais uma semana, por que a pergunta?”. Então sugeri fazermos sexo a três. Ela me olhou com cara de espanto, ficou calada, e após uns segundos disse q adorou a idéia, e q gostava de fantasiar com uma dupla-penetração.
No dia seguinte ela ligou pra ele e ele concordou.
Como foi essa noite ? Fica para o próximo conto.

Sexshop

6Clique para compartilhar no Facebook(abre em nova janela)6Clique para compartilhar no Twitter(abre em nova janela)Compartilhe no Google+(abre em nova janela)Clique para enviar por email a um amigo(abre em nova janela)

Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.