Acabei fodendo gostoso com o meu patrão

O elegante Sousa é o meu chefe. Faz mais de dez anos que trabalho nesta empresa e faz mais de dez anos que ele tenta me alimentar-se. O altíssimo Sousa possui por volta de sessenta anos porém bem conservados fruta de uma ótima refeição e um colégio pelo meio.
Como já tinha mencionado num bico antecedente a minha empresa é constituída maioritariamente por homens. Mulher sou apenas eu e a minha amante Inês (amante de Lisboa que já escrevi um bico) e duas empregadas de higienização.
Sei que o meu chefe também possui seduzido Inês porém ele também não cedeu. Já as duas empregadas da higienização não posso dizer o inclusive uma vez que elas gabam-se de ter o chefe na mão (quer dizer, na cueca).
Já há um tempo que sinto desejo de analisar os dotes de Altíssimo sousa e já comentei com meu companheiro.
– Tu é que sabes. Somente não te aconselho a misturar coito com trabalho. – Diz José.

Sexshop

Após bastante julgar e de vários assédios resolvi que aparecia na momento. Afinal de contas o que tinha a despossar? Se calhar até tinha a passar a ter. Não é que isto me custo porém numa empresa de homens nós mulheres possuimos de trabalhar bastante para atestar nosso valor.

Na momento de almoço todo mundo encontra-se no aparador até às duas da tarde, momento que retomam os serviços. Geralmente o altíssimo sousa almoça acelerado e retoma o trabalho mais cedo. O meu plano era adiantar esse tempo para abarrotar.
Esperei que altíssimo Sousa me seduzisse para não ser eu a ingerir a iniciativa. Vesti moda sedutoras com grandes decotes e deixei ele enlouquecer de atração.
– AnaMaria quando vai chegar o dia de me fazer feliz. – Dizia ele enquanto passava uma mão pela minha perna nua.
– Sabe senhor sousa. Sou uma mulher casada e não quero estragar o meu casamento. Amo muito o meu marido.- Disse mas não retirei a mão da minha perna. Ele sobe mais.
– Mas não precisas estragar o teu casamento. O que se passa aqui fica aqui.
– Não sei. Se alguém vier a saber vou ter de abandonar a empresa.
– Nem penses. És a minha melhor colaboradora e não te quero perder por nada.
Deixei ele aproximar a mão da minha xaninha e quando lhe tocou saí de seu gabinete.
Contei a José que ficou excitadíssimo, tão excitado que me fodeu toda a noite. Ficou claro que tinha de foder o meu patrão.
Um dia, visto uma sedutora saia de executiva um pouco para o curto com uma camiseta branca. Quando foi á hora de almoço vou ao wc e tiro as calcinhas e soutien. Bato á porta do gabinete de meu patrão e recebo ordem para entrar.
Quando entro o senhor sousa quase desmaia.
– Posso entrar?
– Claro AnaMaria. Fica á vontade.
Entro com andar sedutor e ele compreendeu logo que seria o seu dia de sorte.
Em contra luz as minhas mamas por baixo da buza transparente provocaram tesão em meu patrão que nem uma palavra prenunciou.
Aproximo-me da secretária.
– Segure o portátil no colo.- Ordeno.
O senhor Sousa não entendeu o porquê mas obedeceu.
Com o braço esticado derrubo tudo o que estava na secretária. O barulho de canetas papeis e outras coisas a cair no chão fez com que o meu patrão se encosta-se para trás na cadeira.
De seguida aproximo-me e retiro-lhe a gravata. Coloco-a em mim e subo para cima da secretária. Sento-me de pernas abertas bem na frente dele mas a gravata tapava a minha xaninha.
-Este é um dos meus fetiches. Derrubar tudo no chão. Tenho outro mas só lho vou dizer mais tarde.
O senhor sousa pousa o portátil no chão e tenta me tocar.
– Parou, parou, parou. Hoje sou que mando. Primeiro vai ter de jurar que não se vai se apaixonar por mim, que não me quer como amante e principalmente que não vai contar nada a ninguém.
– Faço tudo o que quiseres.
– Então para começar vai dizer o que acha de mim.
– Acho que és a mulher mais linda mais sexy e mais simpática do mundo. Dou tudo o que quiseres para te ter nem que seja só agora.
– Assim está melhor.
Retiro a gravata e minha xaninha fica aberta bem na frente dele que quase desmaia. Estico-me e coloco-lhe a gravata novamente. Pela ponta puxo-o em direção ao meio das minhas pernas. Sinto o bafo nos meus lábios vaginais. E tenho um arrepio.
– Lambe a minha coninha. –Ordeno.
Não foi preciso repetir. O meu patrão era experiente e varria com a sua língua a minha zona sexual. Começava no cuzinho e só parava no clitóris. Pelo meio enfiava na minha gruta. A esta altura eu já gemia de prazer.
Mordidas, lambidelas e chupadelas provocaram o meu primeiro orgasmo.
– Isso, isso. Continua. Não pares.- Agora já o tratava por tu, afinal era o meu macho de momento.
– Estou a vir-me. Haaaaaaaaaaaaaaa. Uiiiiiiiiiiiiiiiiiii. Huuuuuuummmmmmmmmmm.
Ao mesmo tempo que me vinha apertava com as pernas a cabeça de senhor Sousa de encontro á minha xaninha.
Depois de me vir o meu macho mostra intenção de me comer mas ainda não estava na hora.
Empurrei-o para trás da cadeira. Abri a minha blusa e os meu peitos saltaram para fora. Aproximo-os de meu macho para os mamar.
– Mama nas minhas mamas. São todas tuas.
– Há muito tempo que sonho com este momento. Há mais de dez anos que lhe quero tocar.
Primeiro garrou-me as duas com as mão e pressionou.
– Calma, calma.- Pedi pois estava a aleijar um pouco.
Mais devagar foi massajando. Depois de se fartar começa a mamar. Hora numa, hora noutra. Chupava e mordias meus bicos eretos, passado mais de cinco minutos achei que estava na hora de passar ao passo seguinte.
Empurro a cadeira de rodas para trás e desaperto-lhe as calças. Salta lá de dentro um pau ereto. Confesso que fiquei um pouco desiludida pois era um bocadinho pequeno,
Não demorei a mama-lo. Como era pequeno entrava todo na minha boca. Chupei e mamei durante um pouco.
Senhor Sousa permaneceu sentado e eu sentei-me no seu colo. Minha xaninha bel lubrificada recebe aquele pau sem dificuldades. Entrou todo de uma só vez.
Cavalguei com velocidade e por vezes abrandava.
Meu macho levanta-se comigo ao colo e o pau dentro de mim e senta-me na secretária. Deita-me para trás e penetra-me com violência e mais um orgasmo se aproxima.
– Puta que pariu. Estou a vir-me de novo. Haaaaaaaaaaaaaaaaaaa. Fode-meeeeeeeeeeeeeeeeee. Enterra esse caralho na minha cona. Haaaaaaaaaaaaaa. Estouuuuuuuuuu a vir-meeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee.
Vim-me intensamente e meu macho ainda nada. Tinha-mos de acabar pois estava quase a chegar a hora de começar o expediente.
– Posso te foder de quatro?
– Claro. Porque não. Mas tem de ser rápido. Olha a hora.
Debruçada na secretária recebo mais uma vez aquele pau dentro de mim
Sinto estocadas fortes. Os testículos do senhor Sousa batem no meu rabo e fazem aquele barulho característico.
Shop, shopp.
Meu patrão estremece e não espera para que eu me venha com ele. Os primeiros jatos batem num fundo da minha xaninha e gemo. Mais jatos entram em mim e forço um orgasmo. Venho-me de novo. Já era o terceiro em menos de meia hora.
– Que maravilha este leitinho na minha cona. Que bom. Adoro sentir a cona toda esporrada.
Acabamo-nos de nos virmos e meu patrão fica desfalecido por cima de mim. Esperamos um pouco e recompusemo-nos.
– O que se passou aqui fica aqui. Certo? – Digo eu e preparo-me par sair.
– Claro que sim.. Espera e a outra fantasia.
– Essa vai ter de aguardar. Não quer tudo num dia!
– Isso que dizer que vais haver mais vezes?
– Depende. Se eu achar que merece. Quem sabe se não volta a acontecer.

Disk Sexo
Sexo por Telefone

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.